quinta-feira, 9 de junho de 2022

Rico, Mas Espiritualmente Pobre

"Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tento os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé [...]" (Hebreus 12:1-2)

Quando a carreira do cantor norte-americano Johnny Cash começou realmente a decolar, ele procurou conselhos sobre como lidar com as demandas da indústria do entretenimento – as luzes brilhantes, a bajulação dos fãs e a tentação – e ainda viver uma vida cristã.

De um amigo ele ouviu o seguinte conselho: “John, não seja apenas um artista que se tornou cristão. Seja um cristão que escolheu ser um artista. Seja primeiramente um cristão. Lembre-se que o que você é e a vida que você vive deve cantar mais alto do que qualquer música. E não se esqueça de orar.”

Às vezes Johnny seguia esse sábio conselho. E outras vezes, não.

A vida cristã é, em muitos aspectos, como uma corrida. Alguns começam bem, mas se perdem no caminho. Alguns começam tarde na vida e terminam bem.

Como cristão, Johnny tropeçou e caiu muitas vezes, mas se reerguia e seguia em frente. Infelizmente, somente no final de sua vida ele se deu conta de que havia colocado sua carreira à frente de Deus.

Foi numa certa manhã de domingo, dirigindo após um show, que Johnny Cash notou os carros entrando nos estacionamentos das igrejas ao longo da rodovia e disse tristemente: “É por isso que me sinto tão deprimido esta manhã. Eu deveria estar na igreja.”

Quanto mais perto estivermos de Deus, mais perto desejaremos estar do Seu povo. Quanto mais longe estivermos de Deus, mais desejaremos nos distanciar do Seu povo. Se você se sente desconfortável com os cristãos, talvez haja algo errado com você espiritualmente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário