quarta-feira, 11 de agosto de 2021

A Obsessão Que Destrói

"Assim, façam morrer tudo o que pertence à natureza terrena de vocês: imoralidade sexual, impureza, paixão, desejos maus e a ganância, que é idolatria" (Colossenses 3:5)

Talvez o mais incompreendido dos Dez Mandamentos seja este: "Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem seus servos ou servas, nem seu boi ou jumento, nem coisa alguma que lhe pertença" (Êxodo 20:17).

Cobiçar não é simplesmente desejar algo que não temos. Se você vê algo que admira, isso não é necessariamente cobiçar. Pode ser simplesmente admirar.

A diferença entre admirar e cobiçar é que neste último caso você se torna devorado por seu desejo por algo. Muitas vezes é algo que não deve de forma alguma ser seu. Veja que esse mandamento fala sobre a mulher do seu próximo. Não é querer uma esposa. É querer a esposa do seu próximo.

No idioma original a palavra cobiçar pode também ser traduzida por "estar ofegante por algo", algo como um lobo que sentiu o cheiro do sangue da presa que está perseguindo. Esse lobo não vai descansar enquanto não capturar a presa. Isso é a cobiça. Você se torna obcecado por algo. Você precisa ter isso.

Como a cobiça funciona? Primeiro os olhos observam algo, a mente admira, a vontade por aquilo aumenta cada vez mais, e então o corpo se move para possuir o que se está cobiçando.

Alguém que não tem tanto dinheiro, provavelmente cobiça muito mais do que alguém que tenha bastante. A pessoa só pensa nisso. Fica olhando sob essa ótica, procurando um atalho que trará sucesso aos seus próprios olhos.

Há pessoas que cobiçam durante a vida toda. Tornam-se obcecadas por certas coisas e farão qualquer sacrifício para ter o que querem. Pode ser um objeto, pode ser uma posição. Não importa o quanto seja difícil, elas estão determinadas a obter aquilo. E isso pode destruir suas vidas.

9 comentários: