segunda-feira, 26 de março de 2018

Uma Religião Unificada?

"Não deixem que ninguém os engane de modo algum. Antes daquele dia virá a apostasia e, então, será revelado o homem do pecado, o filho da perdição." (2 Tessalonicenses 2:3)

Uma das coisas que aprecio no Brasil é a nossa liberdade de adoração. Agradeço a liberdade que tenho para me levantar e dizer o que acredito sem medo de ser preso ou assassinado. Aprecio a liberdade que os outros têm em ter opiniões que são diferentes das minhas. Embora eu possa não concordar com elas, aprecio o fato de podermos dizer o que acreditamos.

Mesmo que pudesse, eu nunca iria impor a fé cristã a alguém. Eu jamais iria querer que o cristianismo fosse forçado a pessoas que não queiram acreditar. Como cristãos, temos uma fé racional, e nosso desejo é levar as pessoas a Cristo enquanto compartilhamos a nossa fé com elas. Afinal, Deus diz: "Venham, vamos refletir juntos" (Isaías 1:18).

Nos últimos tempos, virá uma nova religião que pode abranger a todos. Provavelmente haverá muitas crenças interligadas com o ocultismo. Mas qualquer movimento em direção a uma única religião no mundo é ação do anticristo.

Em nossa sociedade de hoje, vemos as coisas caminhando em direção a uma união de todas as religiões. Somos informados de que todos estamos orando para o mesmo deus, que todos seguimos caminhos diferentes para o mesmo deus. Mas tenho que discordar. Eu adoro o Deus de Abraão, Isaque e Jacó. Adoro o Deus da Bíblia, que enviou Jesus Cristo. Não há outro Deus.

Acho que, logo em seguida, vamos encontrar uma tolerância crescente a qualquer crença - exceto aquela "fé intolerante" como alguns a descreveriam (leia-se: cristão que acredita na Bíblia). Haverá menos tolerância para isso.

É por isso que precisamos ter muito cuidado. O diabo virá nos últimos dias com um engodo religioso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário