segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

Vigiando e Fazendo Obras

"Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser, mas sabemos que, quando Ele se manifestar, seremos semelhantes a Ele, pois o veremos como Ele é. Todo aquele que Nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, assim como Ele é puro." (1 João 3:2-3)

C. H. Spurgeon disse: "É muito abençoado estar atento a Cristo, é uma bênção para nós agora. Como isso lhe separa do mundo! Você pode ser pobre sem murmurar. Você pode ser rico sem mundanismo... bênçãos não reveladas estão envolvidas nessa gloriosa esperança."

A Bíblia diz que "assim também a fé, por si só, se não for acompanhada de obras, está morta." (Tiago 2:17). Se estar atento ao retorno do Senhor é evidência de fé, então as obras são evidências da fé em ação. Não estamos apenas aguardando ansiosamente o retorno de Cristo. Também nos ocupamos em trabalhar para o Reino de Deus. Vigiar nos ajuda a estar preparados, mas as nossas obras testemunham a nossa fé.

Jesus disse que é uma bênção viver desta forma: "Felizes os servos cujo senhor os encontrar vigiando, quando voltar (Lucas 12:37).

Em contraste com o servo que vigia e trabalha, há o servo despreparado. Jesus continuou: "Mas suponham que esse servo diga a si mesmo: ‘Meu senhor se demora a voltar’, e então comece a bater nos servos e nas servas, a comer, a beber e a embriagar-se. O senhor daquele servo virá num dia em que ele não o espera e numa hora que não sabe, e o punirá severamente e lhe dará um lugar com os infiéis" (Lucas 12:45-46).

Vigiar e aguardar o retorno de Cristo não é uma maneira miserável, repressiva ou confinante de se viver. Ao contrário, é um modo de vida abençoado, alegre e com propósito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário