sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Ingratidão

"Porque, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe renderam graças, mas os seus pensamentos tornaram-se fúteis e os seus corações insensatos se obscureceram" (Romanos 1:21)

Um homem que estava pregando uma telha solta no telhado perdeu o equilíbrio e começou a escorregar. Trabalhando no terceiro andar, ele ficou aterrorizado com a ideia de cair para a morte. Ele começou a gritar: "Deus, me ajude! Estou caindo! Faça alguma coisa!" Assim que ele chegou à beira do telhado, a alça do cinto prendeu em um prego e o deteve até que ele tivesse tempo de segurar-se novamente. 

Ele gritou: "Tudo bem, Deus! Eu me prendi em um prego". 

É assim que somos. Nós clamamos a Deus. Ele responde nossas orações. Então dizemos: "Tudo bem, Deus! Tudo parecia dar certo."

Será que paramos e pensamos sobre como Deus poderia ter trabalhado em certas circunstâncias para vir em nosso socorro? O que quero dizer é que precisamos agradecer a Deus pelo que Ele fez com o mesmo zelo com que pedimos a Deus quando precisamos de ajuda. 

Ouvi falar de um capelão do hospital que manteve um registro de cerca de dois mil pacientes que ele havia visitado, todos que pareciam estar em estado de agonia e mostravam sinais de arrependimento. Entre aqueles recuperados, ele sentiu que apenas dois mostraram uma mudança marcante em suas vidas espirituais após a sua recuperação. Em outras palavras, quando essas pessoas achavam que iriam morrer, elas se arrependiam. Mas quando se recuperavam, esqueciam-se de Deus. 

O que você acha de uma pessoa que sempre lhe pediu favores, mas nunca deu uma palavra de agradecimento em troca? Podemos ser assim com Deus, não podemos?
Vamos nos lembrar de agradecê-Lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário