quarta-feira, 20 de junho de 2018

Paraíso Encontrado

"Tu me farás conhecer a vereda da vida, a alegria plena da tua presença, eterno prazer à tua direita." (Salmos 16:11)

Quando criança, sempre quando pegávamos a estrada para Anahein, na Califórnia, eu olhava para fora da janela do carro e apontava para uma imagem bem conhecida minha, a montanha-russa Matterhorn da Disney. Pra mim aquela imagem representava uma espécie de "terra prometida". Lembro-me de fazer uma promessa de que quando eu fosse adulto, iria todo dia na Disney. 

Quando a Disney inaugurou em 1955, os visitantes eram cobrados por cada atração do parque. Aparentemente, havia muitas reclamações de que a Walt Disney estava cobrando demais por vários serviços pequenos dentro do próprio parque (além o ingresso principal), uma vez que havia sido inventado um "livro de ingressos". Nesse livro, alguns ingressos valiam mais e davam mais acessos que outros. Adivinhou, eles tinham um "E-Ticket", que lhe dava acesso a mais atrações. Esse ingresso lhe dava acesso a atração mais legal na época, a montanha-russa Matterhorn, assim como também ao MonoTrilho e à Viagem Submarina. 

Ainda gosto muito de ir à Disney, mas não cumpri minha promessa de ir lá todos os dias. Entretanto, tem um paraíso muito melhor pelo qual eu agora anseio. Os capítulos finais da Bíblia descrevem um paraíso, criado por Deus no céu para nós. No primeiro capítulo da Bíblia, vemos um paraíso que está perdido, mas nos últimos capítulos nós encontramos um paraíso. 

A boa notícia é que o ingresso para ir para esse paraíso já foi pago. Não vai haver outras pequenas cobranças dentro do paraíso além do ingresso principal, muito menos um "E-Ticket" - aliás não haverá nenhum outro ingresso a ser adquirido lá. O ingresso principal e único foi adquirido para mim e para você através da Cruz de Jesus. 

Um dia vai haver uma restauração. Quotas não terão mais de existir para que as pessoas se equiparem. Deficiências mentais e físicas não irão mais existir. Haverá apenas riso e alegria. C. S. Lewis falou sobre isso: "A alegria será o único 'trabalho' no céu". No céu vai ser pura alegria. Nenhum "E-ticket" lhe será cobrado.

terça-feira, 19 de junho de 2018

Vislumbres do Céu

"O mais importante do que estamos tratando é que temos um sumo sacerdote como esse, o qual se assentou à direita do trono da Majestade nos céus e serve no santuário, no verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, e não o homem." (Hebreus 8:1-2)

É importante lembrar que o céu é um lugar real. Muitas vezes pensamos no Céu como uma espécie de culto religioso translúcido, espacial e interminável. Alguns podem pensar, não tenho muita certeza... Não sei se vou gostar do Céu, ficar sentado em uma nuvem, tocando uma harpa, cantando para sempre. Eu gosto da Terra. Mas isso é um mal-entendido sobre o Céu.

O que nós gostamos na Terra? Gostamos da beleza, das alegrias, do amor à família e aos amigos. Há tantas coisas que gostamos na terra. Deus nos deu essas coisas, por isso não precisamos nos sentir mal com elas. Mas eis o que precisamos saber: o Céu não é uma cópia da Terra; O céu é o original e a Terra é a cópia.

O templo construído em Jerusalém era uma cópia do templo real no céu. Hebreus 8:5 nos diz: "Eles servem num santuário que é cópia e sombra daquele que está nos céus, já que Moisés foi avisado quando estava para construir o tabernáculo: 'Tenha o cuidado de fazer tudo segundo o modelo que lhe foi mostrado no monte.'"

Como escreveu C. S. Lewis: "Todas as coisas que já possuíram profundamente a sua alma foram apenas uma pincelada do que é o Céu - vislumbres fascinantes, promessas nunca cumpridas, ecos que desapareceram assim que chegaram aos seus ouvidos." A coisa real é o céu.

As coisas que mais gostamos na Terra estarão esperando por nós no Céu, mas em um estado perfeito. Não perderemos nada. O céu é o lugar real da paz real.

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Porque Ser "Bom" Não É o Suficiente

"Pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus" (Romanos 3:23)

Uma pessoa que se acha sempre justa, correta, pensa que não precisa de perdão. Pessoas assim não acham que precisam de Jesus. Elas poderão dizer: "Você tem ido pregar o Evangelho nas prisões e nas ruas, aos criminosos. Mas não me incomode com isso. Sou uma pessoa educada e inteligente. Sou uma pessoa moral."

Mas a Bíblia diz: "não por causa de atos de justiça por nós praticados, mas devido à sua misericórdia, ele nos salvou pelo lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, que ele derramou sobre nós generosamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador. Ele o fez a fim de que, justificados por sua graça, nos tornemos seus herdeiros, tendo a esperança da vida eterna." (Tito 3:5-7)

Pessoas com esse sentimento de auto-justificação são diferentes daquelas que, digamos, cometem pecados de forma sempre explícita e clara. Geralmente essas pessoas são gentis. São pessoas bem vistas na sociedade. Fazem trabalhos voluntários, ajudam. Fazem coisas boas. Todos nós conhecemos pessoas assim. De fato, já conheci alguns não-cristãos que são mais legais que muitos cristãos que conheço.

Não é errado dizer que elas são pessoas boas desse mundo, porque elas são. A Bíblia não questiona isso. Mas a Bíblia diz que ninguém é bom o suficiente para ser salvo por si mesmo. Não vamos para o Céu com base no quanto somos gentis. O Céu não é para pessoas perfeitas; é para pessoas perdoadas.

Vemos um exemplo clássico disso no Evangelho de João. Em João 3, vemos Nicodemos, que era uma pessoa religiosa, uma pessoa moral. Mas em João 4, vemos a mulher samaritana, uma pessoa imoral vivendo em pecado. O que os dois têm em comum? Ambos encontraram Jesus. E ambos creram Nele.

Isso nos lembra que todos precisam de Cristo - os morais e os imorais, os "bons" e os "maus".

Todos precisam Dele.

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Uma Invasão do Paraíso

"Acaso não nos renovarás a vida, a fim de que o teu povo se alegre em ti?" (Salmos 85:6)

O que significa a palavra "reavivamento"? Podemos entender melhor essa palavra olhando para a palavra "reviver", seu parente próximo. Reviver alguma coisa significa trazê-la de volta à vida. Poderíamos facilmente usar a palavra "restauração" em seu lugar. Restaurar algo é devolvê-lo ao seu estado original.

O reavivamento é uma espécie de palavra da igreja. Com isso quero dizer: a cultura secular não precisa de reavivamento. Ela precisa de evangelismo. Eis uma coisa interessante: o evangelismo não produz necessariamente reavivamento, mas o avivamento sempre produz evangelismo. Sempre que houve um despertar espiritual, dele resultou um impulso evangelístico. Quando o povo de Deus é despertado, restaurado, ressuscitado, as pessoas saem e começam a fazer o que deveriam fazer o tempo todo: proclamar o evangelho.

Um autor escreveu que o reavivamento é "um extraordinário movimento do Espírito Santo, produzindo resultados extraordinários." Outro disse: "O reavivamento é uma comunidade saturada de Deus." E A. W. Tozer definiu avivamento como "aquilo que muda o clima moral de uma comunidade." Quando oramos por um reavivamento, estamos orando por uma restauração.

No Salmo 85:6, encontramos esta oração para reavivamento: "Acaso não nos renovarás a vida, a fim de que o teu povo se alegre em ti?"

Um avivamento é uma invasão do céu. É quando Deus trabalha e não podemos explicá-lo. É isso que eu quero ver de novo - um tempo em que os cristãos digam: "Não sabemos como isso começou ou o que está acontecendo. Tudo o que sabemos é que as pessoas estão enchendo as nossas igrejas. As pessoas estão vindo a Cristo. As pessoas estão orando."

