sexta-feira, 6 de abril de 2018

O Último Inimigo

"O último inimigo a ser destruído é a morte." (1 Coríntios 15:26)

Quando alguém perde um ente querido, há um espaço para o luto. A profundidade da nossa tristeza é uma indicação da profundidade do nosso amor. Mas também há um espaço para se alegrar se a pessoa amada for cristã, porque sabemos que a iremos ver novamente.

Mesmo Jesus chorou no túmulo de Lázaro quando viu o poder devastador da morte. A morte é um inimigo, e 1 Coríntios 15:26 nos diz: "O último inimigo a ser destruído é a morte."

Ninguém quer morrer. Ninguém aguarda a morte com ansiedade. Mas todos nós morreremos, e queremos colocar a nossa fé em Cristo antes de entrarmos na eternidade. No entanto, há algo que precisamos lembrar sobre o Céu.

Paulo, o apóstolo, quando foi ao Céu e voltou para a terra, tentou colocar sua experiência em palavras. Ele conseguiu encontrar apenas uma palavra que o ajudasse a descrever isso, e essa foi "paraíso" (ver 2 Coríntios 12:4). É uma palavra grega interessante que na realidade se refere ao jardim real de um rei. Pense sobre o jardim mais bonito que você já viu ou a vista mais incrível que já tenha observado. Essa foi a descrição do Céu que Paulo deu. Ele estava dizendo: "Não tenho as palavras certas, mas foi como um paraíso."

Como o pastor Adrian Rogers disse: "O Deus que esculpiu as asas da borboleta, misturou os tons de cores do arco-íris e pintou os campos com flores amarelas é o mesmo que fez o Paraíso."

No Céu, todas as perguntas estarão respondidas, todas as lágrimas secas e toda a dor desaparecida. O Céu é puro êxtase. É por isso que Paulo disse que anseava estar lá. O céu é, de longe, muito melhor que a terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário