quarta-feira, 15 de julho de 2020

Questionando Deus

"João, ao ouvir na prisão o que Cristo estava fazendo, enviou seus discípulos para lhe perguntarem: 'És tu aquele que haveria de vir ou devemos esperar algum outro?'" (Mateus 11:2-3)

Como você se sentiria se alguém que você ama e confia começasse a questioná-lo? Você poderia se sentir ofendido.

Quando João Batista enviou uma mensagem a Jesus da prisão e perguntou: "És tu aquele que haveria de vir ou devemos esperar algum outro?" (Mateus 11:3), Jesus não o repreendeu. Ele não disse: "Como João se atreve a duvidar de mim? Meu próprio primo! Vamos lá, dê um tempo! Você sabe que ele é um pouco estranho, certo? As peles de animais... comer gafanhotos? Esse é o meu primo! Talvez tenha sido algo de sua dieta."

Foi uma boa oportunidade para diminuir alguém. Mas Jesus não fez isso. Em vez disso, trouxe João de volta às Escrituras: "voltem e anunciem a João o que vocês estão ouvindo e vendo: os cegos vêem, os mancos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos são ressuscitados, e as boas novas são pregadas aos pobres" (versículos 4-5). Então ele disse: "feliz é aquele que não se escandaliza por minha causa" (versículo 6).

Aqui está o que Jesus estava dizendo: "Escute, apenas diga isso a João: mesmo que você não entenda o meu método, mesmo que não compreenda os meus caminhos ou o meu tempo, peço que confie em mim. Quando você for incapaz de entender por que estou fazendo o que estou fazendo ou por que não estou fazendo o que você pensa que eu deveria estar fazendo, aguente firme. Siga-me. Não se ofenda por isso."

Nosso Senhor entendeu que isso era um ataque do inimigo. Ele entendeu o que a solidão poderia causar.

Deus nunca repreende ninguém que vem a Ele com perguntas sinceras ou dúvidas honestas.

Um comentário: