sexta-feira, 3 de novembro de 2017

O Leão e o Cordeiro

"Então um dos anciãos me disse: 'Não chore! Eis que o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi, venceu para abrir o livro e os seus sete selos'." (Apocalipse 5:5)

Anos atrás, quando eu estava na Etiópia, tive a oportunidade de visitar um zoológico. Fiquei surpreso com o quanto os visitantes podiam ficar muito mais perto dos animais do que em outros zoológicos. Então, meus amigos e eu caminhamos até uma jaula onde um leão estava sentado no canto silenciosamente. Ele era o leão mais subalterno que eu já tinha visto; ele parecia quase morto.

De repente, meu amigo - não sei por que - começou a agitar as barras da jaula. Tendo em mente que este leão, embora subjugado, ainda era um leão, eu dei alguns passos para trás. E então o leão veio rápido em nossa direção e rugiu. Foi assustador. O rugido daquele leão foi inesquecível, isso para não mencionar os seus dentes. Não é de admirar que o chamem de o rei da selva.

Adoro o fato de que a Bíblia apresenta Jesus como um leão e um cordeiro. Que imagem perfeita. O que é mais impressionante do que um leão feroz? E o que é mais dócil que um cordeiro?

Acho incrível que este Leão, com todo o Seu poder, tenha chegado à terra como um cordeiro submisso. A Bíblia diz: "como um cordeiro foi levado para o matadouro, e como uma ovelha que diante de seus tosquiadores fica calada, ele não abriu a sua boca" (Isaías 53:7).

Quando Jesus se colocou diante de Pôncio Pilatos, Ele poderia ter dominado ele e a tropa romana com uma palavra, mas Ele não fez isso. Em vez disso, Ele se apresentou como um cordeiro e morreu pelos pecados do mundo. E este Cordeiro ainda carrega em Seu corpo ressurreto os efeitos da crucificação. As únicas coisas produzidas pelos homens no céu são as marcas da crucificação. E durante toda a eternidade, elas servirão como lembrete do que Jesus fez por nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário