sexta-feira, 31 de julho de 2020

Vá e Não Peques Mais

"Declarou Jesus: 'Eu também não a condeno. Agora vá e abandone sua vida de pecado'" (João 8:11)

Ouvi alguns cristãos dizerem: "Deus me ama do jeito que eu sou, e é assim que eu sou." Sim, Deus nos ama do jeito que somos, mas Ele quer nos mudar.

Jesus disse à mulher que foi apanhada em adultério: "Nem eu também te condeno; vá e não peques mais" (João 8:11). Como ele pôde dizer isso? Ela ainda era imoral; ela simplesmente foi apanhada em flagrante. Ele poderia dizer isso porque em pouco tempo, na cruz do Calvário, receberia pessoalmente a condenação que ela deveria ter enfrentado.

Observe outra coisa que é muito importante. Ele não disse a ela: "Vá e não peques mais, e como resultado, não te condenarei." Nesse caso, quem poderia cumprir esse requisito? Ele também não disse: "Apenas siga seu caminho alegre e, da próxima vez que você errar, espero vê-la novamente."

Antes, Jesus estava dizendo: "Nem eu também te condeno. Agora, como reconhecimento disso, vá e não peques mais." Seu ato de perdão foi seguido por um desafio. Isso é importante, porque implícito em Sua declaração era um aviso para não continuar vivendo daquele jeito.

Jesus está dizendo o mesmo para nós. Devemos deixar o nosso estilo de vida de pecado. Isso não significa que temos que ser perfeitos, porque ninguém é. Não significa que precisamos ficar sem pecado, mas sim que pecaremos menos. Deus quer nos mudar. A Bíblia diz: "Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas!" (2 Coríntios 5:17).

Nossa identidade não deve estar no que éramos, mas em quem somos.

quinta-feira, 30 de julho de 2020

Nosso Pastor Sempre Presente

"O Senhor é o meu pastor; de nada terei falta" (Salmo 23:1)

Uma passagem das Escrituras preferida por muitos de nós é o Salmo 23, que começa: "O Senhor é o meu pastor; de nada terei falta. Em verdes pastagens me faz repousar e me conduz a águas tranquilas; restaura-me o vigor" (versículos 1-3). Adoramos isso. É uma imagem tão bela, de nós como ovelhas sendo conduzidas por nosso Pastor.

Mas não é elogio Deus comparar-nos com ovelhas. As ovelhas são uns dos animais mais idiotas na face da terra. Se Deus nos houvesse comparado a golfinhos, teria sido ótimo. Os golfinhos são superinteligentes. Se Deus nos houvesse comparado a cães, mesmo isso teria sido um elogio. Mas Deus no comparou a ovelhas.

Ovelhas são imbecis. Elas tendem a seguir o rebanho. Não têm mecanismo de defesa. Não sabem nem fugir de um predador. Ovelhas são basicamente pernil de carneiro em modo de espera: só falta o acompanhamento. É garantido. As ovelhas precisam de seu pastor. Se o pastor não vier em socorro delas, estão mortas. Somos assim também.

Adoramos ler que o Senhor é nosso Pastor e que Ele nos faz repousar em verdes pastagens e nos conduz a águas tranquilas. Mas o Salmo 23:4 prossegue dizendo: "Mesmo quando eu andar por um vale de trevas e morte, não temerei perigo algum, pois tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me protegem."

Adoramos as verdes pastagens e as águas tranquilas, mas não gostamos dos vales — especialmente se a palavra "morte" vier colada neles. No entanto, como Davi apontou, o Senhor é o Pastor que estava com ele. E também é o Pastor que está conosco.

quarta-feira, 29 de julho de 2020

Pecados do Espírito

"Quem pode discernir os próprios erros? Absolve-me dos que desconheço!" (Salmo 19:12)

Alguns pecados são óbvios, como assassinato, adultério e roubo. Mas outros pecados são mais sutis, como orgulho, egoísmo e fofoca. Às vezes pecamos por ignorância ou presunção. É por isso que Davi orou: "Quem pode discernir os próprios erros? Absolve-me dos que desconheço. Também guarda o teu servo dos pecados intencionais; que eles não me dominem! [...]" (Salmo 19:12-13).

A Bíblia fala sobre pecados da carne e pecados do espírito. Paulo apontou em 2 Coríntios 7:1: "Amados, visto que temos essas promessas, purifiquemo-nos de tudo o que contamina o corpo e o espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus".

O que significa cometer um pecado do espírito? É conscientemente ir contra o que é verdadeiro. Falamos que alguns pecados são piores que outros, mas o pecado que pensamos ser o pior pode não ser. Jesus disse a Pôncio Pilatos: "Não terias nenhuma autoridade sobre mim se esta não te fosse dada de cima. Por isso, aquele que me entregou a ti é culpado de um pecado maior" (João 19:11).

Jesus estava falando sobre Caifás ou Judas. Caifás foi o sumo sacerdote que ajudou a acusar Jesus falsamente e depois o enviou aos romanos para ser crucificado. E havia Judas, que o traiu.

De qualquer maneira, ambos pecaram. Judas foi um dos discípulos escolhidos a dedo por Cristo e o traiu; e Caifás, o sumo sacerdote, deveria ter sido mais sábio. O ponto é que, se você conhece as Escrituras como Caifás ou é exposto à verdade e ao poder de Deus como Judas, você não tem desculpa para pecar. Conhecimento traz responsabilidade.

terça-feira, 28 de julho de 2020

Restaurar, Não Destruir

"Irmãos, se alguém for surpreendido em algum pecado, vocês, que são espirituais deverão restaurá-lo com mansidão. Cuide-se, porém, cada um para que também não seja tentado" (Gálatas 6:1)

Nem toda pessoa que cita a Bíblia é necessariamente crente. Aqueles que citam as Escrituras para condenar os outros, geralmente são os que mais têm culpa. Aqueles que são rápidos em encontrar falhas nos outros, geralmente são os que têm mais falhas em suas próprias vidas. As pessoas que são muito rápidas em atacar alguém, geralmente têm suas próprias culpas.

É exatamente disso que Jesus estava falando quando disse no Sermão da Montanha: "Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão, e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho?" (Mateus 7:3).

É uma ilustração bem-humorada, mas faz sentido. Jesus estava dizendo: "Você é tão rápido em se concentrar nas minúcias da vida de outra pessoa, mas é culpado por seus próprios pecados."

Se conhecemos alguém que está caindo em pecado, nosso objetivo deve ser confrontá-lo e restaurá-lo, não condená-lo e destruí-lo. Gálatas 6:1 diz: "Irmãos, se alguém for surpreendido em algum pecado, vocês, que são espirituais deverão restaurá-lo com mansidão. Cuide-se, porém, cada um para que também não seja tentado." Nosso objetivo é restaurar, não destruir.

Acho interessante que este versículo termine assim: "Cuide-se, porém, cada um para que também não seja tentado." Um dia pode ser você. Um dia você pode ser a pessoa que tropeça e cai. Um dia você pode ser a pessoa que comete esse erro, que comete esse pecado. E espero que alguém apareça com graciosidade e ousadia e ajude você a se levantar novamente.

Temos que manter a guarda constantemente, porque todos nós podemos cair.

segunda-feira, 27 de julho de 2020

Julgamento Cauteloso

"Não julguem apenas pela aparência, mas façam julgamentos justos." (João 7:24)

Há alguns anos, eu estava compartilhando o Evangelho e o meu acompanhante era um rapaz mais novo que compartilhava a sua fé pela primeira vez. Estávamos conversando com um motociclista que era um homem grande e musculoso e tinha tatuagens por toda parte. O motociclista nos disse: "Saiam daqui e me deixem em paz." Imediatamente eu disse: "Vamos embora." Mas meu amigo respondeu ao motociclista: "Tudo bem, nós não vamos atirar nossas pérolas aos porcos."

Meu amigo não precisava ter citado este versículo para alguém com quem se está compartilhando o Evangelho, mas ele tinha razão quanto a termos que avaliar e determinar quem são as pessoas que não consideram as coisas de Deus.

Há um lugar para julgar. O julgamento é o exercício do pensamento crítico, e ocasionalmente o julgamento é necessário. João 7:24 nos diz: "Não julguem apenas pela aparência, mas façam julgamentos justos." A Bíblia nos disse para julgar, mas devemos julgar pelo que é certo. Não devemos condenar nem criticar. Em vez disso, devemos fazer avaliações. Devemos discernir e expressar nossas opiniões sobre o certo e o errado, a verdade e a mentira, o bem e o mal. De fato, a Bíblia nos diz: "Vocês não sabem que os santos hão de julgar o mundo?" (1 Coríntios 6:2).

O extremo oposto de julgar é a ingênua aceitação de qualquer coisa. No Sermão do Monte, Jesus disse: "Não deem o que é sagrado aos cães; nem atirem suas pérolas aos porcos" (Mateus 7:6). Em outras palavras, "não pegue as coisas sagradas de Deus e as ofereça a alguém que não tem interesse nelas." Precisamos fazer as avaliações. Não estamos violando as Escrituras quando as fazemos.

sexta-feira, 24 de julho de 2020

Promessas, Não Explicações

“Pois os meus pensamentos não são os pensamentos de vocês, nem os seus caminhos são os meus caminhos', declara o Senhor. Assim como os céus são mais altos do que a terra, também os meus caminhos são mais altos do que os seus caminhos e os meus pensamentos mais altos do que os seus pensamentos.” (Isaías 55:8-9)

Quando a calamidade atingiu Jó, ele perguntou o por quê a Deus inúmeras vezes. Não há nada de errado em perguntar a Deus o por quê, desde que não achemos que Ele nos deve uma explicação. Penso que se Deus precisasse realmente nos dar uma resposta, ainda não ficaríamos satisfeitos.

Se você disser: “Senhor, por que isto aconteceu?” e se Deus responder: “Vou te dizer agora mesmo. Estás preparado? Então sente-se para ouvir. Isto aconteceu porque...” Você acha que isto realmente te satisfaria? Creio que não. Se o Senhor te disser o por quê das coisas acontecerem do jeito que acontecem, você acha que isto te traria alívio, tiraria a sua dor ou curaria o seu coração quebrantado? Acho que não. Acredito que suscitaria ainda mais perguntas.

Quando seu irmão, Lázaro, morreu, Marta chorou muito a Jesus. Ela provavelmente pensou: Isto não é justo! Ou não está certo! “[...] se estivesses aqui o meu irmão não teria morrido”, disse ela (João 11:21).  Ao invés de corrigi-la, Jesus tentou lhe passar uma outra perspectiva, muito maior, eterna: “O seu irmão vai ressuscitar” (João 11:23). 

"Marta respondeu: 'Eu sei que ele vai ressuscitar na ressurreição, no último dia'. Disse-lhe Jesus: 'Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente. Você crê nisso?'" (João 11:24-26)

Em outras palavras, “Não Marta, você está olhando para o foco errado. Eu sou a ressurreição e a vida...”

Isso é exatamente o que Marta não sabia. Jesus iria trazer o seu irmão da morte. Ela queria uma cura; Jesus queria uma ressurreição. Deus estava para fazer muito mais e melhor do que ela poderia pedir ou imaginar.

O Senhor diz, “Pois os meus pensamentos não são os pensamentos de vocês, nem os seus caminhos são os meus caminhos" (Isaías 55:8). Vivemos de promessas, não de explicações. Não deveríamos gastar muito tempo perguntando o por quê.

quinta-feira, 23 de julho de 2020

Deus: Onde Está Você?

"Disse Marta a Jesus: 'Senhor, se estivesses aqui meu irmão não teria morrido. Mas sei que, mesmo agora, Deus te dará tudo o que pedires'. Disse-lhe Jesus: 'O seu irmão vai ressuscitar'.
Marta respondeu: 'Eu sei que ele vai ressuscitar na ressurreição, no último dia'." (João 11:21-24)

"Senhor, se estivesses aqui meu irmão não teria morrido." De alguma forma, Marta estava querendo dizer: "Senhor, você fez besteira."

Jesus amava o irmão de Marta, Lázaro. Mas quando Marta e Maria avisaram Jesus que ele estava doente, Ele esperou. De fato, Ele esperou um longo tempo. Foi por tanto tempo que Lázaro não apenas permaneceu doente, mas morreu. E ele já havia morrido havia quatro dias. Marta não estava feliz com aquilo.

Você já se sentiu assim? Algo acontece e você diz: "Deus, onde está Você?" Onde Você estava quando o meu casamento acabou? Onde Você estava quando meus pais se divorciaram? Onde estava quando os meus filhos se desviaram? Ou quando aquela pessoa que eu amava morreu?

Note que Jesus não reprovou Marta pelo que ela disse. Ele poderia ter feito isso. Em alguns casos, parece que Ele deveria fazer. Mas creio que Ele não a reprovou porque não é pecado dizer a Deus como nos sentimos. Isso é o que Marta estava fazendo. Ela estava sendo honesta com Deus.

Mesmo o nosso Senhor, quando estava dependurado na cruz e sofrendo pelos pecados do mundo, clamou: "Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste?" (Mateus 27:46). Isso poderia soar acusador, mas Jesus estava apenas descrevendo a realidade da situação. Ele estava clamando a Deus.

Quando algo difícil acontece, podemos descontar em Deus e nos outros. Podemos nos revoltar com Deus e com as pessoas de Deus. Mas precisamos de Deus e do Seu povo.

Apenas fale com Deus. Diga a Ele como você está realmente se sentido. Se você se sente ferido, diga a Ele que se sente assim. Se sente dor, diga a Ele que sente dor. Se está feliz, diga a Ele que está feliz. Seja honesto com Deus.

quarta-feira, 22 de julho de 2020

Conte Sempre Para Jesus

"Deus é o nosso refúgio e a nossa fortaleza, auxílio sempre presente na adversidade" (Salmos 46:1)

Quando uma crise bate à nossa porta, quando estamos enfrentando dificuldades, quando estamos doentes ou necessitados, devemos clamar ao Senhor.

Quando os israelitas criticaram e se voltaram contra Moisés, lemos que ele "clamou ao Senhor" (Êxodo 15:25). Quando o rei Ezequias recebeu uma carta ameaçadora, ele "subiu ao templo do Senhor, apresentou-a diante do Senhor" (Isaías 37:14). Quando João Batista foi decapitado, lemos que seus discípulos "vieram, levaram o seu corpo e o sepultaram. Depois foram contar isso a Jesus" (Mateus 14:12).

É exatamente isso que devemos fazer quando as dificuldades surgirem. Devemos contar a Jesus, porque "Deus é o nosso refúgio e a nossa fortaleza, auxílio sempre presente na adversidade" (Salmo 46:1).

Paulo teve o seu "espinho na carne". Não sabemos o que era, mas ele pediu ao Senhor três vezes para tirá-lo. Deus não respondeu a essas orações como Paulo queria. Em vez disso, deu-lhe a graça de passar por esse período de dificuldade (2 Coríntios 12:7-9). 

Há momentos em que Deus tem um propósito no sofrimento, um plano através da dor. Na verdade, sempre queremos que exista essa opção. E não há problema em orar por isso. 

Paulo orou sobre sua dificuldade mais de uma vez, e podemos orar sobre os nossos problemas mais de uma vez. Jesus disse: "Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta." (Lucas 11:9). Isso poderia ser traduzido do grego: "Continue perguntando, continue procurando e continue batendo." A Bíblia incentiva a persistência.

Não precisamos necessariamente dizer a Deus o que Ele deve fazer, mas devemos invocá-Lo. 
Traga os seus problemas para Jesus.

terça-feira, 21 de julho de 2020

Então, Por Que?

"Jesus amava Marta, a irmã dela e Lázaro. No entanto, quando ouviu falar que Lázaro estava doente, ficou mais dois dias onde estava." (João 11:5-6)

A Bíblia conta a história de uma família unida na cidade de Betânia que foi devastada por uma tragédia inesperada. Esta família, Maria, Marta e Lázaro, era muito próxima de Jesus - literalmente. Ele se sentava à mesa de jantar deles e passava horas com eles.

Mas a tragédia bateu à porta deles um dia. Lázaro estava muito doente. Então eles imediatamente enviaram uma mensagem a Jesus: "Senhor, aquele a quem amas está doente" (João 11:3).

Eu esperava que o próximo versículo dissesse: "Então Ele se dirigiu de onde estava para onde eles estavam." Ou "Ele falou a palavra e Lázaro foi imediatamente curado." Isso faria sentido para mim.

Mas eis o que realmente aconteceu: "Jesus amava Marta, a irmã dela e Lázaro. No entanto, quando ouviu falar que Lázaro estava doente, ficou mais dois dias onde estava" (versículos 5-6). Isso pode parecer até uma contradição. Se Jesus realmente amava Lázaro, por que não foi imediatamente e o curou?

Quando dificuldades e tragédias atingem as nossas vidas, podemos fazer uma pergunta semelhante: Se Jesus realmente me ama, por que Ele deixou isso acontecer?

Aqui está o problema: É difícil ver com os olhos cheios de lágrimas. Perdemos a perspectiva. Não entendemos por que isso está acontecendo conosco. Precisamos nos lembrar de que os atrasos de Deus não são necessariamente Suas negações. Só porque Ele não faz algo tão rápido quanto gostaríamos que fizesse, isso não significa que Ele nunca o fará. Significa simplesmente que Deus tem o Seu tempo, assim como Deus tem também a Sua vontade.

Embora não possamos ver como uma situação terminará, ou por que ela veio sobre nós, ela flui do amor de Deus e é controlada por Ele.

segunda-feira, 20 de julho de 2020

Um Reavivamento em Nínive

"A palavra do Senhor veio a Jonas, filho de Amitai, com esta ordem: 'Vá depressa à grande cidade de Nínive e pregue contra ela, porque a sua maldade subiu até a minha presença'." (Jonas 1:1-2)

Quando Deus disse a Jonas para ir a Nínive e pregar, sua resposta foi praticamente: "De jeito nenhum! Essas pessoas são más. Eu não quero ir.

É verdade que os Ninivitas eram pessoas muito cruéis. Eles eram conhecidos por sua selvageria. Quando conquistavam uma nação, muitas vezes torturavam os seus prisioneiros antes de executá-los e eram conhecidos por queimar meninos e meninas vivos. Torturavam arrancando a pele de seus corpos e deixando-os morrer sob o sol escaldante. Em vez de esconder essa depravação, eles a celebravam e a proclamavam. Chegaram até a construir monumentos para a sua própria crueldade.

Outra razão para a relutância de Jonas foi que Nínive era a capital da Assíria, inimiga de Israel. Jonas, sendo um israelita patriota, deduziu que se ele não fosse pregar aos Ninivitas, Deus os julgaria — o que implicaria em um inimigo a menos para Israel se preocupar.

Mas com um pouco mais de persuasão, Jonas finalmente foi e pregou para os Ninivitas — e isso resultou no maior despertar espiritual em toda a Bíblia.

O povo de Nínive não sabia que seus dias estavam contados. A Assíria era a superpotência da época, tendo dominado por 200 anos. Foram necessários três dias para circular a Nínive metropolitana, que tinha uma população de cerca de um milhão de habitantes. Era uma cidade muito grande para os tempos antigos. Mas não demoraria muito até que Babilônia a ultrapassasse. Deus estava dando a Nínive uma última chance.

Se Deus usou alguém como Jonas para fazer um reavivamento em Nínive, certamente Ele poderia usar alguém como eu ou você para trazer um reavivamento para a nossa nação.

sexta-feira, 17 de julho de 2020

Confiando ou Testando Deus?

"Aquele que habita no abrigo do Altíssimo e descansa à sombra do Todo-poderoso pode dizer ao Senhor: Tu és o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio" (Salmos 91:1-2)

Quando Satanás tentou Jesus no deserto, ele citou as Escrituras — mas deixou algo de fora. Ele disse: "Se você é o Filho de Deus, jogue-se daqui para baixo. Pois está escrito: 'Ele dará ordens a seus anjos a seu respeito, e com as mãos eles o segurarão, para que você não tropece em alguma pedra'" (Mateus 4:6).

Ele estava citando o Salmo 91:11-12, que diz: "Porque a seus anjos ele dará ordens a seu respeito, para que o protejam em todos os seus caminhos; com as mãos eles o segurarão, para que você não tropece em alguma pedra." Note que Satanás deixou de fora as palavras "para que o protejam em todos os seus caminhos." Por que? Se você olhar esses versículos no seu contexto, verá que eles na verdade dizem que, quando se está na vontade de Deus, não há razão para temer. Pode-se confiar no Senhor.

Satanás estava essencialmente dizendo: "Pode pular que os anjos segurarão você".

Mas Jesus pôs aquilo no contexto, dizendo: "Também está escrito: 'Não ponha à prova o Senhor, o seu Deus'" (Mateus 4:7).

Não é preciso dizer toda manhã, ao levantar: "Hoje pode ser que eu morra." Sim, pode ser — mas não se Deus não quiser. O Senhor sabe a data de seu nascimento e da sua morte. Você pode confiar n'Ele. Eu creio que os cristãos sejam indestrutíveis enquanto Deus não tenha terminado de lidar com eles.

Isso não quer dizer que vamos beber estricnina ou brincar com cobras venenosas. Mas quer dizer que, se não for a hora de um cristão, ele não vai a lugar algum. É diferente confiar em Deus e testar a Deus sujeitando-se a riscos desnecessários.

Não devemos viver com medo, pois a nossa hora está nas mãos d'Ele.

quinta-feira, 16 de julho de 2020

Fome Espiritual

"O Senhor é bom para com aqueles cuja esperança está nele, para com aqueles que o buscam" (Lamentações 3:25)

Você já perdeu alguma coisa e procurou desesperadamente por ela? Outro dia perdi o meu celular e o procurei em todos os lugares, mas não consegui encontrá-lo. Então usei um recurso chamado Buscar iPhone e descobri que o telefone estava a três metros de onde eu estava sentado! Eu o havia deixado cair entre as almofadas de uma poltrona. Quando contei isso para o meu filho, ele disse: "Eu fiz ainda pior, pois no fim descobri que meu telefone estava no bolso da camisa."

Quando você perde algo, procura até encontrar. Deus também procura, embora Ele não perca as coisas como nós. Ele sabe onde está tudo e onde estão todos. No entanto, ele busca pessoas que desejem crescer espiritualmente. Ele busca solos férteis e receptivos, onde possa plantar a semente da Sua Palavra, solos em que a Sua Palavra possa se enraizar.

Mas Deus não nos obriga a querer a Sua verdade em nossas vidas. Ele não nos alimenta à força. Deus quer que desejemos isso. Como 1 Pedro 2:2 nos diz: "Como crianças recém-nascidas, desejem de coração o leite espiritual puro, para que por meio dele cresçam para a salvação."

Pessoas saudáveis ​​são pessoas que se alimentam. Se você estiver em boa saúde espiritual, terá fome da Palavra de Deus. Apetite espiritual é um bom sinal de um cristão maduro. Deus busca um solo assim. Ele busca pessoas que queiram ouvir a Sua Palavra.

Somos nós que decidimos que tipo de solo nossos corações serão. Decidimos se queremos crescer ou regredir espiritualmente. Depende realmente de nós. Deus quer que cresçamos, mas também devemos querer. Temos que fazer a nossa parte.

quarta-feira, 15 de julho de 2020

Questionando Deus

"João, ao ouvir na prisão o que Cristo estava fazendo, enviou seus discípulos para lhe perguntarem: 'És tu aquele que haveria de vir ou devemos esperar algum outro?'" (Mateus 11:2-3)

Como você se sentiria se alguém que você ama e confia começasse a questioná-lo? Você poderia se sentir ofendido.

Quando João Batista enviou uma mensagem a Jesus da prisão e perguntou: "És tu aquele que haveria de vir ou devemos esperar algum outro?" (Mateus 11:3), Jesus não o repreendeu. Ele não disse: "Como João se atreve a duvidar de mim? Meu próprio primo! Vamos lá, dê um tempo! Você sabe que ele é um pouco estranho, certo? As peles de animais... comer gafanhotos? Esse é o meu primo! Talvez tenha sido algo de sua dieta."

Foi uma boa oportunidade para diminuir alguém. Mas Jesus não fez isso. Em vez disso, trouxe João de volta às Escrituras: "voltem e anunciem a João o que vocês estão ouvindo e vendo: os cegos vêem, os mancos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos são ressuscitados, e as boas novas são pregadas aos pobres" (versículos 4-5). Então ele disse: "feliz é aquele que não se escandaliza por minha causa" (versículo 6).

Aqui está o que Jesus estava dizendo: "Escute, apenas diga isso a João: mesmo que você não entenda o meu método, mesmo que não compreenda os meus caminhos ou o meu tempo, peço que confie em mim. Quando você for incapaz de entender por que estou fazendo o que estou fazendo ou por que não estou fazendo o que você pensa que eu deveria estar fazendo, aguente firme. Siga-me. Não se ofenda por isso."

Nosso Senhor entendeu que isso era um ataque do inimigo. Ele entendeu o que a solidão poderia causar.

Deus nunca repreende ninguém que vem a Ele com perguntas sinceras ou dúvidas honestas.

terça-feira, 14 de julho de 2020

O Melhor Lugar Para Se Estar

"Cada um, porém, é tentado pela própria cobiça, sendo por esta arrastado e seduzido" (Tiago 1:14)

Onde é o melhor lugar para estar quando somos tentados? Não é na igreja, embora seja um bom lugar para se estar. O melhor lugar para se estar é sob a vontade de Deus.

A Bíblia nos diz que "Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto" (Mateus 4:1), onde foi tentado pelo diabo. Jesus sempre esteve na vontade de Deus. Ele estava sempre indo aonde Deus o levava. Nesse caso, foi para o deserto, mas Ele estava sob a vontade de Deus.

Com demasiada frequência, estamos fora da vontade de Deus e provocamos tentações desnecessariamente. Vamos a lugares errados e saímos com pessoas erradas, na hora errada. Depois ficamos chocados quando fazemos a coisa errada.

Quando Pedro negou o Senhor, onde ele estava? Ele foi isolado de outros crentes quando se aqueceu diante de uma fogueira, do lado de fora da casa do sumo sacerdote. Ele estava andando com zombadores e incrédulos. E ali, no brilho daquele fogo, ele negou três vezes que conhecia Jesus. Pedro estava no lugar errado, na hora errada, com as pessoas erradas... e acabou fazendo a coisa errada.

Não fique chocado por ser tentado quando for a uma festa onde as pessoas estejam bebendo e usando drogas. Não fique chocado ao sentir-se tentado ao sair com a sua namorada ou namorado e alugar um quarto de motel. Não fique chocado por ser tentado quando olhar para um site pornô na internet. Não estou dizendo que, se você ficar longe dessas coisas, a tentação desaparecerá. Estou dizendo que você não viverá sob a pressão desnecessária que se impõe nessas circunstâncias.

Esteja sempre sob a vontade de Deus.

segunda-feira, 13 de julho de 2020

A Nossa Parte e a Soberania Divina

“[...] ponham em ação a salvação de vocês com temor e tremor, pois é Deus quem efetua em vocês tanto o querer quanto o realizar, de acordo com a boa vontade dele.” (Filipenses 2:12-13)

Você já se perguntou por que algumas pessoas fazem um comprometimento público a Cristo e são aparentemente transformadas da noite para o dia? Elas vão à loja e compram a maior Bíblia disponível e começam a carregá-la por todos os lados. Comparecem a todos os cultos na igreja. Cantam e levantam suas mãos, mais alto que todos. Falam para todos que conhecem a respeito de Jesus.

Então, de repente, sem motivo aparente, parece que simplesmente desistem. Por que isto acontece?

Deus nos salvou, mas ainda temos a nossa parte. Filipenses 2:12 nos diz "[...] ponham em ação a salvação de vocês com temor e tremor." Este verso é frequentemente interpretado incorretamente. Veja que ele não diz "ponham-se em ação para a salvação de vocês." Não podemos trabalhar para a nossa salvação; isso é graça de Deus. O termo “ponham em ação” poderia ser melhor traduzido como “Leve-a até o objetivo e complete todo o percurso...” A ideia a ser transmitida é aquela de ir a uma mina de ouro sabendo que depois você poderá levar todo o ouro que puder carregar.

Filipenses 2:13 continua dizendo "pois é Deus quem efetua em vocês tanto o querer quanto o realizar, de acordo com a boa vontade dele." Está tudo lá: Temos que levá-la até o objetivo e completá-la, mas é Deus quem trabalha em nós, tanto o querer quanto o finalizar, de acordo com a boa vontade dele.

Existe a nossa parte e a parte de Deus. O que precisamos, todos os dias, é estar cheios do Espírito Santo. O Senhor deseja nos encher do seu Espírito, sempre, porque Ele sabe que a única maneira que temos para ir até o fim como cristãos é com a ajuda diária do Espírito Santo.

sexta-feira, 10 de julho de 2020

Reavivamento nos Dias de Hoje?

"O Senhor Deus é sol e escudo; o Senhor concede favor e honra; não recusa nenhum bem aos que vivem com integridade" (Salmos 84:11)

Consigo lembrar de situações em minha vida em que as coisas andavam bem sombrias. Mas então eu clamei pelo Senhor, e Ele interveio.

Em nosso país as coisas andam atualmente consideravelmente sombrias. Mas como diz o Senhor, "se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra" (2 Crônicas 7:14).

Deus está dizendo, de fato, isso: "Olha só: Busquem a mim, e vejam o que irei fazer. Orem agora. Sigam a minha receita para reavivamento. Vejam como eu irei intervir."

É o desejo de Deus nos abençoar. E você sabia que Deus quer nos abençoar ainda mais do que nós queremos ser abençoados? O Salmo 84:11 nos diz: "O Senhor Deus é sol e escudo; o Senhor concede favor e honra; não recusa nenhum bem aos que vivem com integridade."

Geralmente o motivo de orarmos é por termos alguma necessidade - quando estamos em crise. Precisamos de cura, de direção, de provisão financeira. Oramos porque estamos com problemas. Não é porque Deus simplesmente nos dá tudo o que precisamos, que a nossa vida estará livre de problemas ou conflitos. Na verdade, Deus irá permitir conflitos em nossa vida para que possamos perceber as nossas fraquezas e enxergar a grandeza de Deus e ver que dependemos Dele.

Não acredito que as necessidades máximas de nossa nação, serão resolvidas por um novo presidente e novos membros do governo. Creio que isso será resolvido por uma solução espiritual. Sendo assim, precisamos orar.

quinta-feira, 9 de julho de 2020

O Que Interrompe a Comunicação com Deus

"Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece as minhas inquietações. Vê se em minha conduta algo que te ofende, e dirige-me pelo caminho eterno" (Salmos 139:23-24)

Orar e depois viver em consciente pecado é como desligar o telefone na cara de Deus. Todas as orações do mundo não nos ajudarão se estivermos vivendo em pecado.

Deus disse em Isaías 59:1–2: "Vejam! O braço do Senhor não está tão curto que não possa salvar, e o seu ouvido tão surdo que não possa ouvir. Mas as suas maldades separaram vocês do seu Deus; os seus pecados esconderam de vocês o rosto dele, e por isso ele não os ouvirá." Além disso, o salmista disse: "Se eu acalentasse o pecado no coração, o Senhor não me ouviria" (Salmos 66:18).

Para que o avivamento pessoal ocorra em nossas vidas, deve haver arrependimento de todo pecado conhecido. Isso inclui não apenas os pecados ativos (fazer coisas ruins), mas também os pecados de omissão (deixar de fazer as coisas corretas ou permitir as incorretas).

Você pode dizer: "Estou vivendo uma vida limpa. Não minto. Não roubo. Não fico bêbado. Sou fiel ao meu cônjuge." Que Deus lhe abençoe por tudo isso. Mas você pode ser culpado do pecado da omissão. A Bíblia diz: "Pensem nisto, pois: aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz, comete pecado" (Tiago 4:17).

Se o Senhor pede que você compartilhe o evangelho e você diz não; se o Senhor pede para você compartilhar livremente os seus recursos e talentos no Seu reino e você se recusa; se o Senhor estiver lhe pedindo para orar mais e você não quiser, isso pode ser pecado por omissão.

Deus quer mudar a sua vida e perdoá-lo de todos os seus pecados. Existe algo que você esteja fazendo e que sabe que não deveria estar fazendo como seguidor de Jesus? Se assim for, você precisa mudar isso. Você nunca experimentará reavivamento pessoal até que o faça.

quarta-feira, 8 de julho de 2020

Renovação Começa com Oração

"Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta" (Mateus 7:7)

Nunca houve uma renovação sem oração na história. Renovação começa com oração.

Deus disse: "Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra" (2 Crônicas 7:14).

Observe que Deus disse: "Orar, buscar a minha face." Não devemos apenas orar, mas também devemos buscar a Sua face. Há uma diferença. Podemos orar assim: "Senhor, envie renovação. Amém." Agora vamos almoçar. Ou podemos orar: "Senhor, estamos procurando por Você... Senhor, estamos chamando por Você... Senhor, estamos desesperados por Você... Senhor, precisamos de Você. Envie um despertar para o nosso Brasil." É efetivamente um tipo de oração que não aceita "não" como resposta.

Estamos sendo presunçosos quando oramos dessa maneira? Não, porque Jesus disse: "Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta" (Mateus 7:7). Outra maneira de traduzir isso seria: "Continue perguntando, continue procurando, continue batendo." Jesus continua dizendo: "Pois todo o que pede, recebe; o que busca, encontra; e àquele que bate, a porta será aberta" (versículo 8).

Quando oramos por renovação, estamos orando de acordo com a vontade de Deus. Quando oramos pela salvação de um ente querido, estamos orando de acordo com a vontade de Deus. Precisamos seguir adiante em nossas orações e buscar a Sua face, sem recuar.

Não podemos organizar uma renovação, mas podemos suplicar em oração por uma. Talvez possamos preparar o terreno. Melhor ainda, devemos "pré-orar" o terreno. É só começar.

terça-feira, 7 de julho de 2020

Diferença Entre Dúvida e Incredulidade

"Os outros discípulos lhe disseram: 'Vimos o Senhor!' Mas ele lhes disse: 'Se eu não vir as marcas dos pregos nas suas mãos, não colocar o meu dedo onde estavam os pregos e não puser a minha mão no seu lado, não crerei'" (João 20:25)

G. Campbell Morgan disse: "Se você acredita em Deus, às vezes se pergunta por que Ele permite que certas coisas aconteçam. Mas tenha em mente que há uma diferença entre dúvida e incredulidade... Incredulidade é um ato de vontade, enquanto a dúvida nasce de uma mente conturbada e um coração partido."

Acho que às vezes, confundimos dúvida com incredulidade. A dúvida é uma questão de entendimento. Não entendemos o que Deus está fazendo ou por que Ele está fazendo alguma coisa. 

Tomé é conhecido como o "apóstolo incrédulo", porque ele não acreditou nos outros discípulos quando lhe contaram que Cristo apareceu para eles. A resposta de Tomé foi: "Se eu não vir as marcas dos pregos nas suas mãos, não colocar o meu dedo onde estavam os pregos e não puser a minha mão no seu lado, não crerei."

Da próxima vez que os discípulos se encontraram, Tomé estava junto. E quem apareceu? O Cristo ressuscitado. Vagamente parafraseado, Ele disse: "Tomé, olha aí meu amigo. Aqui estou eu."

"Disse-lhe Tomé: 'Senhor meu e Deus meu!'" (João 20:28).

Em sua defesa, Tomé não pediu mais do que os outros discípulos haviam vivenciado. Ele não estava disposto a acreditar em algo só porque alguém lhe disse que era verdade. Ele queria saber por si mesmo. Não há nada de errado com isso. Quando confrontado com as evidências, o duvidoso se transforma no crente. Isso é dúvida.

Incredulidade, por outro lado, é uma escolha. O incrédulo diz: "Eu ouço o que você está me dizendo, e escolho não acreditar. Rejeito completamente o que você está dizendo." Incredulidade é uma questão de vontade. É recusar-se a acreditar na Palavra de Deus e obedecer o que Ele nos diz para fazer.

Não é necessariamente ruim ter momentos de dúvida. Às vezes, precisamos passar pelo saguão da dúvida para entrar no santuário da certeza.

segunda-feira, 6 de julho de 2020

E a Dúvida?

"Olha dos altos céus, da tua habitação elevada, santa e gloriosa. Onde estão o teu zelo e o teu poder? Retiveste a tua bondade e a tua compaixão; elas já nos faltam!" (Isaías 63:15)

Você já lutou com a dúvida? Dúvida não é necessariamente um sinal de que uma pessoa esteja errada; é um sinal de que ela está pensando.

Há momentos na vida em que as coisas não fazem sentido para nós, mesmo como crentes. Talvez algo tenha acontecido que lhe tenha feito coçar a cabeça e perguntar: "Onde está Deus nisso tudo?" Talvez você tenha orado por algo e Deus parecesse calado. Ou, Ele poderia ter feito algo para corrigir a sua situação, mas parecia estar de má vontade, intencionalmente arrastando os pés, ou nem prestando atenção. Isso fez com que você momentaneamente tivesse dúvidas. 

Como se diz, a dúvida não é o oposto da fé; é um elemento dela. Às vezes, podemos pensar que Deus está fazendo algo e na verdade, Ele não está. Ou não entendemos por que Ele fez uma determinada coisa. Quando a tragédia atinge a vida de um cristão, nos perguntamos o por quê. Por que Deus fez isso?

O problema é que interpretamos Deus à luz da tragédia, e não o contrário. Em vez de interpretar Deus à luz de nossa tragédia, devemos interpretar nossa tragédia à luz de Deus. Lembre-se que Deus está no controle... que Ele te ama... que Ele pode trabalhar "em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito" (Romanos 8:28). 

Perceberemos no último dia, quando estivermos diante de Deus, que Ele nunca ficou de má vontade. Vamos entender por que Ele fez ou não fez o que queríamos que Ele fizesse. 
Até aquele dia, precisamos confiar n'Ele e segui-Lo.

sexta-feira, 3 de julho de 2020

Esconda-a no Coração

"Usem o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus" (Efésios 6:17)

Qual é a arma principal que devemos usar para resistir à tentação? Resposta: a Palavra de Deus. Quando Jesus foi tentado pelo diabo no deserto, Ele respondeu, seguidas vezes: "Está escrito..." Ele estava nos mostrando como usar a Palavra de Deus quando vier o ataque.

Ao escrever sobre a armadura de Deus, o apóstolo Paulo disse: "Usem o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus" (Efésios 6:17). Entre as coisas que ele lista em Efésios 6, só uma é arma de ataque: "a espada do Espírito, que é a palavra de Deus."

Deus nos concedeu a Sua Palavra como a principal arma para nos defendermos. Há poder em Sua Palavra. O Salmo 119:9 diz: "Como pode o jovem manter pura a sua conduta? Vivendo de acordo com a tua palavra." É interessante que isso seja dirigido ao jovem. Se você for jovem, como viver uma vida pura? Ouvindo ao que diz a Palavra de Deus.

Alguns versículos depois, diz o salmista: "Guardei no coração a tua palavra para não pecar contra ti" (versículo 11). Isso significa memorizar a Bíblia.

Você pode estar pensando: não consigo, não sou bom em memorização.

Pense só em todas as coisas que você memorizou sem nem saber. Sabe letras de música. Lembra-se do placar de eventos esportivos, datas de aniversário. Tem todo o tipo de números de bancos na memória, porque lhe interessam e você enche a mente com eles.

Abra algum espaço para a Palavra de Deus. Tenho hoje versículos rodando pelo meu cérebro que decorei aos dezessete anos. Versículos que ficaram comigo todos esses anos.

Precisamos conhecer a Palavra de Deus.

quinta-feira, 2 de julho de 2020

Voltando à Vida

"Então não nos desviaremos de ti; vivifica-nos, e invocaremos o teu nome" (Salmos 80:18)

O Brasil precisa de um despertar, mas a igreja precisa de um reavivamento. Costumamos usar as palavras reavivamento e despertar como sinônimos, mas há uma diferença entre elas. Um despertar é quando uma nação ganha vida espiritualmente, vê a sua necessidade de Deus e se volta para Ele. Um reavivamento é quando o povo de Deus volta à vida espiritual novamente.

Reavivamento significa simplesmente trazer de volta à vida, restaurar. Ser revivido é acordar de um estado de sono. Como C. S. Lewis apontou: "Um homem moderadamente ruim sabe que não é muito bom: um homem completamente mau pensa que está bem... Você entende o sono quando está acordado, não enquanto está dormindo." Em outras palavras, se você pensa que é uma ótima pessoa, alguém sem problemas, está realmente mais adormecido do que imagina.

O reavivamento é o retornar. É o levantar. O reavivamento significa voltar à vida cristã, como ela deveria ser vivida. O reavivamento é o florescer do primeiro amor por toda a vida, caminhando em estreita colaboração com o Senhor. Você não pode sempre ter essas emoções iniciais que teve enquanto um novo crente, assim como não pode sentir as mesmas borboletas no estômago que tinha quando conheceu seu(ua) companheiro(a). Isso não é realista. Mas seu amor pode crescer mais. Seu amor pode se fortalecer.

É assim que devemos ser como seguidores de Jesus. Precisamos da fé dos cristãos do primeiro século, a fé que deixou o mundo de cabeça para baixo. O reavivamento nada mais é do que uma nova obediência a Deus. Então é, para citar Nietzsche, uma "longa obediência na mesma direção."

Somente Deus pode enviar um despertar para o Brasil. Mas o reavivamento pode acontecer aqui e agora.

quarta-feira, 1 de julho de 2020

Espaço em Disco Indisponível

"As armas com as quais lutamos não são humanas; pelo contrário, são poderosas em Deus para destruir fortalezas. Destruímos argumentos e toda pretensão que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levamos cativo todo pensamento, para torná-lo obediente a Cristo" (2 Coríntios 10:4-5)

Sou conhecido por preencher o espaço de armazenamento no meu disco rígido. Tiro muitas fotos e guardo todas no meu computador. Fui aconselhado a colocá-las em um HD externo, mas prefiro mantê-las no meu computador. Muitas delas, se não a maioria, são da minha família e eu gosto de vê-las de vez em quando. Só que outro dia eu estava tentando salvar um documento, mas meu disco rígido estava cheio.

Não seria ótimo se, quando o diabo viesse bater à porta de nossas mentes com um pensamento ilícito, uma mensagem aparecesse dizendo: Este disco rígido está cheio da Palavra de Deus. Não há espaço para as suas coisas. Com muita frequência, temos muito espaço de armazenamento disponível e estamos dispostos a entreter nossos pensamentos.

Tentação, na maioria dos casos, entra pela porta de nossas mentes. Paulo escreveu para a igreja em Corinto: "O que receio, e quero evitar, é que assim como a serpente enganou Eva com astúcia, a mente de vocês seja corrompida e se desvie da sua sincera e pura devoção a Cristo." (2 Coríntios 11:3).

Quando nossa guarda está baixa e aquelas flechas flamejantes de pensamentos ímpios aparecem, devemos "destruir argumentos e toda pretensão que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levamos cativo todo pensamento, para torná-lo obediente a Cristo." ( 2 Coríntios 10:5).

Paulo também disse: "Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas" (Filipenses 4:8).

Vamos pensar nas coisas que nos edificam - não nas que nos derrubam.