quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Por Que, Deus?

"Direi a Deus, minha Rocha: 'Por que te esqueceste de mim? Por que devo sair vagueando e pranteando, oprimido pelo inimigo?'" (Salmos 42:9)

Não acho que seja uma coisa ruim perguntar a Deus por que. Algumas pessoas dirão que nunca devemos questionar a Deus, mas eu faço isso o tempo todo. Não quero dizer que duvido da existência d'Ele. Mas eu digo: "Senhor, não entendo por que você fez (assim e assim)... Por que, Senhor?"

Ao ler os salmos, observe que várias vezes o salmista exclamou, em essência: "Por que, Deus? Por que você permitiu isso na minha vida?"

E o próprio Jesus perguntou: "Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?" (Mateus 27:46).

Então não pense que é errado perguntar: "Por que, Deus?" Não, isso não é errado. Mas deixe-me adicionar o seguinte: não espere necessariamente por uma resposta. Você pode perguntar tudo o que quiser. Talvez o Senhor lhe dê uma resposta, mas na maioria dos casos ele não vai lhe dar. Francamente, acho que, se o fizesse, não entenderíamos a Sua resposta de qualquer maneira.

Então eis o que precisamos dizer: "Bem, Senhor, eu não entendo, mas confio em Ti".

Mesmo Jesus lutou com a vontade de Deus. No Jardim do Getsêmani, sob pressão intensa, "seu suor era como gotas de sangue que caíam no chão" (Lucas 22:44). Jesus, literalmente, transpirava suor e sangue, mas Ele disse: "Pai, se queres, afasta de mim este cálice; contudo, não seja feita a minha vontade, mas a tua" (versículo 42).

Chegará um ponto em que diremos: "Tudo bem, Senhor. Eu farei isso. Eu não sinto a mínima vontade de fazê-lo. Eu absolutamente não quero fazer isso. Eu nem penso que seja uma boa ideia fazê-lo, mas vou fazê-lo, porque Tu me disseste."

Foi o que Jesus fez. E é isso que precisamos fazer também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário