terça-feira, 29 de dezembro de 2020

Dividida e Derrotada

"Naqueles dias, crescendo o número de discípulos, os judeus de fala grega entre eles queixaram-se dos judeus de fala hebraica [...]" (Atos 6:1)

É interessante observar que nos primeiros dias da igreja, enquanto muitos iam sendo salvos, milagres sendo realizados e a igreja crescia a passos largos, as pessoas começaram a reclamar. Atos 6:1 nos diz que: "Naqueles dias, crescendo o número de discípulos, os judeus de fala grega entre eles queixaram-se dos judeus de fala hebraica." 

Isso não soa familiar aos dias de hoje? Veja, o diabo é bem esperto. Ele tentou parar a igreja através da perseguição. Em vez de deter o seu desenvolvimento, ele os ajudou a continuar com o trabalho que estavam fazendo. E a igreja, em vez de encolher-se com medo, tornou-se uma formidável máquina de pregação.

Satanás também tentou se infiltrar na igreja através de Ananias e Safira, dois hipócritas descarados. Mas Deus lidou com eles. Sua próxima estratégia foi tentar parar a igreja através da divisão — dividir e derrotar. E as pessoas começaram a reclamar sobre as mínimas coisas. Não era realmente uma questão espiritual; essencialmente foi um choque cultural.

E até hoje é assim. Toda geração tem o seu estilo musical de preferência. As pessoas têm as roupas que preferem. Elas têm certos costumes culturais que consideram importantes. Às vezes, esses costumes são construídos sobre um conceito bíblico. Outras vezes eles são simplesmente uma preferência pessoal. Mas nunca devemos nos dividir por causa dessas coisas.

Tudo bem ter preferências pessoais. Tudo bem gostar de uma coisa mais que de outra. Mas é errado quando cristãos se dividem por causa de algo dessa natureza.

As pessoas deixam de frequentar igrejas por causa das coisas mais bobas. Elas não gostam de tal mudança ou não concordam com tal coisa. Elas ficam presas nas menores questões. Talvez o problema não seja tanto com a teologia, mas com as pessoas. Não vamos nos dividir por questões tão pequenas.

3 comentários: