quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Ônus ou Bônus?

"[...] uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve [...]" (Hebreus 12:1)

Certa vez ouvi falar de uma grande violinista de concertos, a quem foi perguntado qual o segredo de suas grandes apresentações. Ela respondeu: "Desinteresse planejado! Qualquer coisa que possa me impedir de treinar e tocar bem deve ser rejeitada."

Acho que faria bem a alguns de nós um pouco de desinteresse planejado na vida, pois temos mais besteira nela do que conseguimos perceber. Se você não acredita, experimente mudar de casa. Não é impressionante quantas besteiras a gente junta? É a mesma coisa em nossas vidas. Juntamos um monte de coisas das quais não precisamos. Periodicamente temos de descarregar o excesso de peso e largar mão de algumas delas.

Quando a corrida da vida fica difícil, gostamos de culpar a situação, as outras pessoas ou, às vezes, até Deus. Mas precisamos nos lembrar que a culpa é somente nossa, se tropeçarmos ou cairmos. A Bíblia diz que Deus com "Seu divino poder nos deu todas as coisas de que necessitamos para a vida e para a piedade, por meio do pleno conhecimento daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude" (2 Pedro 1:3).

A Bíblia também manda nos livrarmos de tudo que nos atrapalhe e impeça nosso avanço (ver Hebreus 12:1). Note a diferença: não é só para nos livrarmos do pecado; é para nos livrarmos também do peso. Sugeri antes que você se perguntasse: "Esta preocupação ou atividade na minha vida é um bônus ou um ônus? Em outras palavras: ela me acelera nesta corrida que estou correndo? Ou é só um ônus — algo que me atrasa?"

Davi teve a noção certa quando orou assim: "Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece as minhas inquietações. Vê se em minha conduta algo que te ofende, e dirige-me pelo caminho eterno" (Salmo 139:23-24).

Nenhum comentário:

Postar um comentário