sexta-feira, 23 de outubro de 2020

Quando Não Sabemos o Por quê

"Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus" (Filipenses 4:6,7)

Não tenho explicações claras e organizadas para tudo o que enfrentamos na vida. Se você tivesse me procurado quando comecei a pregar, no final da adolescência e início dos 20 anos, e me perguntasse por que algo aconteceu daquela maneira, eu lhe responderia. Mas agora que tenho pregado por um tempo, não tenho todas essas respostas.

Existem coisas que acontecem que não posso explicar. Mas sei que podemos agradecer - não pelas dificuldades, mas porque Deus ainda está no trono. Deus pode até mesmo conduzir tudo para o bem de nós, que O amamos. Podemos agradecer porque a palavra "putz" não está no vocabulário de Deus. Podemos agradecer porque não importa o que aconteça conosco nesta terra, ainda temos a esperança do céu.

A Bíblia diz: “Deem graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus” (1 Tessalonicenses 5:18) e "não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus” (Filipenses 4:6). Devemos dar graças, não por nossos problemas, mas pelo fato de que Deus ainda está no controle.

Quando ficamos doentes, oramos para que Deus nos cure, e muitas vezes Ele o faz. No entanto, às vezes Ele não cura. Por quê? Porque existe algo nesta terra chamado pecado, e todos nós vivemos sob a maldição dele. Todos temos que morrer mais cedo ou mais tarde. É uma tragédia.

Mas aqui estão as boas notícias. Como cristãos, iremos para o céu, não importa o que aconteça. Pode ser difícil, mas iremos para o Céu. Veremos o Senhor e todas as nossas perguntas serão respondidas.

quinta-feira, 22 de outubro de 2020

Proteção dos Anjos

"O anjo do Senhor é sentinela ao redor daqueles que o temem, e os livra" (Salmos 34:7)

John G. Patton era um missionário que morava nas Ilhas Novas Hébridas com sua esposa e filhos. Uma noite, nativos hostis cercaram a estação da missão, determinados a assassiná-lo com a sua família. Primeiro, eles planejaram queimá-los e, depois, pretendiam matá-los. Durante aquela noite cheia de terror, Patton e sua esposa oraram para que Deus os libertasse. E quando amanheceu, eles ficaram surpresos ao descobrir que seus atacantes haviam partido.

Um ano depois, o chefe da tribo que pretendia matar os Patton tornou-se cristão. Então Patton perguntou ao chefe o que aconteceu na noite em que eles planejaram matá-los e por que eles voltaram.

O chefe disse: "Quem eram todos aqueles homens que você tinha com você lá?"

Patton não conhecia nenhum homem que estivesse com ele. O chefe continuou explicando como eles viram centenas de homens grandes em trajes brilhantes ao redor da estação da missão, então eles ficaram com medo de atacar.

Será este um exemplo moderno de proteção angelical na vida de um cristão? É bem possível. A Bíblia ensina que os anjos sempre estiveram envolvidos na vida do povo de Deus... e continuam envolvidos até os dias de hoje.

O Salmo 34:7 nos dá esta grande promessa: “O anjo do Senhor é sentinela ao redor daqueles que o temem, e os livra.” E Hebreus 1:14, descrevendo anjos, diz: “Os anjos não são, todos eles, espíritos ministradores enviados para servir aqueles que hão de herdar a salvação?”

Em outras palavras, Deus está dizendo que enviou Seus anjos para ministrar a nós como crentes. Ele os enviou para nos proteger e até para nos libertar, quando estamos em uma situação difícil. E quando chegar o dia para irmos ao encontro do Senhor, eles nos conduzirão à presença de Deus.

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

Viver Com Propósito

"Este, ali chegando e vendo a graça de Deus, ficou alegre e os animou a permanecerem fiéis ao Senhor, de todo o coração" (Atos 11:23)

O psicólogo William Moulton conversou com 3.000 pessoas e lhes perguntou: "Você vive para quê?"

Ele ficou espantado ao descobrir que, das pessoas que responderam, 94% estavam apenas enfrentando o presente enquanto aguardavam o futuro. Elas descreviam isso como aguardar que algo acontecesse. Aguardavam que os filhos crescessem, aguardavam o ano seguinte, aguardavam a hora de fazer uma sonhada viagem. Aguardavam o amanhã.

Podemos passar a vida inteira aguardando que algo aconteça. E, enquanto isso as nossas vidas passam. Não temos propósito. Não temos direção. Estamos jogando a vida fora.

Como disse alguém: "Alguns morrem de tiros, outros morrem de explosões; a maioria morre devagar, jogando distrações." 

Propósito é vital. É uma âncora na tempestade. É uma base na batalha.

Lemos no Novo Testamento que, quando Barnabé visitou os fiéis na Antioquia, ele "os animou a permanecerem fiéis ao Senhor, de todo o coração" (Atos 11:23).

Efésios 2:1-2 nos descreve ante nosso compromisso com Cristo: "Vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados, nos quais costumavam viver, quando seguiam a presente ordem deste mundo e o príncipe do poder do ar, o espírito que agora está atuando nos que vivem na desobediência."

Era como vivíamos. Mas aí soubemos que havia um Deus. Descobrimos a Sua Palavra. Encontramos aí valores absolutos com os quais viver a vida: certo e errado, verdadeiro e falso, preto e branco. Tornamo-nos homens e mulheres com propósito.

As outras pessoas sabem o que mantém você de pé? Se nada mantiver você de pé, qualquer coisa vai derrubá-lo.

terça-feira, 20 de outubro de 2020

Precisamos de Propósito

"Daniel, contudo, decidiu não se tornar impuro com a comida e com o vinho do rei, e pediu ao chefe dos oficiais permissão para se abster deles." (Daniel 1:8)

Em Daniel 1, lemos como o rei Nabucodonosor trouxe Daniel e seus três amigos, Sadraque, Mesaque e Abed-Nego, para a sua corte e testou a lealdade deles a Deus, oferecendo-lhes iguarias babilônicas. Você pode ter certeza de que era uma das melhores comidas da terra.

Mas Daniel e seus amigos não comeram as iguarias, porque para eles isso era uma questão de princípios. Pode ser porque a comida era dedicada a deuses pagãos ou porque parte dela era proibida pela Lei Mosaica, e eles eram judeus. Seja qual for o caso, eles estavam dispostos a ser leais a Deus.

Pode parecer que eles foram muito legalistas, mas foi esse compromisso que lhes fortaleceu para enfrentar os desafios que surgiram mais tarde na vida. Se Sadraque, Mesaque e Abed-Nego tivessem falhado nesse teste, eles nunca teriam conseguido ficar firmes quando chegou a hora de se curvarem diante do rei. Eles teriam cedido à pressão e se curvado diante do ídolo de ouro que o rei havia erguido. Mas quando todos se curvaram, eles se levantaram porque eram homens de propósito.

E se Daniel não tivesse passado neste teste, ele não teria tido coragem para se levantar, ou no caso dele, para se ajoelhar e orar a Deus, mesmo que o rei tivesse assinado um decreto que tornava esse ato ilegal.

Esses eram homens de propósito. Você é um homem ou uma mulher de propósito? Sem propósito e direção, a vida é um desperdício.

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

A Mensagem da Cova dos Leões

"E, chegando-se à cova, chamou por Daniel com voz triste; e disse o rei a Daniel: Daniel, servo do Deus vivo, dar-se-ia o caso que o teu Deus, a quem tu continuamente serves, tenha podido livrar-te dos leões?" ( Daniel 6:20)

A Bíblia conta a história de um homem que colocou sua fé na linha. Como diz a Bíblia, ele: “crera no seu Deus.” (Daniel 6:23).

Daniel foi elevado a uma posição de grande destaque. Dario, o governante da Babilônia, viu a integridade e o valor desse homem que havia falado com tanta ousadia a palavra de Deus. O rei estava se preparando para torná-lo primeiro-ministro, o que significava que Daniel seria o homem mais poderoso de todo o reino, depois do próprio rei Dario.

Mas os inimigos de Daniel estavam com raiva. Eles estavam com inveja. Mesmo assim, eles não conseguiram encontrar nada de errado nele. Eles sabiam que não poderiam parar Daniel, a menos que tivessem algo a respeito dele e de seu Deus. Então, eles convenceram Dario a assinar um decreto segundo o qual nenhum homem poderia invocar nenhum deus, exceto o rei, por trinta dias. E, então, o rei aprovou uma lei proibindo a oração a qualquer deus.

O que Daniel fez? Ele não mudou nada. Ele orou de qualquer maneira. A armadilha estava armada e o rei ficou angustiado porque nem mesmo ele poderia mudar o seu próprio decreto. Então, ele enviou Daniel para a cova dos leões. Mas Deus fechou a boca dos leões e Daniel foi libertado.

É importante notar que Deus não manteve Daniel fora da cova dos leões. Ele tinha o poder para isso, com a mesma certeza que tem o poder de mantê-lo longe de qualquer dificuldade que você possa enfrentar. Mas Deus consentirá que o Seu povo passe por dificuldades.

Todos neste planeta enfrentam dificuldades na vida. Todo mundo enfrenta dificuldades. Mas os cristãos têm esperança de que, não importa o que aconteça, Deus nos ajudará. Essa é a grande mensagem que ressoa na cova dos leões. Deus estará conosco em meio a nossas adversidades e dificuldades.

sexta-feira, 16 de outubro de 2020

A Última Coisa que Deus Quer que Façamos

"Diga-lhes: 'Juro pela minha vida, palavra do Soberano Senhor, que não tenho prazer na morte dos ímpios, antes tenho prazer em que eles se desviem dos seus caminhos e vivam. Voltem! Voltem-se dos seus maus caminhos! Por que iriam morrer, ó nação de Israel?" (Ezequiel 33:11)

Quando o profeta Jonas muito relutou a ir à cidade de Nínive e anunciar que Deus os julgaria em 40 dias, o rei de Nínive se arrependeu de seus pecados e deu o exemplo a seus comandados. Todos se arrependeram de seus pecados e o julgamento de Deus foi retirado.

Da mesma forma, Deus disse ao povo durante os tempos de Noé que o julgamento estava a caminho, mas se passaram 120 anos antes de isto de fato acontecer.

A Bíblia diz: "Quando os crimes não são castigados logo, o coração do homem se enche de planos para fazer o mal." (Eclesiastes 8:11). Se nós passamos despercebidos por algo, podemos pensar que nunca seremos pegos. Mas uma coisa é certa: pode ser em 10 minutos, horas ou anos - Deus manterá a Sua palavra. Iremos colher o que plantamos.

Deus não tem pressa em nos julgar. Mas ao mesmo tempo, chega o momento em que é batido o martelo e chega a nossa vez. Veja, Deus não quer nos julgar. Ele diz: "não tenho prazer na morte dos ímpios, antes tenho prazer em que eles se desviem dos seus caminhos e vivam." (Ezequiel 33:11). A Bíblia também diz que Deus "é paciente com vocês, não querendo que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento." (2 Pedro 3:9)

A última coisa que Deus quer é julgar você. A última coisa que Ele quer é ver você indo para o Inferno. A última coisa que Ele quer ver é sua vida sendo desperdiçada e jogada fora. Você foi feito à Sua imagem. Ele se importa com você. E é por isso que Ele enviou o Seu filho para morrer na cruz no seu lugar e no meu.

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

O Segredo de Um Casamento e de Uma Família Feliz

"O casamento deve ser honrado por todos; o leito conjugal, conservado puro [...]" (Hebreus 13:4)

Um tempo atrás eu estava assistindo a uma entrevista na TV, quando o entrevistador perguntou a um pastor: "Você não acha que está na hora de fazer a Bíblia voltar com tudo e impactar enormemente o século XXI?" Na hora me deu vontade de pular pra dentro da TV! Eu tive vontade de entrar pela tela da TV e dizer: "Não! É hora de fazer as pessoas deste século buscarem enormemente o que a Bíblia ensina, pois todos os problemas atuais decorrem disso não estar sendo feito." Ou iremos aceitar que a Bíblia é a fonte da verdade sobre casamento, família e qualquer outro assunto, ou não.

Você não pode selecionar que partes da Bíblia você concorda, ou quais partes se encaixam na nossa sociedade atual. Se você seguir as dicas da cultura em que vivemos, o seu casamento poderá estar arruinado. Ao contrário, você deve se voltar à palavra de Deus, e desenvolver uma visão bíblica de mundo - ou seja, ver as coisas pelas lentes das escrituras.

E para ter um casamento de sucesso, você também precisa estar cheio do Espírito Santo. Veja, Deus nos deu o poder de fazer o que Ele nos chamou para fazer: "[...] deixem-se encher pelo Espírito, falando entre si com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor." (Efésios 5:18,19). No idioma original, isso implica em algo que precisa ser feito continuamente. Em outras palavras: estejam constantemente cheios do Espírito Santo - de novo e de novo. Quando você acordar de manhã, deverá dizer: "Senhor, encha-me com o Espírito Santo. Ajude-me a ser o marido, a esposa, o pai, a mãe que o Senhor me chamou para ser."

Vou ser honesto com você. Não há como fazer o que a Bíblia nos pede para fazermos, sem o poder do Espírito Santo. Não há como um marido amar a sua esposa da mesma forma como Cristo amou a Sua igreja sem o poder do Espírito Santo. E não há como uma esposa ser submissa ao seu marido, sem o poder do Espírito Santo. Precisamos do Seu poder. Continue pedindo por esse poder. E lembre-se: a única fonte de autoridade em qualquer assunto é a Palavra de Deus.
Link para o texto original

quarta-feira, 14 de outubro de 2020

Disposto à Beira do Precipício

"Procurei entre eles um homem que erguesse o muro e se pusesse na brecha diante de mim e em favor da terra, para que eu não a destruísse, mas não encontrei nem um só" (Ezequiel 22:30)

Quantos de nós desejaríamos um lugar no inferno para que outra pessoa pudesse ter um lugar no céu?

Isso é o que Paulo estava dizendo quando falou de seu amor e paixão por aqueles que não conheciam o Senhor, escrevendo: "tenho grande tristeza e constante angústia em meu coração. Pois eu até desejaria ser amaldiçoado e separado de Cristo por amor de meus irmãos, os de minha raça” (Romanos 9:2-3). Paulo estava dizendo, em essência: "Se fosse possível, eu desistiria de minha esperança de vida eterna para que outros que não sabem pudessem vir à fé." É uma declaração incrível.

A propósito, Paulo não é o único sobre quem lemos nas Escrituras que tinha esse tipo de encargo. Moisés tinha o mesmo tipo de coração. O coração de um intercessor. Quando ele desceu do Monte Sinai após receber os mandamentos de Deus, ele encontrou o povo dançando e adorando a imagem de um bezerro de ouro.

Quando ele percebeu que Deus estava pronto para julgá-los, ele fez uma declaração que não tinha paralelo na Bíblia, exceto, talvez, a declaração de Paulo. Ele disse: "Ah, que grande pecado cometeu este povo! Fizeram para si um deus de ouro. Mas agora, eu te rogo, perdoa-lhes o pecado" Nesse ponto da língua original, há uma longa pausa, como se ele estivesse pensando em todas as implicações do que estava por vir: "se não, risca-me do teu livro que escreveste" (Êxodo 32:31-32).

Aqui estava um homem parado na berlinda. Hoje Deus ainda procura por pessoas que se disponham a ficar na beira do precipício como Moisés, como Paulo, com um fardo dado por Deus para aqueles que não O conhecem.

terça-feira, 13 de outubro de 2020

Sempre Dando Frutos

"Assim também ocorre com a palavra que sai da minha boca: Ela não voltará para mim vazia, mas fará o que desejo e atingirá o propósito para o qual a enviei" (Isaías 55:11)

Certa vez li que Elvis Presley usava uma cruz, uma estrela de Davi e outros medalhões religiosos no pescoço. Quando alguém lhe perguntou por que ele carregava tudo aquilo, sua resposta foi: "Não quero perder o Céu por causa de algum tecnicismo."

Assim era o Rei Nabucodonosor. Ele reconheceu a existência de Deus, mas sempre que se encontrava em apuros também chamava os feiticeiros, astrólogos e mágicos. Ele queria ter tudo sob controle. Acho que Nabucodonosor representa a mentalidade de muitos brasileiros hoje. Eles acreditam em tudo. E esse é o problema.

Como rei da Babilônia, Nabucodonosor chegou a ser a pessoa mais poderosa do mundo. Ele tinha tudo o que uma pessoa poderia querer para ser feliz. Ele viu Deus em ação e foi exposto à verdade da Palavra de Deus. Nabucodonosor sabia o que era certo. Porém, ele simplesmente não agia dessa forma.

No entanto, uma noite, algo tão simples como um sonho adentrou o coração e a mente deste rei. O profeta Daniel, que havia sido levado cativo para a Babilônia em sua juventude, fielmente espalhou suas sementes ao longo dos anos. E ano após ano Nabucodonosor persistiu em sua incredulidade. Mas não foi tudo em vão.

Talvez você tenha tentado, por anos, alcançar alguém para Cristo. Você tem orado por essa pessoa. E pode dizer: "Isso não tá funcionando. Ela nunca vai mudar de opinião."

As coisas só acabam quando terminam. Já ouvi tantas histórias de pessoas que participaram de um evento evangelístico e se comprometeram com Cristo um dia, uma semana ou um mês depois. Uma semente foi semeada, e essa semente começou a germinar mais tarde.

Lembre-se, a colheita não ocorre no final de um culto da igreja; Ela ocorre no final dos tempos.

segunda-feira, 12 de outubro de 2020

5 Razões Para Disciplinar os Nossos Filhos

"Discipline seu filho, e este lhe dará paz; trará grande prazer à sua alma" (Provérbios 29:17)

Assim como nossos filhos precisam de nossos abraços e de nossas palavras de afirmação, eles também precisam saber quais são os seus limites, bem como as consequências por ultrapassá-los. Isso também é amor.

Como se diz, a cura para o crime não está na cadeira elétrica, mas na cadeirinha de bebê. Comece cedo. Ame seus filhos, disciplinando-os.

A Bíblia nos diz que devemos disciplinar nossos filhos. Aí vão cinco razões:

1. Disciplinamos nossos filhos para remover a insensatez. Provérbios 22:15 diz: “A insensatez está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a livrará dela.” 

2. Disciplinamos nossos filhos para resgatá-los do julgamento. Provérbios 23:13-14 nos diz: “Não evite disciplinar a criança; se você a castigar com a vara, ela não morrerá. Castigue-a, você mesmo, com a vara, e assim a livrará da sepultura.” 

3. Disciplinamos nossos filhos para dar-lhes sabedoria. De acordo com Provérbios 29:15, “A vara da correção dá sabedoria, mas a criança entregue a si mesma envergonha a sua mãe.” 

4. Disciplinamos nossos filhos para aliviar a nossa ansiedade. Como Provérbios 29:17 diz: “Discipline seu filho, e este lhe dará paz; trará grande prazer à sua alma.” 

5. Disciplinamos nossos filhos para que reflitam o caráter de Deus. Hebreus 12:10-11 diz: “Nossos pais nos disciplinavam por curto período, segundo lhes parecia melhor; mas Deus nos disciplina para o nosso bem, para que participemos da sua santidade. Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados.”

Saiba isto: Deus nos responsabilizará um dia. Ele nos deu esse encargo, essa responsabilidade. Não é opcional. Deus ordenou que, como pais, criemos nossos filhos na instrução e admoestação do Senhor.

sexta-feira, 9 de outubro de 2020

O Valor de Uma Mãe Que Teme ao Senhor

"Seus filhos se levantam e a elogiam; seu marido também a elogia, dizendo: 'Muitas mulheres são exemplares, mas você a todas supera.' A beleza é enganosa, e a formosura é passageira; mas a mulher que teme ao Senhor será elogiada. Que ela receba a recompensa merecida, e as suas obras sejam elogiadas à porta da cidade" (Provérbios 31:28-31)

Pense nas coisas que aprendemos com a nossa mãe ao longo dos anos. Por exemplo, nossas mães nos ensinaram sobre a antecipação quando nos disseram: "Espere até que seu pai chegue em casa!" Nossas mães nos ensinaram lógica quando diziam: "Porque eu disse que não. E tá acabado!" As mães também nos ensinaram sobre o valor da oração quando disseram: "Reze para isso sair do tapete."

Agora falando sério: as mães desempenham um papel vital em nossa sociedade. As mães não impactam apenas os seus filhos - elas impactam os seus netos e talvez até os bisnetos. Algumas impactam gerações mesmo depois de estarem no Céu, por causa das verdades que transmitiram.

Paulo escreveu sobre o impacto que a mãe e a avó de Timóteo tiveram em sua vida. Em 2 Timóteo 1:5, ele disse: "Recordo-me da sua fé não fingida, que primeiro habitou em sua avó Lóide e em sua mãe Eunice, e estou convencido de que também habita em você." Mostra-nos a importância de uma herança de devoção.

Às vezes, como mãe, você pode sentir que não fez o seu trabalho muito bem. Na verdade, você pode ter filhos pequenos hoje, mas eles já têm... um projeto. Eles são um trabalho em andamento. Apenas entenda: você deve continuar orando e nunca desistir, porque o seu impacto é maior do que você pode imaginar.

George Washington disse: "A melhor professora que já tive foi minha mãe". E Ronald Reagan disse: "Com minha mãe aprendi o valor da oração, como ter sonhos e acreditar que poderia realizá-los."

Se você foi uma mãe devota e fez sua parte para criar os seus filhos no caminho do Senhor, você é um tesouro e uma bênção. Seu valor está "acima de rubis", como diriam as Escrituras.

quinta-feira, 8 de outubro de 2020

A Função de Um Pai Cristão

"Como flechas nas mãos do guerreiro são os filhos nascidos na juventude. Como é feliz o homem cuja aljava está cheia deles! [...]" (Salmos 127:4-5)

Como pai, você tem um propósito importante na vida de seu filho. Você está aí para ensiná-lo a distinguir entre o certo e o errado, prover-lhe sustento e estabelecer as bases para a sua vida. O mais importante: o seu trabalho é conduzir seu filho a Jesus Cristo.

O Salmo 127:3 diz: "Os filhos são herança do Senhor". A palavra herança poderia ser traduzida como "presente". Então, outro modo de dizer isso é: os filhos são presentes de Deus. Que grande privilégio é ter filhos. Vou dizer-lhe mais uma coisa: crianças precisam dos pais.

As crianças precisam dos pais para alimentá-las e direcioná-las a Cristo. É seu trabalho, como mãe ou pai, preparar os seus filhos e criá-los no caminho do Senhor. Crianças não precisam que a mamãe e o papai sejam seus melhores amigos. Às vezes, se lê que pessoas famosas saem e vão para a balada com os filhos. Isso é tão absurdo. Não faça isso. Seja pai — e seja exemplo. Os amigos passam, mas os pais são para a vida toda.

Lembre-se: ensinar os seus filhos é coisa diária. É um estilo de vida. A melhor coisa que um homem pode fazer pelos filhos é amar a sua esposa. E a melhor coisa que a uma mulher pode fazer pelos filhos é amar o seu marido. Mostre aos filhos como é o amor verdadeiro.

E viva uma vida com devoção a Deus. Seus filhos devem ser capazes de medir a relação deles com Deus segundo a relação deles com você. Uma vez meu filho Christopher disse para um amigo, que ele sabia estar bem com Deus, quando estava bem com o seu pai. Ele disse que a coisa que o trouxe de volta para Cristo, foi saber que eu o amava incondicionalmente e que ele sempre podia voltar para casa. E ele voltou.

Se você é pai (ou mãe), peça hoje a Deus que o ajude a ser o melhor pai/mãe possível.

quarta-feira, 7 de outubro de 2020

Nunca Pare de Ensinar os Seus Filhos

"Venham, meus filhos, ouçam-me; eu lhes ensinarei o temor do Senhor" (Salmos 34:11)

Às vezes, pais cristãos querem que seus filhos vivam em uma bolha. Tentam fazer com que não haja influências que não sejam de Deus em suas casas. Eles nem mesmo têm um aparelho de TV. Sem mídias. Sem internet. Sem nada – às vezes nem mesmo móveis. Por favor, não façam isto. Ao invés, preparem suas crianças para viverem no mundo real. Ensine-as.

Nunca precisei ensinar os meus garotos a pecar. Nunca precisei sentar com eles e dizer: “Rapazes, vou lhes ensinar a pecar. Vamos começar pela palavra meu.” Não, isso vem naturalmente, da mesma forma como veio para mim. Vem naturalmente a todas as pessoas. Davi disse, “Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe” (Salmos 51:5).

Moisés nos deu um grande ensinamento quando disse: “Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração. Ensine-as com persistência a seus filhos. Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar” (Deuteronômio 6:6,7). Isso é fantástico. Moisés está dizendo: faça isso a todo momento. Ensine-os pela manhã e à noite. Ensine seus filhos em todos os lugares. Faça uso das oportunidades. Descobri que alguns dos melhores momentos espirituais com as crianças, ocorrem quando estamos fora, fazendo coisas.

Uma das coisas que eu fazia com os meus filhos — e agora faço com os meus netos — é assistir programas de TV com eles. Depois, faço algumas perguntas e tento ajudá-los a interpretá-las. Quero ajudá-los a desenvolver uma perspectiva bíblica sobre o mundo. Quero ajudá-los a ver as coisas como Deus as vê. Isto é um processo contínuo. Então, em amor, ensine-os sobre a Sua Palavra e nunca pare.

Quero que vejam as coisas como Deus as vê.

terça-feira, 6 de outubro de 2020

Deixem Vir as Crianças

"Então disse Jesus: 'Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino dos céus pertence aos que são semelhantes a elas'" (Mateus 19:14)

Precisamos da ajuda de Deus para sermos bons pais e mães. Vivemos numa sociedade que é amplamente hostil à família, que não apóia o papel de mãe e pai. Na verdade, de muitas maneiras, a nossa cultura (música, filmes, televisão etc.) tende a minar o papel dos pais.

Nos Evangelhos, lemos sobre como os pais trouxeram seus filhos a Jesus. “O povo também estava trazendo criancinhas para que Jesus tocasse nelas. Ao verem isso, os discípulos repreendiam aqueles que as tinham trazido. Mas Jesus chamou a si as crianças e disse: 'Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas.'” (Lucas 18: 15-16).

Eu adoro essa história. Os pais vêem Jesus e trazem seus filhos a Ele, mas os discípulos os empurram de volta. Eles dizem coisas como: "Não incomode o Mestre agora", "Ele está ocupado" ou "Ele está cansado." E Jesus diz: "Calma aí. Deixe que essas criancinhas venham a Mim, pois delas é o Reino dos céus!" As crianças vieram a Cristo e O amaram, e Ele as amou e a seus pais.

Gosto do fato de que os pais continuaram levando seus filhos a Cristo. Embora tenham sido rejeitados pelos discípulos, eles foram persistentes. Você também, continue levando seus filhos a Jesus. Sua parte é importante. Seja fiel nisso.

E lembre-se: nada pode realmente acontecer através de nós, até que tenha acontecido conosco primeiro. Paulo escreve em Filipenses 4:9: "Tudo o que vocês aprenderam, receberam, ouviram e viram em mim, ponham-no em prática." O que seus filhos mais precisam é ver a sua fé em ação.

segunda-feira, 5 de outubro de 2020

O Papel de Um Pai

"Pais, não irritem seus filhos, para que eles não se desanimem" (Colossenses 3:21)

Efésios 6:4 diz: “Pais, não irritem seus filhos; antes criem-nos segundo a instrução e o conselho do Senhor”. Observe que isso é direcionado aos pais. Mas, infelizmente, falta ação para muitos pais atualmente.

Era inédito na época do primeiro século, que um pai abandonasse suas responsabilidades em casa. Hoje em dia, parece ser quase a regra. Estamos perdendo pais num ritmo sem precedentes em nossa sociedade atual. Um especialista disse que corremos o risco de nos tornarmos uma sociedade sem pais.

Por que os pais são tão importantes? Em grande medida, a visão que um filho forma de Deus, é baseada na visão que tem do seu pai. Você verá muitas vezes que as pessoas comparam o seu relacionamento com seu pai terreno ao de seu Pai celestial. Sei que isso coloca muita pressão sobre os homens; mas é a verdade: os pais são os representantes terrestres de Deus. E Deus é amoroso. Deus cuida. Deus nutre. Ao mesmo tempo, Deus é reto, justo e santo.

Então, o que devemos fazer? Não devemos irritá-los. Na verdade, a palavra irritar fala de um padrão repetido de tratamento que faz com que a criança sinta raiva e ressentimento que se transformam em total hostilidade. Em vez de irritá-los, devemos criá-los segundo a instrução e o conselho do Senhor. Isso também pode ser traduzido como "nutrir e alimentar". Ou ainda: "Que eles sejam gentilmente estimados."

Portanto, ajude seus filhos a virem a Jesus, desenvolver o seu próprio relacionamento com Deus. E lembre-se de que os pais são representantes de Deus para os seus filhos - é por isso que o seu papel é tão vital no lar.

sexta-feira, 2 de outubro de 2020

A Necessidade Mais Importante de Todas

"Alegrem-se na esperança, sejam pacientes na tribulação, perseverem na oração" (Romanos 12:12

Nabucodonosor conquistou a maior parte do mundo antigo civilizado. E quando não havia mais guerras para lutar, ele voltou suas energias para a Babilônia. Com toda a riqueza que acumulou e os escravos que adquiriu levando as pessoas para longe de sua terra natal, Nabucodonosor teve oportunidades incomparáveis ​​de fazer o que quisesse.

Algumas das maravilhas arquitetônicas do mundo estavam na Babilônia. Com 105 metros de altura e 26 de largura, as muralhas da cidade de Babilônia tinham espaço suficiente para seis carros andarem lado a lado. Os 100 portões da cidade eram feitos de bronze polido e um único palácio cobria 11 acres (mais ou menos 5 quarteirões). Um salão de banquetes acomodava 10.000 pessoas. Era um lugar muito impressionante.

No entanto, apesar do fato de que Nabucodonosor estava seguro atrás de seus muros altos e portões maciços, com guardas à sua disposição, Deus penetrou em tudo e atingiu o seu coração. Nabucodonosor teve um sonho perturbador (Daniel 2:1).

Algumas das pessoas mais difíceis de alcançar são aquelas que estão descansando em suas casas. Aquelas que, por causa de tudo o que possuem, podem não ver a sua real condição espiritual. Acho que é um erro apelar apenas para pessoas infelizes, solitárias e vazias quando compartilhamos o evangelho. A maior parte das pessoas não está infeliz, vazia e solitária em todos os momentos. A vida delas pode estar relativamente bem.

Não estou dizendo que Jesus não alcança pessoas infelizes, solitárias e vazias. Mas devemos ir para a necessidade mais profunda de todas: seu destino eterno.

O que é verdade para cada pessoa em qualquer momento, é que ela irá para um de dois lugares além do túmulo - junto à Deus ou longe dele. A única coisa a lembrar é que não existe pessoa, independentemente de quanto ela seja famosa ou poderosa, que esteja além do alcance da oração.

quinta-feira, 1 de outubro de 2020

Lutando Contra o Inimigo Errado

"pois a nossa luta não é contra pessoas, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais" (Efésios 6:12)

Pedro não suportava mais. Já vinha acompanhando a angústia do seu Senhor no Jardim de Getsêmani e assistiu quando o grupo de soldados chegou para prendê-Lo. Então pegou sua espada, e feriu o servo do sumo sacerdote, decepando-lhe a orelha direita (João 18:10).

De certa forma, compreendo a frustração de Pedro. Se estivesse na mesma situação, talvez eu tivesse feito a mesma coisa. Podemos até parabenizar Pedro pelo seu ato de heroísmo e bravura. Mas na realidade, Jesus não fez nada parecido com isso. Pelo contrário, disse a Pedro que guardasse a sua espada. Pobre Pedro. Parecia que não conseguia fazer nada certo. Sempre parecia fazer as coisas erradas, nas horas erradas. Dormia quando deveria estar orando. Falava quando deveria ouvir. Gabava-se quando deveria temer. Agora lutava quando deveria estar se rendendo. Parecia sempre estar com suas ações invertidas. Pedro não conseguiu ver que estava lutando contra o inimigo errado.

A Bíblia nos diz que nossos inimigos não são de carne e osso, nossa luta não é contra pessoas, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais. E eles não podem ser vencidos pelos meios convencionais. Frequentemente, tomamos as coisas em nossas próprias mãos e tentamos dar alguma assistência a Deus, tentando, de alguma forma, ajudá-Lo em alguma coisa. E muito frequentemente, nesses momentos de batalha, não utilizamos a principal arma que temos à nossa disposição: a oração. 

Como cristãos, somos rápidos em protestar e não tão rápidos para orar. Somos muito rápidos para participar de um piquete de greve, mas não tão rápidos para pregar e focar naquilo que Deus nos chamou para fazer. Precisamos entender que estamos numa batalha espiritual. Assim, precisamos usar armamento espiritual.
Link para o texto original
Receber os Devocionais Diários por email