Precisamos de reavivamento e o mundo precisa do evangelho. Vamos orar para que Deus nos reavive.

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Paraíso na Terra

"[...] fazer convergir em Cristo todas as coisas, celestiais ou terrenas, na dispensação da plenitude dos tempos" (Efésios 1:10)

Todos nós já ouvimos a expressão: foi como o paraíso na Terra. Talvez você tenha dito isso depois de uma boa refeição ou de ótimas férias. Disse: "Foi incrível! Um paraíso na Terra!" Não queremos dizer literalmente isso, claro. Mas usamos essa expressão como ponto de referência para descrever algo que seja a melhor situação possível.

Para nós é difícil ter em mente o lugar que chamamos de Céu. Entendemos a Terra porque é um lugar de verdade. Fazemos coisas de verdade, com gente de verdade. Vivemos num corpo de verdade. Mas o paraíso soa tão surreal, tão distante. É difícil de entender. No entanto, é um lugar de verdade.

O plano de Deus é um dia ajuntar tudo do Céu e da Terra sob um líder: Jesus Cristo (ver Efésios 1:10). Pedro pregou que é necessário que Cristo "permaneça no céu até que chegue o tempo em que Deus restaurará todas as coisas, como falou há muito tempo, por meio dos seus santos profetas" (Atos 3:21). Deus não abandonará a Sua criação; Ele no fim vai restaurá-la. Ele vai restaurar vidas. Ele vai restaurar corpos. Ele vai restaurar o nosso próprio planeta.

Randy Alcorn, em seu excelente livro chamado Heaven [Céu], escreveu: "Não vamos partir para o Céu e deixar para trás a Terra. Em vez disso, Deus vai reunir o Céu e a Terra numa só dimensão, sem muro de separação, sem anjos armados que protejam a perfeição celeste contra o homem pecador."

Um dia haverá paraíso na Terra porque um mundo novo virá. Um dia o Céu descerá até a Terra. Vai-se o que é velho e chega o que é novo. Não haverá mais doenças terminais. Nem acidentes. Nem enterros. Nem crises e separações. Nem sofrimento. Deus renovará tudo.

quarta-feira, 13 de junho de 2018

Uma Perspectiva Eterna da Dor

"Considero que os nossos sofrimentos atuais não podem ser comparados com a glória que em nós será revelada" (Romanos 8:18)

Por mais que possamos tentar, não podemos controlar o universo. Quer você goste ou não, a dor virá bater à nossa porta de alguma maneira e em algum momento. Podemos tentar afastá-la, mas a dor virá de qualquer modo. Temos uma escolha de como vamos lidar com isso: podemos desperdiçar a nossa dor ou podemos usá-la para a glória de Deus.

Como a dor pode ser usada para a glória de Deus? Duas pessoas me vêm à mente. O primeiro é Joni Eareckson Tada. Aos 17 anos, um acidente de mergulho a deixou tetraplégica. No entanto, ela trouxe inspiração, esperança e encorajamento para milhões de pessoas em todo o mundo. Se ela tivesse vivido a sua vida sem essa deficiência, tenho certeza de que ela teria sido usada por Deus. Mas ela teria sido usada da mesma maneira? Não me parece provável. Deus tomou essa dor e a usou para a Sua glória.

E há Nick Vujicic. Nascido sem braços e pernas, ficou tão desanimado quando jovem que até pensou em se suicidar. E mesmo assim ele perseverou e trouxe encorajamento para outras pessoas em todo o mundo.

Joni e Nick são a prova viva de que Deus pode suportar a dor em nossas vidas e usá-la para a Sua glória. Então, temos que olhar para isso com uma perspectiva eterna e perceber que todas as coisas vão cooperar para o bem (veja Romanos 8:28). A esperança de um novo céu e de uma nova terra nos ajuda a manter a perspectiva no aqui e agora durante os tempos de provação.

Está chegando o dia em que os erros serão corrigidos, quando as dores serão curadas, quando a tristeza será erradicada. Deus fará novas todas as coisas.

terça-feira, 12 de junho de 2018

Tudo o Que Precisamos

"Todos que estão aqui saberão que não é por espada ou por lança que o Senhor concede vitória; pois a batalha é do Senhor, e ele entregará todos vocês em nossas mãos" (1 Samuel 17:47)

Quando Davi enfrentou Golias, ele sabia que a batalha pertencia ao Senhor. Ele disse ao filisteu gigante: "A batalha é do Senhor, e ele entregará todos vocês em nossas mãos" (1 Samuel 17:47).

Os gigantes nos derrotam sempre que os enfrentamos com as nossas próprias forças. Não podemos superar os nossos gigantes com a nossa própria capacidade. Precisamos de ajuda. A batalha pertence ao Senhor.

É por isso que, antes que o apóstolo Paulo mencionasse alguma peça de armadura espiritual, ele disse: "Finalmente, fortaleçam-se no Senhor e no seu forte poder" (Efésios 6:10). Reconhecemos que somos fracos, mas, ao mesmo tempo, reconhecemos que Deus é grande, que Deus é poderoso. Jesus disse: "Sem mim vocês não podem fazer coisa alguma" (João 15:5).

Precisamos conhecer os incríveis recursos que Deus disponibilizou a nós cristãos. Paulo orou para que os crentes em Éfeso descobrissem o que Deus havia feito por eles, pedindo que "os olhos do coração de vocês sejam iluminados, a fim de que vocês conheçam a esperança para a qual ele os chamou, as riquezas da gloriosa herança dele nos santos" (Efésios 1:18).

Na mesma epístola, Paulo continua dizendo: "Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-nos vida juntamente com Cristo, quando ainda estávamos mortos em transgressões - pela graça vocês são salvos. Deus nos ressuscitou com Cristo e com ele nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus" (Efésios 2:4-6).

Como crentes, compartilhamos do poder que Jesus nos deu. Portanto, não lutamos pela vitória; nós lutamos juntamente com ela. Temos tudo o que precisamos para prevalecer contra os gigantes em nossas vidas.

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Um Vislumbre da Glória

"Temos, pois, confiança e preferimos estar ausentes do corpo e habitar com o Senhor. Por isso, temos o propósito de lhe agradar, quer estejamos no corpo, quer o deixemos" (2 Coríntios 5:8-9)

O que acontece aos fiéis quando eles morrem? Eles vão direto à presença de Deus. A Bíblia diz que estar ausente do corpo é estar presente com o Senhor (ver 2 Coríntios 5:8-9). Paulo entendia isso quando disse "desejo partir e estar com Cristo, o que é muito melhor" (Filipenses 1:23).

Quando Estêvão foi martirizado por sua fé, foi-lhe dado um vislumbre da glória. Em Atos 7, lemos: "Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo, levantou os olhos para o céu e viu a glória de Deus, e Jesus de pé, à direita de Deus, e disse: 'Vejo o céu aberto e o Filho do homem de pé, à direita de Deus'" (versículos 55-56). Então nos é dito em Atos 6:15 que o rosto de Estêvão ficou brilhante e "parecia o rosto de um anjo". Ele estava enxergando lá do outro lado. Ele irradiava a glória de Deus.

Quando D. L. Moody, o grande evangelista, estava em seu leito de morte, as suas últimas palavras foram: "Morrer é assim? Ora, isto é uma felicidade. Não há nenhum vale. Entrei pelos portões. A terra está se afastando; o Céu está se abrindo; Deus está chamando; preciso ir." E então Moody deu seu último suspiro.

Reconforta-me pensar que, quando o meu filho Christopher deixou esse mundo, ele foi carregado por anjos à presença de Deus. Creio nisso com todo o meu coração. E creio que isso seja verdade para todos os cristãos quando as suas vidas terrenas chegam ao fim.

Quando, como fiel, você deixar esse mundo, será carregado por anjos à presença do Senhor e ficará lá com Ele. Se pudéssemos ver como isso é glorioso, estou certo de que mudaria tudo em nós.
Link para o texto original

sexta-feira, 8 de junho de 2018

O Problema é o Coração

"[...] O coração dos homens, além do mais, está cheio de maldade e de loucura durante toda a vida; e por fim eles se juntarão aos mortos." (Eclesiastes 9:3)

Muitas vezes as pessoas afirmam que, se pudessem mudar o ambiente, as pessoas também mudariam. Elas dizem que a razão pela qual as pessoas são do jeito que são decorre de sua educação e do ambiente.

Mas eu não acho que isso seja verdade.

A Bíblia diz que no final do reinado milenar de Cristo, haverá uma rebelião: "Quando terminarem os mil anos, Satanás será solto da sua prisão e sairá para enganar as nações que estão nos quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, a fim de reuni-las para a batalha. Seu número é como a areia do mar"(Apocalipse 20:7-8).

Quem Satanás enganará? Ele enganará os descendentes dos sobreviventes da tribulação. Eles ainda terão naturezas pecaminosas e serão atraídos para essa rebelião final contra Deus. Isso nos lembra de quão obscuro o coração humano realmente é.

Não poderíamos ter um período de tempo melhor do que este. Literalmente será o mais próximo ao céu que podemos chegar aqui na terra. O próprio Cristo estará dirigindo o show. A justiça encherá o planeta. Ainda assim, haverá uma rebelião. Por quê? Porque o coração humano é mau.

Às vezes as pessoas justificam suas ações dizendo: "Deus conhece o meu coração". Mas esse é o problema. Deus conhece os nossos corações. E de acordo com Jeremias 17:9: "O coração é mais enganoso que qualquer outra coisa e sua doença é incurável. Quem é capaz de compreendê-lo?"

Como o rei Salomão escreveu: "[...] O coração dos homens, além do mais, está cheio de maldade e de loucura durante toda a vida; e por fim eles se juntarão aos mortos" (Eclesiastes 9:3).

Precisamos ter essa consciência sobre nós mesmos - que temos esse desejo maligno.

quinta-feira, 7 de junho de 2018

A Poderosa Proteção da Palavra de Deus

"Ele respondeu: 'Antes, felizes são aqueles que ouvem a palavra de Deus e lhe obedecem'." (Lucas 11:28)

Aline, minha neta mais nova, tem um coelhinho chamado Fuzy (chamado assim por sua irmã mais velha). Fuzy vive em uma gaiola razoavelmente grande. Sei que parece injusto colocar um coelho numa gaiola, mas é uma gaiola bem bonita. E realmente acho que Fuzy gosta de sua gaiola.

Aline ainda não conhece o jeito adequado de lidar com um coelho. Então, quando ela tira Fuzy de sua gaiola, às vezes agarra-o pela cabeça e nós falamos: "Não, Ali, pegue ele por baixo agora." Mas ela ama Fuzy e grita de alegria toda vez que ele sai de sua gaiola. Depois dela se divertir com ele, Fuzy está pronto para voltar para sua casa. Como sei disso? Uma vez, enquanto eu o estava levando de volta para a sua gaiola, ainda estava a um metro de distância, quando Fuzy pulou dos meus braços e atravessou a porta aberta da gaiola. Ele correu para o canto, como se dissesse: "Estou tão feliz agora!" E eu prontamente fechei a porta.

Agora algumas pessoas podem pensar: pobre coelho. A gaiola o está mantendo confinado! Mas Fuzy diria: "Não, a gaiola mantém a Aline fora".

Às vezes as pessoas vêem a Palavra de Deus da mesma maneira. Elas podem dizer: "A Bíblia, com todas as suas regras e mandamentos, está nos impedindo de nos divertir. Ela está nos impedindo de viver a vida ao máximo!"

Mas na verdade é o oposto disso. Uma pessoa inteligente sabe que quando a Palavra de Deus nos diz para não fazer algo, é para o nosso próprio bem.

Como disse Martinho Lutero: "A Bíblia está viva, fala comigo; tem pés, corre atrás de mim; tem mãos, apega-se a mim".

quarta-feira, 6 de junho de 2018

O Cheiro do Pecado

"Vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados, nos quais costumavam viver, quando seguiam a presente ordem deste mundo e o príncipe do poder do ar, o espírito que agora está atuando nos que vivem na desobediência" (Efésios 2:1-2)

Anos atrás eu tinha um pastor alemão chamado Irlo. Uma noite estávamos passeando e vimos um gato. Imediatamente, Irlo correu atrás dele. Enquanto eu o observava partir em disparada, o gato de repente parou. Pensei: esse gato é realmente muito ousado. Então ouvi um enorme chiado, super alto, e vi Irlo correr desesperado em minha direção. Olhei para o gato novamente e percebi que, na verdade, não era um gato.

Irlo havia sido atingido por um spray de urina de um gambá. Comecei a correr, sabendo que Irlo queria voltar para casa. Quando chegamos, ele entrou desesperado para dentro de casa. E imediatamente tudo ficou com cheiro de gambá. Demorou muito tempo para aquele cheiro sair.

Assim também acontece com o pecado. Parece que tudo ao nosso redor fica infectado com o cheiro do pecado, sem nenhum antídoto próximo. Tentamos escapar, mas não conseguimos.

A Bíblia chama o diabo de "deus desta era" (2 Coríntios 4:4) e de "príncipe do poder do ar" (Efésios 2:2). O diabo está por trás de toda a maldade, depravação e violência deste mundo. Todas as coisas horríveis são orquestradas ou motivadas pelo próprio Satanás. Ele quer causar estragos. Ele quer trazer o máximo de destruição possível.

Por que o diabo quer a nossa destruição? Resposta: porque Jesus Cristo está voltando. Para o diabo, isso é ruim. Mas para nós, isso é ótimo. E é um incentivo para compartilharmos a nossa fé e vivermos uma vida santa.

terça-feira, 5 de junho de 2018

Face a Face Com um Gigante

"Tudo posso naquele que me fortalece" (Filipenses 4:13)

Anos atrás, deparei-me com um gigante - uma enorme baleia. Meus amigos e eu estávamos em um daqueles pequenos botes infláveis e saímos para observar baleias. Quando vimos um esguicho a certa distância, fomos dar uma olhada mais de perto, ainda que mantendo uma distância de segurança. De repente, uma jovem baleia nadou bem debaixo do nosso barco. Momentos depois a sua mãe, do tamanho de um submarino, apareceu e também deslizou bem debaixo de nossa pequena embarcação. Ela estava tão perto que nós realmente podíamos ver as cracas em seu corpo. E tão rápido quanto ela e seu filhote apareceram, elas desapareceram.

De certo modo, todos temos gigantes que encontramos na vida. Por gigantes quero dizer aqueles problemas aparentemente insuperáveis​ que tentamos vencer, mas que só se tornaram maiores com o passar do tempo. Para algumas pessoas, pode ser o gigante do medo. Para outros, pode ser o gigante de um pecado pessoal. Para outros ainda, pode ser o gigante do vício.

Mas não importa quem somos, todos enfrentamos gigantes: dificuldades, tentações, obstáculos e desafios. No entanto, 1 Coríntios 10:13 nos assegura: "Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, ele lhes providenciará um escape, para que o possam suportar."

Saiba disso: todo gigante pode ser derrotado. Não há poder ao qual você deva se submeter... nenhum vício que precise controlar a sua vida... nenhum estilo de vida do qual você não possa se libertar... nenhum gigante que deva dominar você. Você tem tudo o que precisa em seu relacionamento com Cristo.

segunda-feira, 4 de junho de 2018

A Bênção de Ofertar

"'Tragam o dízimo todo ao depósito do templo, para que haja alimento em minha casa. Ponham-me à prova', diz o Senhor dos Exércitos, 'e vejam se não vou abrir as comportas dos céus e derramar sobre vocês tantas bênçãos que nem terão onde guardá-las'." (Malaquias 3:10)

Nosso dinheiro é um reflexo claro das prioridades de nossas vidas. Costumamos desvincular essas duas coisas, mas elas estão, na verdade, bem conectadas. Jesus disse: "Pois onde estiver o seu tesouro, ali também estará o seu coração" (Lucas 12:34). Investimos em nossas paixões. Se você quer descobrir os interesses das pessoas, dê uma olhada em seus talões de cheques ou faturas do cartão de crédito e veja onde elas gastam dinheiro. 

Apesar de alguns terem mais dinheiro que outros e serem melhor sucedidos que outros, precisamos sempre lembrar: devemos pegar o que Deus nos deu e usar de forma sábia, investindo generosamente no reino de Deus. Deus vai abençoar generosamente. 

Paulo escreveu: "Cada um dê conforme determinou em seu coração, não com pesar ou por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria" (2 Coríntios: 9:7). 

Alguns vão dizer: "Não tenho condições de ofertar". Não tem? Eu não tenho condições de não ofertar e dizimar. Dízimos e ofertas não são apenas para as pessoas ricas, são para todos. Todos deveriam investir no reino de Deus. Considere que uma das razões pelas quais você tem problemas financeiros seja porque você não O está honrando com o seu dízimo. 

Estou dizendo que se você o fizer, Deus lhe tornará rico?

Não. De forma alguma estou dizendo isso. Mas as escrituras conectam esses dois pontos. Paulo continua em 2 Coríntios 9:8 dizendo o seguinte: "E Deus é poderoso para fazer que lhes seja acrescentada toda a graça, para que em todas as coisas, em todo o tempo, tendo tudo o que é necessário, vocês transbordem em toda boa obra." 

Todos deveriam participar das ofertas. E enquanto você dá, Deus lhe abençoa.

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Confiantes no Evangelho

"Pelo contrário, como homens aprovados por Deus, a ponto de nos ter sido confiado por ele o evangelho, não falamos para agradar a pessoas, mas a Deus, que prova os nossos corações" (1 Tessalonicenses 2:4)

Como crentes, temos a sagrada confiança da mensagem do evangelho. Jesus nos deu o mandamento de ir a todo o mundo e pregar o evangelho a todas as pessoas (Marcos 16:15). Todo mundo é chamado para fazer isso. Todos devem seguir o evangelho.

Em sua carta a Timóteo, o apóstolo Paulo mencionou o glorioso evangelho que lhe foi confiado, o evangelho do Deus bendito (1 Timóteo 1:11). Novamente enfatizando a sagrada confiança do evangelho, Paulo escreveu em 1 Tessalonicenses 2 que fomos aprovados por Deus para sermos confiados através do evangelho, assim falamos, não para agradar aos homens, mas a Deus, que prova nossos corações (versículo 4).

Como cristãos, temos todos o mesmo evangelho. E cada um de nós deve fazer a pergunta: "Como estou seguindo o evangelho?" A questão não é apenas como alguém está seguindo o evangelho, mas como nós estamos fazendo isso. Esse é o nosso chamado como seguidores de Jesus. Precisamos pensar em nossa família, amigos, colegas de trabalho, vizinhos e nossa esfera de influência e perguntar: "Estou seguindo o evangelho?"

Jesus disse: "Eis que venho em breve! A minha recompensa está comigo, e eu retribuirei a cada um de acordo com o que fez" (Apocalipse 22:12).

Essa recompensa estará diretamente ligada a como fomos fiéis nesta vida. Colocamos muito valor nesta vida. Agimos como se tudo acontecesse somente aqui. Muitas coisas importantes acontecem aqui, mas a decisão mais importante que tomamos nesta vida diz respeito ao que fazemos com Jesus Cristo.

Nossa fidelidade aqui resultará em recompensas lá - no Céu - e quando o Céu vier à Terra, iremos para casa.