quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Alegria em Lugares Improváveis

"Por volta da meia-noite, Paulo e Silas estavam orando e cantando hinos a Deus; os outros presos os ouviam. De repente, houve um terremoto tão violento que os alicerces da prisão foram abalados. Imediatamente todas as portas se abriram, e as correntes de todos se soltaram." (Atos 16:25-26)

Quando Paulo e Silas foram jogados na prisão em Filipos, oraram e cantaram hinos a Deus à meia-noite. E puseram o lugar abaixo — literalmente. Um terremoto sacudiu tanto a prisão que as paredes desabaram.

O carcereiro estava prestes a se matar, pois naquela época a morte era a pena para os guardas e suas famílias quando um prisioneiro fugisse. Mas Paulo gritou: "Não faça isso! Estamos todos aqui!"

No fim, o carcereiro veio a crer em Jesus Cristo, junto com toda sua casa. E no dia seguinte as autoridades da cidade mandaram soltar da cadeia Paulo e Silas.

A história de Atos 16 nos lembra que um filho de Deus pode alegrar-se nas mais exigentes circunstâncias. Mas, às vezes, não há um terremoto no meio da noite. Às vezes não vem a solução para os nossos problemas.

Paulo e Silas tiveram de aguentar uma surra, serem jogados na cadeia e terem os seus pés algemados antes que fossem libertados. E embora Deus tenha livrado Daniel dos leões famintos, ele ainda teve de passar a noite na toca dos leões.

Por sua recusa a ajoelhar-se ante a imagem de ouro do rei, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego foram jogados numa fornalha ardente, aquecida sete vezes mais que do que de costume. Mas lemos que enquanto caminhavam na fornalha havia com eles alguém que era "como um filho dos deuses". Muitos creem que tenha sido o próprio Cristo andando com eles.

Às vezes quando oramos pelo auxílio de Deus, Ele nos livra e nos cura. Ele provê. Ele resolve os nossos problemas. Mas outras vezes Ele diz: "Estarei com você, então confie em Mim."

Nenhum comentário:

Postar um comentário