quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Deus, sob Nossos Termos

"Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são inesgotáveis" (Lamentações 3:22)

Na Roma antiga, quando um herói conquistador voltava da guerra, ele vinha montado em um jumento. Então, quando Jesus entrou em Jerusalém montado em um jumento e a multidão gritou: "Hosana!" o significado disso não foi esquecido pelos romanos nem pelos judeus.

Os romanos pensavam que Jesus estava agindo como se fosse um herói de guerra que estava voltando. Mas os judeus viram um significado diferente. O profeta Zacarias havia dito sobre o Messias: “Alegre-se muito, cidade de Sião! Exulte, Jerusalém! Eis que o seu rei vem a você, justo e vitorioso, humilde e montado num jumento, um jumentinho, cria de jumenta” (Zacarias 9:9).

Para os judeus, Jesus estava dizendo: “Eu sou o seu Messias”. E para os romanos, Ele estava dizendo: "Eu sou o seu rei." Mas Jesus não veio para conquistar Roma. Ele veio para vencer o pecado e a morte.

A multidão disse: "'Bendito é o que vem em nome do Senhor!' 'Bendito é o Rei de Israel'" (João 12:13). Essas pessoas queriam ver Jesus, mas O queriam nas suas condições: Senhor, queremos que seja o nosso rei vencedor.

Existem algumas pessoas que dizem que desejam Deus em suas vidas, mas O desejam nos seus termos e condições. Essencialmente, elas diriam a Deus: “Olha, Deus, você pode entrar na minha vida. Mas não me diga o que fazer. Eu vou fazer o que eu quiser e do meu jeito. A propósito, Senhor, eu poderia usar a Sua ajuda nesta situação.”

Não funciona assim. Quem somos nós para nos posicionarmos e ditarmos os termos ao Deus Todo-Poderoso? A Bíblia diz: “Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são inesgotáveis” (Lamentações 3:22). Todos nós merecemos o Seu julgamento, mas Ele é amoroso e tolerante conosco.

terça-feira, 24 de novembro de 2020

A Conversão é Trabalho de Deus

"De modo que nem o que planta nem o que rega são alguma coisa, mas unicamente Deus, que efetua o crescimento" (1 Coríntios 3:7)

Pode ser desanimador quando você fala com as pessoas sobre Cristo e ninguém parece se importar ou escutar. Talvez você tenha tentado compartilhar o Evangelho com os seus familiares, mas eles não corresponderam. Às vezes, você sente vontade de dizer: "Esquece! Se eles não querem ouvir o que eu tenho a dizer, então eu não falo pra mais ninguém!"

Um agricultor pode se sentir desencorajado se, depois de feito o plantio, uma tempestade vier e arrancar todas as sementes. Ou quando uma seca impedir a sua plantação de criar raízes. Mas quando ele tem uma colheita abundante, o esforço todo valeu a pena, e ele se anima a plantar novamente.

Da mesma forma, podemos contar repetidas vezes às pessoas sobre Jesus Cristo, e nada parecer acontecer. Até que um dia, uma pessoa entende e aceita. Então presenciamos a alegria de alguém vindo a Cristo. 

Jesus disse que há alegria no Céu quando um pecador se arrepende (ver Lucas 15:7). Salmo 126:5 diz: "Aqueles que semeiam com lágrimas, com cantos de alegria colherão."

Deus é quem salva as pessoas, não nós. Sei que isso parece óbvio; mas, sinceramente, às vezes esquecemos disso. Deus preparará o coração de uma pessoa para ouvir e receber o Evangelho. Como Jesus disse: "É por isso que eu lhes disse que ninguém pode vir a mim, a não ser que isto lhe seja dado pelo Pai" (João 6:65).

Conversão não é algo que fazemos. Não é algo que alcançamos através de nossas palavras persuasivas ou argumentos inteligentes. O Senhor deve preparar o coração da pessoa com quem estamos falando. Às vezes, semeamos uma pequena semente do Evangelho; e, outras vezes, temos o privilégio de colher onde outros semearam e regaram. Mas é Deus quem faz o trabalho de conversão.

segunda-feira, 23 de novembro de 2020

Representantes de Cristo no Mundo

"E daquele dia em diante, resolveram tirar-lhe a vida" (João 11:53)

Quando viajo, muitas vezes as pessoas me perguntam o que faço para viver. Sinceramente, não gosto de dizer de pronto, porque isso pode criar uma barreira para continuar conversando. Algumas pessoas ficam com raiva quando digo que sou pastor. Sou um representante de Deus para elas, então elas descarregam sua raiva em mim. “Deixe-me fazer algumas perguntas”, dizem. Em seguida, elas disparam sua lista: “Por que Deus faz isso?” “Por que Deus não faz aquilo?” "O que você acha disso?" "O que você acha daquilo?" E, infelizmente, não fazem essas perguntas porque querem ouvir as respostas!

Existem pessoas hoje que odeiam Jesus Cristo e tudo o que Ele representa. Elas desprezam Seus ensinamentos. E se você divulga esses ensinamentos ou tenta viver de acordo com eles, você é classificado como um fanático ignorante, insensível e preconceituoso.

Trata-se de uma maneira de dizer: "Se você não acredita no que eu acredito, se você não acredita que podemos fazer as regras à medida que avançamos, se acredita que existem absolutos, certo e errado, bom e mau, então eu não gosto do que você acredita. E eu sou contra você.”

Jesus disse: "Se o mundo os odeia, tenham em mente que antes odiou a mim. Se vocês pertencessem ao mundo, ele os amaria como se fossem dele. Todavia, vocês não são do mundo, mas eu os escolhi, tirando-os do mundo; por isso o mundo os odeia" (João 15:18-19).

Se você seguir Jesus Cristo e Seus ensinamentos e se posicionar por aquilo acredita, as pessoas irão odiá-lo também. Mas Jesus não disse isso para que subamos em um pedestal e nos consideremos superiores aos outros. Jesus não disse isso como que nos dando carta branca para sermos fariseus preconceituosos julgadores da sociedade. 

Não! Jesus disse isso para entendermos a realidade do mundo em que vivemos e para o qual Ele também nos pediu: "Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem, para que vocês venham a ser filhos de seu Pai que está nos céus. Porque ele faz raiar o seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e injustos." (Mateus 5:44-45)

Amar ao próximo, como Ele nos amou, é ser um representante de Deus. Não tenha vergonha disso. E se você for cristão, também será um representante de Deus. Não queremos ser odiados pelas pessoas, é claro. Mas amar como Ele amou o mundo, isso incomodará as pessoas. 
Se formos apenas preconceituosos e arrogantes, o mundo também nos odiará. Mas, nesse caso, com toda razão!

sexta-feira, 20 de novembro de 2020

Uma Segunda Chance

"De repente, Jesus as encontrou e disse: 'Salve!' Elas se aproximaram dele, abraçaram-lhe os pés e o adoraram" (Mateus 28:9)

A ressurreição de Jesus nos lembra que Deus oferece uma segunda chance. Quando Jesus foi crucificado, foi um choque para os Seus seguidores. Eles simplesmente não pareciam entender que Ele seria crucificado e ressuscitaria no terceiro dia. Quando a crucificação realmente aconteceu, ela abalou sua fé. Mas depois de Sua Ressurreição, vemos o Senhor ressuscitado buscando esses discípulos desencorajados e desanimados para reavivá-los, para reacendê-los.

Com que facilidade Jesus poderia ter descartado todos eles e dito: “Vocês não estiveram comigo na minha hora de maior necessidade; agora não vou apoiá-los na sua." Mas não. O Senhor procurou restaurá-los.

Quando Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus no início da manhã, o anjo disse a ela que o Senhor havia ressuscitado. Então ela e a outra Maria "saíram depressa do sepulcro, amedrontadas e cheias de alegria, e foram correndo anunciá-lo aos discípulos de Jesus. De repente, Jesus as encontrou e disse: 'Salve' [...]" (Mateus 28:8-9). Ela encontrou o Senhor vivo para restaurar sua esperança e propósito na vida.

Tomé perdeu a reunião quando Jesus apareceu aos outros discípulos, mas Ele reapareceu quando Tomé estava novamente com o grupo. Como é gracioso da parte de Jesus, condescender com o ceticismo de um único homem. Quase parece que Ele veio àquela reunião simplesmente para restaurar Tomé. 

Lembra dos dois discípulos desanimados na estrada para Emaús? Ao falar com eles, os seus corações amortecidos começaram a reacender. “Perguntaram-se um ao outro: 'Não estavam ardendo os nossos corações dentro de nós, enquanto ele nos falava no caminho e nos expunha as Escrituras?” (Lucas 24:32). Jesus saiu de Seu caminho, para restaurar a esperança deles. 

Talvez você tenha dúvidas ou medos hoje. O mesmo Jesus que restaurou Maria, os discípulos na estrada para Emaús e o cético Tomé, restaurará a sua fé. Você também pode descobrir que Jesus dá uma segunda chance.

quinta-feira, 19 de novembro de 2020

Jesus e o Cético

"E Jesus disse a Tomé: 'Coloque o seu dedo aqui; veja as minhas mãos. Estenda a mão e coloque-a no meu lado. Pare de duvidar e creia'"(João 20:27)

Depois que Jesus ressuscitou dentre os mortos, a Bíblia nos diz que "mais tarde Jesus apareceu aos onze enquanto eles comiam; censurou-lhes a incredulidade e a dureza de coração, porque não acreditaram nos que o tinham visto depois de ressurreto" (Marcos 16:14).

Estes discípulos, ouvindo o Senhor ressuscitado aparecendo para Maria, não acreditaram. O mais falante do grupo era Tomé. Ele disse: "[...] se eu não vir as marcas dos pregos nas suas mãos, não colocar o meu dedo onde estavam os pregos e não puser a minha mão no seu lado, não crerei" (João 20:25).

Oito dias depois, quando os discípulos (incluindo Tomé) se encontraram sob portas trancadas, Jesus apareceu e disse a Tomé: "Coloque o seu dedo aqui; veja as minhas mãos. Estenda a mão e coloque-a no meu lado. Pare de duvidar e creia" (versículo 27). "Disse-lhe Tomé: 'Senhor meu e Deus meu!'" (versículo 28). Naquele dia, Tomé, o cético, tornou-se Tomé, o crente.

Deus pode pegar uma pessoa cética e transformá-la em crente. Como é que eu sei disso? Porque ele fez isso comigo. Não havia pessoa mais cética do que eu. Depois de tudo o que vi e ao que fui exposto, fiquei muito cético quando ouvi pela primeira vez as promessas e reivindicações de Cristo.

O cético pensa: "Mostre-me, e eu acreditarei." Mas eu digo: "Acredite, e Ele vai te mostrar." Aquele que está disposto a dar esse passo de fé e acreditar, ficará surpreso com o que Deus fará.

Deus pode mudar os céticos — se eles vierem até Ele.

quarta-feira, 18 de novembro de 2020

Nada Parecido Com Isso

"Pois onde se reunirem dois ou três em meu nome, ali eu estou no meio deles" (Mateus 18:20)

Acho que os cristãos têm as melhores canções de qualquer religião na terra. A fé cristã é uma fé cantante, o que não é necessariamente verdadeiro para outras religiões. Elas podem cantar e podem gemer como se estivessem se penitenciando. Podem ter suas várias formas de música, mas não há fé tão cheia de cantos vibrantes e alegres como a cristã. O cristianismo não é uma fé de penitência!

Quando nos reunimos com o povo de Deus em adoração, algo maravilhoso acontece. Deus manifesta Sua presença de uma maneira única quando o Seu povo vem para honrar o Seu nome. Como Jesus disse: “Pois onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estarei eu no meio deles” (Mateus 18:20).

Deus é onipresente, o que significa que Ele está em toda parte. Ele está tão presente conosco quando estamos no ônibus, quanto quando estamos em um culto na igreja. Por outro lado, quando nos reunimos com outros que acreditam e elevamos o Seu nome juntos em louvor, Deus abençoa de uma maneira especial. Ele manifesta a Sua presença e até mesmo a Sua glória. Não há nada no mundo como a adoração. É uma sensação de realização quando fazemos o que fomos criados para fazer, que é glorificar a Deus.

A Bíblia nos diz em Apocalipse 15:2-3: "Vi algo semelhante a um mar de vidro misturado com fogo, e, de pé, junto ao mar, os que tinham vencido a besta, a sua imagem e o número do seu nome. Eles seguravam harpas que lhes haviam sido dadas por Deus, e cantavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro: 'Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus Todo-Poderoso. Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei das Nações." Isso quer dizer que cantaremos no céu. Então, vamos começar já na Terra!

A igreja cheia do Espírito será uma igreja de adoração. E o cristão cheio do Espírito será um cristão adorador

terça-feira, 17 de novembro de 2020

Por Que Devemos Nos Importar?

"Então disse aos seus discípulos: 'A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos" (Mateus 9:37)

É incrível como quando os pais pedem aos seus filhos adolescentes para limparem os seus quartos ou levarem o lixo para a rua, eles dizem: “tô ocupado ou  não tenho tempo agora.” Mas se aparecer algum convite que eles tenham interesse eles, de repente e misteriosamente, terão tempo nas suas atarefadas agendas. 

Não é sobre ter tempo, é sobre falta de vontade ou de interesse. Eles não limpam os seus quartos nem levam o lixo para a rua, porque simplesmente não querem. 

Isto é motivação. Precisamos ter motivação para fazer algo. Se não estivermos motivados, não faremos nada. 

Vamos expandir isto para o campo espiritual. Quando se trata de compartilhar a nossa fé e alcançar outros com o evangelho, encontramos um monte de desculpas para não fazê-lo. 

Jesus nos contou a história das dez noivas, cinco das quais eram prudentes e cinco insensatas. As cinco que eram prudentes levaram óleo para as suas candeias, enquanto as cinco insensatas não. À meia-noite, quando o noivo estava vindo, aquelas que estavam ficando sem óleo disseram, “Deem-nos um pouco do seu óleo, pois as nossas candeias estão se apagando” (Mateus 25:8). 

Mas as outras responderam, “Não, pois pode ser que não haja o suficiente para nós e para vocês. Vão comprar óleo para vocês” (verso 9). De outra forma, disseram: “Isso não é problema nosso. Nós nos preparamos. Estamos felizes. Resolvam vocês mesmas os seus problemas.” 

Honestamente, é assim que muitas pessoas na igreja se sentem. Falar sobre a necessidade por evangelismo, ou criar ações para mobilizar a igreja, não produz efeito se carecermos de algo simples: responsabilidade e preocupação pelos descrentes.

segunda-feira, 16 de novembro de 2020

Deus Sempre Cumpre o Que Promete

"Desde aquele momento Jesus começou a explicar aos seus discípulos que era necessário que ele fosse para Jerusalém e sofresse muitas coisas nas mãos dos líderes religiosos, dos chefes dos sacerdotes e dos mestres da lei, e fosse morto e ressuscitasse no terceiro dia" (Mateus 16:21)

Ouvi falar de um sujeito que atravessava o país viajando. Depois de aterrissar no aeroporto, foi à esteira de bagagem e pegou suas malas. Então chamou um táxi e sentou-se no banco de trás. Depois de algum tempo de corrida, ele tinha uma pergunta para fazer ao motorista. Então cutucou o sujeito no ombro. O motorista teve um surto, gritou e derrapou cruzando quatro faixas da rodovia.

Depois de recuperar o fôlego, o sujeito no banco traseiro perguntou ao taxista: "O que foi isso?" O taxista respondeu: "O senhor me perdoe: fui motorista numa funerária por quarenta anos. Este é o meu primeiro dia de táxi."

Quando se dirige um carro funerário ninguém espera um cutucão no ombro. E quando alguém morre não se espera que reviva.

Jesus alertou os Seus discípulos que iria morrer. Também prometeu que ressuscitaria. Em Mateus 16:21, lemos que "Jesus começou a explicar aos seus discípulos que era necessário que ele fosse para Jerusalém e sofresse muitas coisas nas mãos dos líderes religiosos, dos chefes dos sacerdotes e dos mestres da lei, e fosse morto e ressuscitasse no terceiro dia."

Dava para ser mais específico? E ainda assim os discípulos não entenderam. Deixaram de pegar o recado coletivamente. Mas três dias depois que Jesus foi crucificado, Ele ressuscitou, como havia dito que o faria.

Eis do que precisamos nos lembrar: Deus sempre cumpre o que promete.

Se Deus diz que algo vai acontecer, algo acontece. Deus nos disse que Seu Filho viria a esta terra. Aconteceu. Deus nos disse que Seu Filho seria crucificado. Aconteceu. Deus nos disse que Seu Filho ressuscitaria. Aconteceu.

E Deus nos disse que Seu Filho voltará novamente a esta terra. Vai acontecer. Muito possivelmente será logo.

Que outras promessas Deus fez a você nas páginas das Escrituras? Pense nelas hoje, e confiantemente saiba que Ele vai cumpri-las.

sexta-feira, 13 de novembro de 2020

Ele Nos Ama

"No entanto, quando ouviu falar que Lázaro estava doente, ficou mais dois dias onde estava." (João 11:6)

Lázaro estava doente. Mas, em vez de ir vê-lo em Betânia, Jesus esperou intencionalmente mais dois dias. Ele, então, chegou a Betânia quatro dias após a morte de Lázaro.

Às vezes, pode parecer que Jesus é completamente indiferente aos nossos problemas, ou que Ele não faz o que esperamos que Ele faça.

Marta e Maria esperavam que Jesus curasse o seu irmão Lázaro. Talvez até pensaram: "Ele vai nos decepcionar. Talvez orar não funcione."

Mas João 11:5 nos diz: “Jesus amava Marta, a irmã dela e Lázaro.” Jesus demorou para chegar em Betânia, mas lemos que Ele amava Marta, Maria e Lázaro.

No texto original, a palavra amor é a palavra grega ágape, que significa um amor sacrificial, independente se é ou não correspondido. É a mesma palavra usada em João 3:16, que diz: "Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna." Jesus morreu por cada pessoa. Deus nos ama independente de quem somos ou se O amamos.

Curiosamente, quando Marta e Maria mandaram avisar que Lázaro estava doente, elas disseram: “Senhor, aquele a quem amas está doente” (João 11:3). A palavra que elas usaram para amor é a palavra grega phileo. É um “amor fraternal”, o amor entre amigos.

Marta e Maria pensaram apenas na amizade, mas Jesus pensou no amor sacrificial. Elas estavam pensando apenas em seu conforto temporal, mas Jesus estava pensando em seu benefício eterno. Elas queriam uma cura; Ele queria uma ressurreição. Jesus queria fazer muito além do que elas poderiam pedir ou pensar.

quinta-feira, 12 de novembro de 2020

Ele Sabe o Melhor

"Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito" (Romanos 8:28)

Existem algumas coisas deste lado do céu que nunca vou entender. Mas quando eu não sei de algo, eu volto para o que sei. Há momentos em que alguém pergunta: "Greg, por que Deus fez isso?"

E muitas vezes eu digo: "Não sei. Eu simplesmente não posso responder a isso. Mas eu sei disso: Deus ama você. Deus é mais sábio do que você. E Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito."

É durante esses tempos difíceis que devemos andar pela fé. Não entendemos, e há uma turbulência ocorrendo. Mas não sabemos o que Deus tem reservado.

Talvez você tenha sofrido um revés em sua vida. As coisas estavam indo bem e, de repente, tudo mudou. Você se pergunta: “O que é tudo isso? Como isso poderia resultar em algo bom?”

Acho que José deve ter se sentido assim. Ele era fiel ao Senhor, mas parecia que tinha sofrido contratempos e se aprofundava cada vez mais em seus problemas. Mas cada revés na verdade, foi um trampolim para um plano maior que Deus tinha reservado para ele. Isso fez com ele fosse usado por Deus de uma maneira mais poderosa, do que qualquer outra coisa que José poderia ter feito.

Um dia seremos capazes de olhar para trás e dizer: "Agora sei por que o Senhor fez isso e por que Ele fez aquilo." Para alguns de nós, esse dia será somente do outro lado, na eternidade, quando pudermos olhar para trás e entender tudo.

Não vemos o todo. Mas o grande conforto é que Aquele que faz e controla todas as circunstâncias, sabe o que é melhor e agirá de acordo. Ele fará a coisa certa.

quarta-feira, 11 de novembro de 2020

Deus Vai com Você

"O chefe dos oficiais deu-lhes novos nomes: a Daniel deu o nome de Beltessazar; a Hananias, Sadraque; a Misael, Mesaque; e a Azarias, Abede-Nego" (Daniel 1:7)

Nabucodonosor até poderia mudar os seus nomes, mas não poderia mudar os seus corações. Daniel, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego tinham um Deus a servir e um compromisso a honrar.

O poderoso rei fez um chamado aos jovens mais nobres de Israel. Ele queria os melhores. Ele queria submetê-los a uma lavagem cerebral nos moldes da Babilônia. E queria que eles abandonassem o Deus de Abraão, Isaque e Jacó e que servissem os deuses da Babilônia.

A antiga Babilônia era uma maravilha aos olhos, com uma opulência de cair o queixo. Porém, não havia adoração ao Senhor naquele lugar. Todo mundo tinha um absoluto medo do rei Nabucodonosor.

Muitos comentaristas da Bíblia acreditam que Daniel, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego estavam com idades ao redor de 14 a 19 anos. Era bons garotos judeus que haviam sido criados por seus pais nos caminhos de Deus. Mas o seu mundo, da maneira como o conheciam, havia mudado do dia para a noite. Separados de suas famílias, foram colocados em uma cultura estrangeira de paganismo e luxo sem precedentes. Até aquele momento, eles haviam vivido em condições simples. E de repente, eles se encontraram no palácio do homem mais poderoso da terra naquela época.

Talvez o seu mundo tenha mudado recentemente. Talvez você estivesse indo numa certa direção e de maneira inesperada encontrou-se indo para um outro caminho. Talvez tenha começado a viver em um lugar que seja completamente desconhecido até o momento, que não dê suporte a nenhum valor cristão. Talvez o seu trabalho o tenha feito mudar de cidade ou até de país.
Aqui está o que você precisa saber: Seja lá aonde for, Deus vai com você. Ele não mora em um único lugar. Ele está presente com Seus filhos. E Ele não esqueceu de você.

terça-feira, 10 de novembro de 2020

Tirando o Ferrão

"Onde está, ó morte, a sua vitória? Onde está, ó morte, o seu aguilhão?" (1 Coríntios 15:55)

Na versão King James da bíblia, a palavra inglesa traduzida como aguilhão é sting, que pode também ser traduzida como picada ou ferrão.

Você já foi picado por uma abelha? Não é uma experiência divertida. Mas embora seja dolorosa para a pessoa que está sendo picada, é fatal para a abelha.

Quando uma abelha pica uma pessoa, ela não consegue puxar seu pequeno ferrão farpado de volta. Esta é uma experiência única para ela. É melhor ela pensar bem sobre quem vai picar, porque não vai sobreviver.

Quando uma abelha lhe pica, não só o ferrão fica em você, mas também parte de seu abdômen e trato digestivo, bem como nervos e músculos. Essa ruptura abdominal maciça mata a abelha logo após a picada.

Foi o que aconteceu quando Jesus morreu na cruz. Em seu ódio pelo Filho de Deus, Satanás pensou que seria uma ótima ideia Jesus ser traído, preso, espancado até a morte e, em seguida, crucificado e morto na cruz romana. O diabo disse: “Este é o meu momento. Eu vou picá-lo. Terei um papel sobre a Sua morte. Quando Ele morrer, será o fim Dele.” Tudo correu de acordo com o plano de Satanás e, como uma abelha, ele saiu voando pensando que havia conseguido.

Mas na verdade tudo correu de acordo com o plano de Deus, e o aguilhão da morte foi sua própria derrota. Como 1 Coríntios 15:54-55 diz: "[...] A morte foi destruída pela vitória. Onde está, ó morte, a sua vitória? Onde está, ó morte, o seu aguilhão"

Onde está o aguilhão da morte para o crente? Está arrancado, porque na cruz, Jesus tirou o aguilhão da morte. Esta é uma grande verdade. Como cristãos, não precisamos mais temer a morte porque a nossa alma viverá para sempre com Cristo.

segunda-feira, 9 de novembro de 2020

A Bicicleta Fantasma

"Respondeu Jesus: 'Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim" (João 14:6)

Uma vez quando eu estava viajando, peguei um táxi para o aeroporto para o meu vôo de volta. O nome do motorista de táxi era Tom. Estávamos apenas conversando, quando passamos por uma "bicicleta fantasma".

Você sabe o que é uma bicicleta fantasma? É uma bicicleta pintada de branco e colocada na beira da estrada para homenagear alguém que morreu ali num acidente de bicicleta.

Eu disse em voz alta: "Isso é tão triste." Tom disse: “Sim. Tive um amigo que foi morto nesta estrada. Muitas pessoas morreram andando de bicicleta nesta rodovia.” Então eu perguntei: "Tom, o que você acha que acontece depois que morremos?"

Tom me disse que acreditava na reencarnação e que voltaremos como outra forma de vida. Ele continuou explicando isso um pouco. Eu não o interrompi. Eu não o contradisse. Eu apenas escutei. Então, quando terminou, ele me disse: "Bem, o que você acha que acontece depois que morremos?" Nunca faça uma pergunta como essa para um pregador. A menos que queira um sermão!

Bem, Tom conseguiu um mini-sermão. Eu disse: “Tom, creio que se você colocar a sua fé em Jesus Cristo, irá para o céu. E um dia eu acredito que o Céu voltará à terra e estaremos com Cristo por toda a eternidade.”

Tom disse: “Cara, gosto mais da sua versão da vida após a morte do que da minha.” Eu disse: “Essa não é a minha versão, Tom. Essa é a versão da Bíblia. Isso é o que Jesus disse.”

Tom então disse: "Sabe, é engraçado - minha esposa sempre me chama de Tomé das Dúvidas". Então, contei a ele a história de Tomé na Bíblia. Você se lembra que foi para Tomé que Jesus disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim”?

Foi uma boa conversa.

Dizer que Jesus é o único caminho para o céu, não é uma coisa muito popular na sociedade de hoje. Mas ouça: você acha que se todas as estradas conduzissem ao mesmo destino e se viver uma boa vida pudesse levá-lo para o Céu, Deus teria derramado o Seu julgamento sobre o Seu próprio Filho amado? Claro que não. Não havia outra maneira de satisfazer as Suas justas exigências. Nem por boas obras, nem por reencarnação, nem por carma, por pensamento positivo ou por qualquer outra coisa. Apenas pela morte e ressurreição de Jesus Cristo.

Jesus morreu em nosso lugar e ressuscitou dos mortos naquela primeira manhã de Páscoa. Agora temos esperança de uma vida além do túmulo.

sexta-feira, 6 de novembro de 2020

Confie no Tempo de Deus

"O Senhor não demora em cumprir a Sua promessa, como julgam alguns. Pelo contrário, Ele é paciente com vocês, não querendo que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento" (2 Pedro 3:9)

A conversão pode acontecer instantaneamente. Alguns têm dificuldade em acreditar nisso, especialmente quando ouvem falar de alguém que se converteu mesmo tendo cometido um crime terrível.

Eles podem dizer: "Bem, isso não é conveniente? Duvido que essa pessoa tenha realmente se tornado cristã. Talvez não, talvez sim. A conversão pode ocorrer instantaneamente na vida de qualquer pessoa.

É interessante notar que ambos os criminosos que foram crucificados com Jesus ouviram Ele dizer: "Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo" (Lucas 23:34). No entanto, um acreditou e o outro não. Esse é o mistério do evangelho. Pode-se ouvir o evangelho proclamado e dizer: "Sim, eu creio nisso" e entregar a sua vida a Cristo. Pode-se ouvir a mesma mensagem, permanecer absolutamente impassível e continuar em seu pecado.

"Um dos criminosos que ali estava dependurado, lançava-lhe insultos: 'Você não é o Cristo? Salve-se a si mesmo e a nós!' Mas o outro criminoso o repreendeu, dizendo: 'Você não teme a Deus, nem estando sob a mesma sentença? Nós estamos sendo punidos com justiça, porque estamos recebendo o que os nossos atos merecem. Mas este homem não cometeu nenhum mal'" (versículos 39-41).

Então ele se virou para Jesus e disse: "Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu Reino". (versículo 42). Eis um homem no lugar certo na hora certa. Este homem se deparava com a separação eterna de Deus enquanto era crucificado ao lado do Deus encarnado, que o perdoou ali mesmo. Jesus absolveu-o de todo o pecado, e estava pronto para levá-lo para o paraíso com Ele.

Deus deseja que as pessoas se convertam, mas Ele também tem o Seu tempo. Não sei quando será, mas temos que deixá-lo nas mãos de Deus.

quinta-feira, 5 de novembro de 2020

Um Requisito Para a Pregação

"Ao ver as multidões, teve compaixão delas, porque estavam aflitas e desamparadas, como ovelhas sem pastor" (Mateus 9:36)

Aonde quer que Jesus fosse em Sua pregação terrena, era cercado de gente puxando e empurrando, sempre querendo algo d'Ele. Queriam curas, como a mulher que tinha gasto todo o seu dinheiro com médicos e continuava doente. Ou Jairo, que foi até o Senhor por causa da filha que havia morrido e queria que Jesus a ressuscitasse dos mortos. Tantos outros queriam um toque do Salvador.

Jesus enxergava suas necessidades mais profundas. Ele via onde é que mais doía nas pessoas. Via por trás da fachada, por trás dos mecanismos de defesa que elas armavam. Via o choro real de seus corações. Ele as via como ovelhas sem pastor, como pessoas desgarradas, cada uma seguindo o próprio caminho. E tinha compaixão por elas.

Se você quiser ser usado por Deus de qualquer modo que seja, tem de desenvolver algo chamado compaixão. Vemos um padrão de compaixão em toda a pregação de Jesus. Vemos isso quando Ele falou com a mulher no poço de Samaria. A Bíblia diz que "Era-lhe necessário passar por Samaria" (João 4:4). Normalmente judeus não iam à Samaria, pois havia um profundo preconceito racial entre samaritanos e judeus que passava de geração a geração. Mas apesar de Sua atribulada agenda e de tudo que Ele tinha para fazer, Jesus sabia que havia uma mulher solitária, desgastada e sofrida que estaria esperando no poço.

Às vezes vemos os descrentes como inimigos. "Olha só esses pecadores. Olha o que eles fazem". Mas vamos nos lembrar uma coisa: Por trás do pecado há uma pessoa vazia, à procura, perdida, mas que Deus ama.

Somos chamados a atrair essas pessoas com a mensagem do evangelho, mas precisamos de compaixão. Jesus tinha compaixão transbordando de Sua vida. E nós?

quarta-feira, 4 de novembro de 2020

A Decisão Que Cada Um de Nós Tem Que Tomar

"Perguntou Pilatos: 'Que farei então com Jesus, chamado Cristo?' Todos responderam: 'Crucifica-o!'" (Mateus 27:22)

A indecisão é algo que todos experimentamos. O que devo vestir? O que devo fazer em tal situação? Às vezes, a indecisão tem consequências significativas.

Quando está indeciso, você tenta viver em dois mundos. Você tenta apaziguar a todos. Isso é o que Pôncio Pilatos tentou fazer. E em Mateus 27, vemos como a sua indecisão levou a consequências significativas. Ele queria que outras pessoas ficassem satisfeitas com sua decisão. Ele queria que todos se dessem bem. Como resultado, ele não estava disposto a decidir o que era realmente certo.

Pilatos não percebeu o que realmente estava acontecendo. Na verdade, não era Jesus diante de Pilatos; era Pilatos diante de Jesus. Pilatos estava sendo julgado e perdeu uma oportunidade de ouro de acreditar, uma oportunidade de ouro de confiar naquele que veio para morrer por toda a humanidade.

Pilatos teve que decidir por si mesmo e responder a uma pergunta que todos eventualmente deveriam enfrentar: “Que farei então com Jesus?”

Ele ouviu muitas vozes naquele dia. Ele ouviu a voz da multidão dizendo: "Crucifica-o!" Ele ouviu a voz de sua esposa dizendo: "Não se envolva com este inocente." Ele certamente deve ter ouvido a voz de sua própria consciência atestando a inocência de Jesus. E ouviu a voz do próprio Jesus. Infelizmente, Pilatos deu ouvidos à voz errada. Foi uma decisão da qual sem dúvida, se arrependeria pelo resto da vida.

Cada um de nós deve entender o que faremos com Jesus. No entanto, como Pilatos, muitas pessoas permitem que outros pensem por elas. Elas permitem que outros tomem decisões por elas. E no final pagam por tudo. Espero que você não deixe isso acontecer também com você.

terça-feira, 3 de novembro de 2020

O Plano de Deus Desde o Início

"Todos os habitantes da terra adorarão a besta, a saber, todos aqueles que não tiveram seus nomes escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a criação do mundo." (Apocalipse 13:8)

Alguns pensam que a crucificação de Jesus foi uma interrupção grosseira do que parecia ser o ministério de um grande mestre humanitário e moral. Mas a Bíblia nos diz algo diferente: a cruz era o objetivo de Jesus desde o início.

Os sábios trouxeram-lhe presentes incomuns de ouro, incenso e mirra. Eles Lhe trouxeram ouro porque Ele seria um rei, incenso porque Ele seria um sumo sacerdote entre nós e o Pai, e mirra, um elemento de embalsamamento, porque Ele iria para a cruz.

Mesmo antes de Seu nascimento em Belém, uma decisão foi tomada no céu de que Deus teria que vir à terra e tomar medidas drásticas por causa do dilema em que a humanidade se meteu no Jardim do Éden. Foi tomada a decisão de que Jesus viria à terra e iria para a cruz. Apocalipse 13:8 diz que Ele é o “Cordeiro que foi morto desde a criação do mundo.”

E no emocionante relato do Velho Testamento sobre Abraão e seu filho amado, Isaque, temos uma imagem clássica do que aconteceu na cruz da perspectiva de Deus. O nome de Isaque na realidade significa "riso", e foi isso que ele trouxe para a casa dos idosos Abraão e Sara. Então imagine que choque deve ter sido quando Deus veio a Abraão um dia e disse-lhe para pegar o seu filho amado e oferecê-lo em sacrifício.

Não havia nada maior que Deus pudesse ter pedido a Abraão. E quando Abraão levou Isaque para aquele lugar de sacrifício, ele profeticamente disse: “Deus mesmo há de prover o cordeiro para o holocausto, meu filho” (Gênesis 22:8).

Isso é exatamente o que aconteceu na cruz. Deus providenciou para Si mesmo o Cordeiro quando deu Seu Filho - Seu único Filho, a quem Ele amou - por nós.

segunda-feira, 2 de novembro de 2020

A Segunda Maior Alegria da Vida

"Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou de antemão para que nós as praticássemos" (Efésios 2:10)

Quando comecei a ir à igreja, aquilo tudo era um mundo novo para mim. Eu não tinha nenhum conhecimento da Bíblia e da igreja em geral. Não fui criado na igreja quando criança, apesar de até ter ido algumas vezes. Eu não estava acostumado com o modo pelo qual cristãos pensam e tomam decisões. E eu estava de certa forma impressionado com a linguagem um tanto quanto 'criptografada' que usavam entre eles. Eles falavam sobre bênção, persuasão, fardos e discernimento. Eu queria aprender aquela linguagem. Eu queria aprender mais sobre o Senhor. E o mais importante: eu queria ter um relacionamento com Deus. Eu simplesmente queria mais.

E então havia meus antigos amigos. Eu queria ser cristão, queria aprender sobre a Bíblia, queria conhecer a Deus, mas também queria me encaixar nos padrões dos meus amigos. Ser tratado como um fanático por eles era a última coisa que eu queria. Por um período curto de tempo, tentei desesperadamente viver em ambos os mundos, mas logo descobri que aquilo não iria funcionar.

Deus estava mudando o meu coração e eu quis alcançar outras pessoas com a mensagem do Evangelho. Eu queria ser usado por Ele. E como eu sempre digo: junto ao fato de ser cristão, a maior alegria que tenho em minha vida é servir ao Senhor. É ter Deus dirigindo os meus passos. Pode ser pregando, ou pode ser em uma conversa individual em que Deus nos guie e nos dê a direção.

E me deixa maravilhado o fato de que o Criador do universo, o Deus Todo-Poderoso, convalesce-se por trabalhar em nossas vidas e dizer: "Quero direcionar você a ir por este caminho e fazer isso e aquilo mais." O fato de Deus querer nos usar é o privilégio mais alto que podemos conceber.