quarta-feira, 3 de outubro de 2018

O Que Há de Bom na Culpa?

"Pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus" (Romanos 3:23-24)

Quando Sir Arthur Conan Doyle, autor das estórias de Sherlock Holmes, quis fazer uma brincadeira com doze de seus amigos, ele enviou um bilhete para cada um deles que dizia apenas: "Fuja imediatamente. Descobriram tudo." Em vinte e quatro horas, todos os doze amigos haviam deixado o país. Isso é o que se pode chamar de consciência pesada.

Se você quer saber a minha opinião, acho que poderíamos usar um pouco mais da culpa em nossa sociedade. A culpa serve a um propósito. O que de bom pode vir da culpa? O mesmo bem que vem daquele sistema de alerta em nossos corpos chamado dor. Se você pisa em um pedaço de vidro, seu corpo envia um sinal de alerta: "Pare! Não vá adiante!" Da mesma forma, Deus instalou um sistema de advertência chamado culpa em nossas almas e nós o experimentamos sempre que fazemos algo errado. Assim como a dor nos diz que há um problema físico que deve ser enfrentado ou que o corpo sofrerá, a culpa nos diz que algo está errado espiritualmente e precisa ser confrontado e purificado.

Veja: a culpa não é necessariamente uma coisa ruim. O sentimento de culpa que experimentamos é o sintoma do verdadeiro problema, que é o pecado. Todo aconselhamento psicológico do mundo não pode aliviar uma pessoa de sua culpa. Podemos fingir que ela não está lá ou tentar encontrar alguém para nele pôr a culpa pelos nossos problemas, mas a única maneira real e eficaz de remover a nossa culpa é chegar à raiz do problema, que é o pecado.

Jesus Cristo perdoa os nossos pecados. Para isso, precisamos reconhecê-los, arrepender-nos verdadeiramente e pedir esse perdão a Ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário