segunda-feira, 28 de setembro de 2020

O Perigo do Evangelho

"Como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? Esta salvação, primeiramente anunciada pelo Senhor, foi-nos confirmada pelos que a ouviram" (Hebreus 2:3)

Podemos pensar que a melhor coisa para os incrédulos seria estar na igreja todas as semanas, ouvindo o evangelho repetidamente.

Para os crentes comprometidos, acho que esse é absolutamente o melhor lugar para se estar. Mas não acho que o mesmo seja necessariamente verdadeiro para os incrédulos. Se eles têm escolhido viver em pecado e não têm a intenção de aceitar o evangelho, os seus corações ficam mais endurecidos quando o ouvem novamente.

Esse é o perigo do evangelho. Na verdade, é perigoso ser exposto ao evangelho e não responder a ele. A primeira vez que ouvimos o evangelho, entramos no que poderia ser chamado de zona de perigo espiritual, porque somos, a partir desse ponto, responsabilizados pelo que sabemos.

Algo semelhante aconteceu com o Faraó no Antigo Testamento. Ele viu milagre após milagre. Mas lembre-se que a Bíblia diz que o coração do Faraó permaneceu endurecido (ver Êxodo 8:15,19). E também lemos que "o Senhor endureceu o coração do Faraó [...]" (Êxodo 9:12). Algumas pessoas têm dificuldade com isso, mas uma tradução melhor dessa frase seria "o Senhor fortaleceu o coração do Faraó." O Faraó fez a sua escolha e Deus o fortaleceu nisso. É assustador que alguém possa ser exposto a tanta verdade e permanecer ou até ser fortalecido na descrença.

Se uma pessoa decidir acreditar, Deus a fortalecerá nesse compromisso. Se alguém decidir endurecer o seu coração, de certo modo, Deus o fortalecerá nisso também. Fazemos nossas escolhas e colhemos os resultados delas. Isso é o que aconteceu com o Faraó, é o que aconteceu com Judas e é o que pode acontecer conosco.
Link para o texto original

Um comentário: