sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

A Fonte da Alegria

"Mesmo não florescendo a figueira, não havendo uvas nas videiras; mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nem ovelhas no curral nem bois nos estábulos, ainda assim eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha salvação." (Habacuque 3:17-18)

A novidade de qualquer coisa que possamos adquirir na vida diminuirá com o tempo. Pegue um carro novo, por exemplo. Você não adora o cheiro de um carro novo? Você procura desculpas para dirigi-lo. Você promete nunca comer dentro do carro. E então, um mês se passa e você está atrasado para o trabalho. Você tem que comer e, como era de se esperar, você tem o seu primeiro "acidente" dentro dele. Algum tempo mais se passa e você tem um primeiro pequeno risco na porta. Em seguida a pintura descasca um pouco. E depois de um tempo, esse novo carro não é mais tão interessante.

Podemos usar essa metáfora e aplicá-la a tudo na vida. Não importa o quanto algo seja grande, legal ou rápido, tudo perde o seu apelo após um período de tempo. Então, se você acha que a felicidade vem do que você tem, você sentirá que sempre vai querer que outra coisa ocupe o lugar daquilo que você já tem.

Mas a Bíblia ensina que a felicidade, a verdadeira felicidade, vem de quem conhecemos. Ouça as palavras de Habacuque: "Mesmo não florescendo a figueira, não havendo uvas nas videiras; mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nem ovelhas no curral nem bois nos estábulos, ainda assim eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha salvação". (Habacuque 3:17-18)

Deixe-me trazer isso para os tempos modernos: Mesmo quando os negócios estão devagar e não há perspectivas no futuro imediato, mesmo quando meus investimentos se evaporaram e o carro não quer dar partida, eu me alegrarei no Senhor.

Nossa alegria e contentamento na vida não vem do que temos. Vem de quem conhecemos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário