quinta-feira, 8 de novembro de 2018

A Armadilha do Não Comprometimento

"[...] pois não ignoramos as suas intenções" (2 Coríntios 2:11)

Quando eu era criança, colecionava cobras. Não sei por que, mas eu achava as cobras muito legais. Meu objetivo na vida era me tornar um herpetólogo. Eu lia sobre cobras e tinha algumas delas.

Minha mãe, que era muito tolerante com meu hobby, um dia me levou ao pet shop para pegar uma nova cobra. Colocamos a cobra no porta-malas do carro em uma caixinha, mas quando chegamos em casa, a caixa estava vazia. A cobra tinha ido embora.

Minha mãe disse: "Eu nunca mais vou dirigir meu carro".

Mas surgiu uma situação em que ela teve que dirigir. Enquanto esperava no semáforo, sentiu uma gota fria cair no tornozelo. Ela pensou que a cobra desaparecida estava fazendo um reaparecimento. Então ela abriu a porta do carro e pulou para fora, gritando como louca. Um policial estava lá e perguntou o que estava errado. Ela disse a ele que uma cobra estava em seu carro. Ele foi investigar e, na verdade, a "cobra" que ela sentiu era na verdade uma mangueira que se soltou e caiu sobre a perna dela.

Nós nunca encontramos a cobra. Havia apenas uma pequena abertura naquela caixa e ela escapou. O diabo é como aquela cobra. Quando você dá a ele uma pequena abertura em sua vida, cuidado. Você pode pensar, vou me comprometer só um pouco aqui... Baixarei a minha guarda só um pouco ali. Eu dou conta disso. Isso não é problema. Mas a próxima coisa você já sabe: o diabo afundou suas presas em você e você está caindo rapidamente. Então seja muito, muito cuidadoso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário