segunda-feira, 29 de junho de 2020

"Frenemy" do Mundo

"Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele" (1 João 2:15)

A palavra ‘frenemy’ é um termo relativamente novo na língua inglesa. É uma mistura de "friend"’ (amigo) com "enemy" (inimigo). Um "frenemy" (algo como "Inamigo", em português) não é nem um amigo verdadeiro e nem um inimigo declarado. Minha preocupação ultimamente tem sido de que alguns cristãos estão se tornando "frenemies" ou "inamigos" do mundo.

Quando uso a palavra “mundo”, refiro-me a um modo mental, um sistema, um jeito de pensar. A Bíblia define o mundo da seguinte forma: “Pois tudo o que há no mundo — a cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a ostentação dos bens — não provém do Pai, mas do mundo” (1 João 2:16). Assim, o "mundo" é: a cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a ostentação dos bens..

Acredito que, às vezes, os cristãos se confundem sobre isso. Alguns acham que qualquer coisa que for legal ou que traga alegria é mundano. Mas as Escrituras dizem que Deus nos provê ricamente, para a nossa satisfação (1 Timóteo 6:17). É ótimo curtir as coisas que são saudáveis e edificantes. Não é a isto que a Bíblia se refere quando fala do mundo.

A mensagem na realidade quer dizer o seguinte: “Não ame os caminhos do mundo. Não ame os bens do mundo. O amor ao mundo ocupa um lugar que deveria ser de amor ao Pai. Praticamente tudo o que acontece no mundo – isto é, querer do seu próprio jeito, querer tudo para si mesmo, querer parecer importante – não tem nada a ver com o Pai.”

Pequenas tentações podem parecer inofensivas, como filhotinhos de gatos, fofinhos e peludos. Mas estes se tornarão gatos adultos. Uma pequena tentação pode se tornar um pecado de grandes proporções. Como cristãos, temos três inimigos que enfrentamos diariamente: o mundo, a carne e o diabo. O mundo com toda a sua fascinação é um inimigo externo. A carne com seus desejos pecaminosos é um inimigo interno. E o diabo com a sua sedução é um inimigo interno e externo.

Um comentário: