sexta-feira, 27 de março de 2020

Quando as Coisas Parecem Pretas

"Pedro, então, ficou detido na prisão, mas a igreja orava intensamente a Deus por ele" (Atos 12:5)

No capítulo 12 do livro de Atos as coisas estavam ficando pretas para a igreja. Tiago foi executado e Pedro foi preso pelo rei Herodes. Ele seria morto em seguida. Mas então lemos que "a igreja orava intensamente a Deus por ele." (versículo 5). A igreja levou isso a sério e começou a orar. Então Deus enviou um anjo para libertar Pedro da prisão, e a história teve um final feliz.

E vejam só o que vem depois. No final de Atos 12, o rei Herodes, que orquestrou esses eventos, estava dando um grande discurso, e o povo começou a gritar: "É voz de deus, e não de homem!" (versículo 22). Deus julgou Herodes e lhe tirou a vida ali mesmo.

A história começa com Herodes no comando, com Pedro na prisão e com o mal se dando bem. Mas, quando a história termina, Herodes está morto, Pedro está livre e a Palavra de Deus está triunfando. Essa história nos mostra por que precisamos estar sempre orando.

Talvez você esteja vendo as coisas pretas agora. Talvez esteja com uma doença grave ou esteja enfrentando uma situação difícil no trabalho. Talvez haja um problema em sua família. Talvez as coisas tenham ido de mal a pior, e você não saiba o que fazer. Ore por isso. Faça com que seus amigos cristãos orem com você por isso. Traga a situação diante do Senhor, porque com Deus tudo é possível (Marcos 9:23). Deus pode tomar situações impossíveis e transformá-las para a Sua glória.

Quer ver outra história interessante? No início do livro de Ester, as coisas pareciam sombrias também. Havia um rei indiferente, um sujeito perverso chamado Hamã e uma população judia paralisada pelo medo. Mas o povo orou e Deus interveio. Como a história termina? Os judeus foram salvos e Hamã literalmente enforcado na sua própria corda. Lembre-se, as coisas só acabam quando terminam!
Pedro, então, ficou detido na prisão, mas a igreja orava intensamente a Deus por ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário