segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Controle da Mente

"Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas." (Filipenses 4:8)

Nós escolhemos aquilo que pomos na boca. A comida não pula sozinha para dentro. Decidimos se comemos isso ou aquilo. Pegamos, mordemos, mastigamos (ou pelo menos deveríamos mastigar), e aí engolimos. E quando começamos a engordar, é porque pusemos coisas erradas na boca.

Do mesmo modo, decidimos o que passa por nossas cabeças. Deixamos entrar certos pensamentos e deixamos outros de fora. Isso é importante, pois a primeira tentação que Eva sofreu foi a de ter pensamentos falsos acerca de Deus. Lemos em Gênesis 3:1: "Ora, a serpente era o mais astuto de todos os animais selvagens que o Senhor Deus tinha feito. E ela perguntou à mulher: Foi isto mesmo que Deus disse: 'Não comam de nenhum fruto das árvores do jardim'?"

Note que ele não veio até Eva e disse: "Oi, sou o Diabo, inimigo de Deus. Você já deve ter ouvido falar." Não, ele foi mais sutil. Ele veio serpenteando como cobra.

Quando eu era criança, colecionava cobras. Tinha aves e peixes tropicais, mas também cobras. O problema com as cobras é que elas estão sempre tentando escapar da gaiola. Conseguem fugir dos menores lugares, então é preciso ficar de olho nelas.

O Diabo é assim. E é por isso que precisamos controlar o que passa pela nossa mente. É nela que sonhamos. É nela que consideramos. É nela que raciocinamos. Com nossas mentes podemos alcançar o passado, por meio da memória, e o futuro, por meio da imaginação.

Então treine a sua mente para pensar apropriadamente e biblicamente. Não emocionalmente.
Encha-a com a Palavra de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário