quinta-feira, 23 de dezembro de 2021

A Razão do Natal

"Que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens" (Filipenses 2:6-7)

Acho que quase privamos o Natal de seu significado original, tornando-o bonito demais. De certa forma, despojamos a história do Natal de seu verdadeiro poder.

Na arte, vemos o presépio bonito. Mas ele não foi bonito. Na verdade, foi o contrário disso. Jesus foi colocado em uma manjedoura, que também pode ser chamado de um comedouro para animais, ou um cocho. É difícil imaginar um recém-nascido precioso em tal lugar.

Mas, para mim, isso não prejudica a história do Natal. Na verdade, serve como um lembrete do grande sacrifício que Deus fez para vir a esta terra. Ele se fez pequeno, nascido nas circunstâncias mais humildes e difíceis.

Por que? Porque Ele nos ama e anseia por um relacionamento conosco. Jesus nasceu para que pudéssemos nascer de novo. Ele deixou Seu lar no Céu para fazer um lar em nossos corações.

Ele não veio a esta terra para que tivéssemos uma desculpa para nos endividarmos com todas as compras que fazemos. Ele não veio para que pudéssemos assistir a infindáveis ​​eventos de Natal e cantar canções de Natal, embora não haja nada de errado com isso.

Jesus não veio para ensinar a todos como ser bons ou como amar o próximo, embora essas sejam coisas boas a se fazer. Em vez disso, Ele veio para morrer uma morte agonizante e nos resgatar de uma sentença de morte eterna.

A sombra da cruz pairou sobre a beleza da primeira noite de Natal. Estava lá desde o início. É por isso que o vermelho cai bem como a cor do Natal. Não é porque o Papai Noel se veste de vermelho. Vermelho deveria nos lembrar do sangue que Jesus derramou por nós na cruz.

O que realmente desejamos não é o Natal, mas Cristo. Não os presentes, mas a Sua presença em nossas vidas.

8 comentários: