segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Na Perspectiva do Céu

"Eles pregaram as boas novas naquela cidade e fizeram muitos discípulos. Então voltaram para Listra, Icônio e Antioquia, fortalecendo os discípulos e encorajando-os a permanecer na fé, dizendo: 'É necessário que passemos por muitas tribulações para entrarmos no Reino de Deus'." (Atos 14:21-22)

Acho que quando chegarmos ao Céu veremos as coisas de um modo diferente. Acho que vamos descobrir que as coisas que víamos como boas não eram tão boas quanto pensávamos. E acho que algumas coisas que achávamos ruins, na verdade, serão vistas por outra perspectiva.

Costumamos pensar em sucesso e prosperidade sempre como coisas boas. Para algumas pessoas até podem ser, se forem usadas para a glória de Deus. Mas, sinceramente, para outras pessoas essas coisas podem ser uma grande distração e fazer com que se esqueçam de Deus.

Além disso, pensamos em doença, perda, ou fracasso, sempre como coisas ruins. E podem ser ruins. Bem ruins. Mas também podem ser boas, pois essas coisas levam a pessoa a agarrar-se a Deus e apoiar-se no Senhor como jamais o faria se as coisas estivessem melhores. Então, na perspectiva do Céu, uma coisa dita ruim na verdade pode ser boa.

Quando o seu amigo Lázaro ficou doente, Jesus adiou ir vê-lo em Betânia. João 11:5-6 nos conta: "Jesus amava Marta, a irmã dela e Lázaro. No entanto, quando ouviu falar que Lázaro estava doente, ficou mais dois dias onde estava."

Por amá-los, Jesus ficou onde estava. Em vez de ir correndo a eles, como esperavam que o fizesse, Ele ficou afastado. Por que? Jesus adiou a Sua chegada para que pudesse trazer maior glória para o Seu nome.

Jesus permitiu isso por um bem maior. E tudo se resume a saber qual a definição do que é o bem. Eles queriam uma cura, mas Jesus queria uma ressurreição.

Acho que os por quês de nosso sofrimento serão revelados no devido tempo. Mas até chegar esse dia precisamos saber que, atravessar tribulações, faz parte do processo de estrar-se no reino de Deus.
Link para o texto original

Nenhum comentário:

Postar um comentário