sexta-feira, 3 de janeiro de 2020

A Sutil Destruição de Nossos Compromissos

"Quando Israel se tornou forte, impôs trabalhos forçados aos cananeus, mas não os expulsou completamente" (Juízes 1:28)

Aproximadamente duzentos anos se passaram desde que Josué liderou os israelitas em sua famosa marcha pelas muralhas de Jericó. Pelo poder de Deus, as muralhas da cidade caíram e os israelitas conquistaram Jericó. Sob a direção de Josué, eles também conquistaram muitos povos de Canaã, incluindo os amorreus, os hititas, os amonitas e os jebuseus.

Mas os israelitas não finalizaram o seu trabalho. Eles falharam em expulsar todos os cananeus da terra e viveram o suficiente para se arrepender. Duzentos anos depois, os cananeus recuperaram suas forças e começaram a dominar Israel.

Isso pode acontecer também conosco como cristãos. Dedicamos as nossas vidas a Cristo e efetivamente damos a Ele a chave mestra de todas as portas de nossas vidas - mas talvez não de todas. Podemos deixar alguns armários trancados porque temos algumas coisas ali; algumas áreas que realmente não entregamos ao Senhor. E, depois, esses pequenos problemas se transformam em grandes.

É como ter uma árvore que ultrapassou o limite do seu quintal. Você decide que é hora de cortá-la e reduzi-la. Mas você não pode simplesmente reduzi-la; você precisa retirar o tronco e a raiz também. Caso contrário, ela voltará a crescer. Pode até voltar a crescer mais forte e causar ainda mais problemas.

Do mesmo modo, o pecado precisa ser removido de nossas vidas. Quando cedemos um pouco aqui e um pouco ali, pequenas coisas se tornam grandes. É como aqueles coelhinhos adoráveis ​​que os pais compram para os filhos na Páscoa. Coelhinhos fofinhos se transformam em coelhos adultos, e pintinhos adoráveis se tornam grandes galinhas.

Pequenas coisas se transformam em grandes. É assim que o pecado pode operar em nossas vidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário