sexta-feira, 29 de novembro de 2019

Um Retrato de Deus

"A seguir, levantou-se e foi para seu pai. "Estando ainda longe, seu pai o viu e, cheio de compaixão, correu para seu filho, e o abraçou e beijou." (Lucas 15:20

Ouvi falar de uma garotinha que pegou um pedaço de papel e alguns lápis de cera, preparando-se para desenhar alguma coisa. 

A mãe dela disse: "Querida, o que você vai desenhar?" 
"Vou desenhar um retrato de Deus."
"Querida, ninguém sabe como Deus é." 
 A garotinha respondeu: "Eles saberão quando eu terminar." 

O único lugar em que podemos obter um retrato adequado de Deus é nas páginas das Escrituras. Jesus efetivamente nos deu uma visão instantânea de Deus, ao dizer-nos como é Deus na história do filho pródigo. Nesta história, Deus é como um pai que ama seus filhos. Quando estamos pecando contra Ele ou fugindo d'Ele, Ele sente a nossa falta e anseia pelo nosso retorno. É claramente uma imagem de um pai amoroso. 

Mas, às vezes, podemos pensar em Deus da mesma maneira que pensamos em nossos pais terrenos. Isso pode ser problemático, porque se você tem um pai que é desinteressado e distante; ou pior: duro e até abusivo, você pode aplicar isso a Deus. Por outro lado, se você tem um pai que é gentil, acessível e divertido, pode transferir isso para Deus também. 

Aqui está o problema. Deus não é como seu pai terreno. Deus é Deus. Ele se destaca de todos os outros. Independentemente de quão bom ou ruim o trabalho que o seu pai na terra possa ter feito, você precisa saber que o seu pai celestial é diferente. 

Ele é um Deus de amor. Ele é um Deus de misericórdia. Ele é um Deus de graça. Mas Ele também é um Deus de justiça. Ele é um Deus de santidade. Ele é um Deus de integridade. E o Deus do Antigo Testamento é o mesmo que o Deus do Novo Testamento.
A seguir, levantou-se e foi para seu pai. "Estando ainda longe, seu pai o viu e, cheio de compaixão, correu para seu filho, e o abraçou e beijou.

Lucas 15:20

Nenhum comentário:

Postar um comentário