terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Culturalmente Relevantes

"Deus fez isso para que os homens o buscassem e talvez, tateando, pudessem encontrá-lo, embora não esteja longe de cada um de nós. 'Pois nele vivemos, nos movemos e existimos', como disseram alguns dos poetas de vocês: 'Também somos descendência dele'." (Atos 17:27-28)

Para alcançar pessoas com o evangelho, temos de ser culturalmente relevantes. Às vezes nós, cristãos, podemos ser paranoicos no que se refere à nossa sociedade. Não queremos ouvir música que não seja de louvor. Não queremos ver filmes que não sejam cristãos. Mas para alcançar pessoas, temos de saber algo sobre elas.

Quando o apóstolo Paulo falou no Areópago de Atenas, ele fez uma ponte com sua plateia antes de trazer a mensagem do evangelho: "'Pois nele vivemos, nos movemos e existimos', como disseram alguns dos poetas de vocês: 'Também somos descendência dele'" (Atos 17:28). Paulo começou citando um poeta dos gregos. Prendeu a atenção deles. Falou numa linguagem que eles entendessem.

Não estou sugerindo que devamos fazer concessões para compartilhar o evangelho com as pessoas. Nem estou sugerindo que façamos coisas que violem o que as Escrituras dizem. Mas estou dizendo que devemos ir aonde o povo está, falar em linguagem que as pessoas entendam e saber um pouco da cultura à nossa volta para que possamos nos relacionar de modo compreensível. Se Paulo fez isso, devemos fazê-lo também.

Muitas igrejas de hoje estão sem contato com sua cultura. Respondem a perguntas que ninguém faz e não respondem àquelas que são feitas. Não podemos esperar que uma sociedade que saiba pouquíssimo da Bíblia entenda a terminologia que usamos. Na verdade, podemos acabar uma conversa antes mesmo dela começar, por insultarmos as pessoas com quem falamos. Usamos linguagem que elas não entendem. Parecemos arrogantes ou até esnobes.

Quando Paulo compartilhava o Evangelho, ele buscava construir uma ponte, não uma muralha. E devemos fazer o mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário