quarta-feira, 12 de outubro de 2022

Letras Vivas

"Vocês mesmos são a nossa carta, escrita em nosso coração, conhecida e lida por todos" (2 Coríntios 3:2)

Os cristãos são epístolas ambulantes, escritas por Deus e lidas por homens. Isso significa que somos a única Bíblia que algumas pessoas vão ler na vida. Elas formarão uma opinião sobre Deus com base no que observam em nós.
Sim, é muita pressão, mas somos os Seus representantes. Não podemos fugir do fato de que somos exemplos. Tudo o que determinamos é se somos bons ou maus exemplos. Sejamos bons exemplos para aqueles que nos observam.

Uma coisa que parece permear a nossa sociedade hoje é uma sensação de desesperança. Mas, como cristãos, temos essa esperança. E precisamos entregá-la. Precisamos dizer aos outros que há esperança neste mundo. Há propósito. Há significado.

Escrevendo para a igreja em Tessalônica, Paulo disse: “Sentindo, assim, tanta afeição por vocês, decidimos dar-lhes não somente o evangelho de Deus, mas também a nossa própria vida, porque vocês se tornaram muito amados por nós” (1 Tessalonicenses 2:8). Paulo entendeu que Deus o chamou não apenas para pregar o evangelho, mas também para vivê-lo.

Além disso, Paulo compartilhou todo o evangelho, não apenas parte dele. Ele disse: “[...] desde Jerusalém e arredores, até o Ilírico, proclamei plenamente o evangelho de Cristo” (Romanos 15:19).

O problema que temos hoje é que, às vezes, editamos o evangelho. Deixamos de fora coisas que achamos que vão ofender as pessoas. Mas se vamos compartilhar o evangelho, precisamos fazê-lo por inteiro.

Qualquer evangelho que prometa a esperança do céu sem falar sobre a morte não é o evangelho. E qualquer evangelho que ofereça perdão de Deus sem dizer que precisamos nos arrepender de nossos pecados não é o evangelho. A mensagem essencial do evangelho é Jesus Cristo — e Ele crucificado. Essa é a mensagem que precisamos transmitir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário