sexta-feira, 22 de setembro de 2017

O "Problema" da Espiritualidade

"Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos, segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos." (2 Timóteo 4:3-4)

Hoje em dia as pessoas dizem coisas do tipo: "Não gosto de religião. Curto espiritualidade".

Tradução: "Vou improvisando. Pego um pouco daqui, um pouco dali. O que servir para mim e para o meu tipo de vida é a minha fé."

De acordo com 1 Timóteo 4, um dos sinais do fim dos tempos é a apostasia, ou a rebelião. "O Espírito diz claramente que nos últimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios. Tais ensinamentos vêm de homens hipócritas e mentirosos, que têm a consciência cauterizada" (versículos 1-2).

O apóstolo Paulo depois também diz: "Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos, segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos" (2 Timóteo 4:3-4).

O que encontramos em algumas igrejas são pessoas dizendo: "Dê-me um cristianismo que me atenda. Não me amole com doutrina bíblica. Tem de ser animado. Tem de ser interessante. Tem de ser empolgante. Tem de ser motivante. Não me julgue. Não me diga para mudar de vida. Esse é o tipo de fé que eu quero".

O antídoto de Paulo para isso é: "Pregue a palavra, esteja preparado a tempo e fora de tempo, repreenda, corrija, exorte com toda a paciência e doutrina" (2 Timóteo 4:2).

Só existe um Deus, que é o Deus revelado na Bíblia. Ele é o Deus que nos amou tanto que nos enviou o Seu Filho, Jesus Cristo.

Então a igreja não deve concentrar-se em ser a maior; deve concentrar-se em ser forte — e, mais importante, em ser uma igreja que honre a Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário