segunda-feira, 12 de setembro de 2022

O Hábito da Oração

"Pedro e os outros apóstolos responderam: É preciso obedecer antes a Deus do que aos homens!" (Atos 5:29)

E se uma lei fosse aprovada no Brasil amanhã que tornasse ilegal orar? Você não poderia mais orar em um restaurante quando a sua refeição chegasse. Você não poderia mais orar na igreja ou mesmo em sua casa.

Você obedeceria essa lei?

Eu não, porque há momentos em que as leis de Deus suplantam as leis do homem, e esse seria um desses momentos.

A Bíblia nos diz que o profeta Daniel enfrentou essa mesma situação. O rei Dario assinou uma nova lei que tornava ilegal rezar para qualquer pessoa, além dele próprio, por trinta dias.

Agora, Daniel poderia ter dito: "Já passou da hora de eu tirar férias. Vou deixar a cidade por trinta dias e, quando voltar, essa lei terá expirado."

Ou, ele poderia ter dito: "Sabe, estou orando bastante, então acho que poderia ficar sem orar por trinta dias."

Ou, ainda, Daniel poderia ter dito: "Posso ser sutil. Não preciso fechar os olhos ou ficar de joelhos. Eu meio que vou fazer isso disfarçado."

Mas Daniel não mudou nada. A Bíblia nos diz: "Quando Daniel soube que o decreto tinha sido publicado, foi para casa, para o seu quarto, no andar de cima, onde as janelas davam para Jerusalém. Três vezes por dia ele se ajoelhava e orava, agradecendo ao seu Deus, como costumava fazer" (Daniel 6:10).

Já foi dito: "Semeie um pensamento, colha um ato. Semeie um ato, colha um hábito. Semeie um hábito, colha um destino." Isso pode ser bom ou ruim, dependendo do tipo de hábito.

Daniel tinha o hábito de orar. Ele era um homem de oração. E nós também devemos ser pessoas de oração.

3 comentários: