segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Destruição Disfarçada

"O amor deve ser sincero. Odeiem o que é mau; apeguem-se ao que é bom". (Romanos 12:9)

Uma das primeiras coisas de que me lembro quando entreguei a minha vida a Jesus Cristo foi a erosão da amargura e da raiva e o crescimento de um amor que antes eu não conhecia. Anos de amargura e raiva que haviam se acumulado começaram a se dissolver.

Se afirmarmos ser seguidores de Cristo e abrigarmos amargura ou ódio em nossos corações para com alguém, há algo muito errado. João foi muito claro quando escreveu: "Se alguém afirmar: 'Eu amo a Deus', mas odiar o seu irmão, é mentiroso, pois quem não ama seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê" (1 João 4:20). João estava dizendo que, se tivermos ódio em nossos corações para com os membros do corpo de Cristo, irmãos cristãos, há algo errado em nossa vida espiritual.

Talvez alguém tenha prejudicado ou magoado você no passado. Mesmo assim, Deus pede que você ame e perdoe essa pessoa e não que se vingue dela. Eis o por quê: essa amargura e ódio causarão mais danos a você do que à outra pessoa. Isso vai lhe corroer por dentro. Isso destruirá a sua vida. Isso vai atrapalhar o seu tempo de oração com Deus. Isso vai atrapalhar a sua adoração. Será, para todos os efeitos práticos, um obstáculo ao relacionamento que Deus quer ter com você.

Não há lugar para ódio, amargura ou preconceito no coração de um filho de Deus. Deus quer que o nosso amor seja honesto e sem hipocrisia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário