quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

Devemos Viver o Sermão

"Tenham cuidado com a maneira como vocês vivem; que não seja como insensatos, mas como sábios, aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus." (Efésios 5:15-16)

Passei boa parte da minha vida orando por minha mãe. Ela era alcoólatra e foi casada e divorciada sete vezes. Depois que me converti, passei a pregar sermões inteiros para ela. Fiz de tudo para mostrar o Evangelho. No entanto, ela não acreditava. Só depois de vinte e cinco longos anos é que ela finalmente assumiu um compromisso com Cristo, e foi um mês antes de morrer.

As pessoas mais difíceis de alcançar para Cristo estão em nossas próprias famílias e nunca vamos alcançá-las através de um acordo. Precisamos viver a mensagem que estamos pregando. É tentador dar a todos um sermão. Queremos pregar para o marido ou para a esposa que ainda não foram salvos ou para os pais incrédulos. Mas chega um ponto em que já pregamos o suficiente. Chega um ponto em que devemos viver o sermão. Precisamos ser bons exemplos.

Se você for um marido com uma esposa incrédula, seja um bom marido. Se você for uma esposa crente com um marido incrédulo, seja uma esposa bondosa. Se você for uma criança com pais incrédulos, seja obediente, responsável e dedicada. Isso vai chamar a atenção deles.

Mesmo Jesus teve dificuldade em alcançar Seus irmãos, e quer exemplo melhor do que o d'Ele? Jesus era Deus, era perfeito. A Bíblia nos diz que pouco antes de Sua crucificação e ressurreição, a Sua própria família ainda não acreditava Nele. Se Jesus teve um desafio em alcançar a Sua própria família, nós também teremos.

E lembremos disso: ninguém é alcançado através de acordo ou de sermão. Deus está à procura de homens e mulheres que façam a diferença. Vamos deixar que Deus nos use.

Nenhum comentário:

Postar um comentário