segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Contemplando a Cruz

"Mas graças a Deus, que nos dá a vitória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo" (1 Coríntios 15:57)

Ouvi falar de um homem que tentou iniciar a sua própria religião, mas logo descobriu que isso não funcionava tão bem assim. Ele decidiu se aproximar do estadista francês Charles Maurice de Talleyrand-Érigord e perguntar o que ele deveria fazer para ganhar seguidores. O estadista disse-lhe: "Recomendo que você se crucifique, morra e depois ressuscite no terceiro dia."

A morte de Jesus na cruz e a Sua ressurreição no terceiro dia é a pedra angular da fé cristã. É o que diferencia a nossa fé como cristãos, da fé de todos os outros. No entanto, muitos vêem a crucificação de Cristo como uma interrupção rude do que foi um ministério bem-sucedido. Mas a cruz estava na mente de Jesus Cristo desde o começo. Esse é o lugar para onde Ele sabia que estava indo e falava disso frequentemente. A Bíblia até nos diz que antes mesmo de vir a essa terra, foi tomada a decisão de que Ele iria finalmente para a cruz. As Escrituras O chamam de "o Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo" (Apocalipse 13:8).

Foi na cruz que as exigências justas de Deus foram satisfeitas. Foi na cruz que Deus e a humanidade se reconciliaram novamente. Foi na cruz que foi dado um golpe decisivo contra Satanás e seus asseclas. Foi na cruz que nossa própria salvação foi comprada. Portanto, não conseguimos falar o bastante sobre a cruz - nem contemplá-la com a devida frequência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário