sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Como Uma Sombra

"Diante de ti somos estrangeiros e forasteiros, como os nossos antepassados. Os nossos dias na terra são como uma sombra, sem esperança." (1 Crônicas 29:15)

Um dia, talvez antes do que esperamos, vamos entrar na eternidade. Então, como será medido o valor de nossos dias?

O que vai importar não será o que você comprou, mas o que construiu. Não vai importar o que você teve, mas aquilo que você deu. Não vai importar o que você aprendeu, mas sim o que ensinou. Não a sua competência, mas sim o seu caráter. Não o seu sucesso, mas sim o seu significado. Noutras palavras: por que você fez aquilo que fez?

Um dia, quando estivermos numa cerimônia de premiação no Céu conhecida como Tribunal de Cristo, recompensas serão distribuídas. A questão, aí, não é se você vai ou não para o céu, porque o Tribunal de Cristo ocorre no Céu. Mas as recompensas serão dadas, e o teste, segundo as Escrituras, é da motivação. No dia final, Deus não vai dizer: "Muito bem, servo bom e bem-sucedido".

Em vez disso, Ele dirá: "Muito bem, servo bom e fiel".

Não quer dizer que não se possa ser bem-sucedido e também fiel. Afinal, certamente é melhor do quer ser fracassado e infiel. Queremos fazer o que fizermos pela a glória de Deus e fazer o melhor que pudermos. Mas também queremos ter as prioridades certas, pois a eternidade deve estar sempre em vista em tudo o que dizemos e fazemos.

A Bíblia nos diz que nossos dias na terra são curtos: "Diante de ti somos estrangeiros e forasteiros, como os nossos antepassados. Os nossos dias na terra são como uma sombra, sem esperança" (1 Crônicas 29:15).

Nós agimos como se a nossa vida nesta terra fosse o evento principal, e a nossa vida depois, bom... fica para depois. Mas nada podia estar mais longe da verdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário