sexta-feira, 10 de junho de 2022

Eu Ando na Linha

"'Tudo me é permitido', mas nem tudo convém. 'Tudo me é permitido', mas eu não deixarei que nada domine" (1 Coríntios 6:12)

Uma noite, o cantor norte-americano Johnny Cash estava tão cansado de viajar que não sabia onde encontraria forças para se apresentar. Então lhe ofereceram uma pílula para lhe dar forças,. Após um momento de hesitação, Cash pegou a pílula e a engoliu. Naquela noite ele deu um show sensacional, que se tornou o primeiro de muitos.

Não é diferente quando Eva ofereceu a Adão o fruto proibido no Jardim do Éden. Parecia uma boa ideia na época. Mas os resultados dessa mordida fatídica reverberaram por toda a humanidade. O pecado entrou na raça humana.

As pílulas que Cash amava inicialmente desempenharam um papel em mantê-lo longe de Deus por causa da culpa. Isso porque uma vez que você prova aquele fruto proibido, é difícil, se não impossível, voltar no tempo.

Não demorou muito para que algumas pílulas não fossem suficientes para Cash. É a natureza da besta. Ao longo dos anos, ele aumentou constantemente seu uso de anfetaminas, e isso quase destruiu sua carreira e todos os seus relacionamentos.

Não muito tempo depois que Cash conheceu a artista June Carter, ele disse a ela (apesar de já estar casado): “Algum dia eu vou me casar com você”. Menos de um ano depois que Cash gravou “I Walk the Line” (em português: "Eu Ando na Linha") como um hino de fidelidade à sua esposa, tornou-se apenas mais uma música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário