terça-feira, 8 de agosto de 2017

Vigiem e Orem

"Vigiem e orem para que não caiam em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca". (Mateus 26:41)

Jesus fez um simples pedido a Pedro, Tiago e João no Jardim do Getsêmani, e era a respeito de vigiar e orar (veja Mateus 26:41). Mas eles estavam dormindo e não orando.

Acho que a falta de oração por parte dos discípulos era resultante de sua autoconfiança. Pense bem: Quando geralmente oramos? Quando estamos com problemas. Se as coisas vão razoavelmente bem, se não temos problemas financeiros, se estamos com boa saúde, se não há problemas em vista - ao menos aqueles aos quais estamos cientes - provavelmente não oraremos tanto. Mas quando chega uma crise, quando os problemas aparecem, começamos a orar. E isso é bom. Como diz o ditado: "Quando os joelhos começam a tremer, é sobre eles que devemos nos apoiar".

Jesus sabia que uma crise estava chegando. Certamente os discípulos podiam perceber que Ele estava claramente angustiado. Lucas, o médico, nos diz em seu evangelho que Jesus suava grandes gotas de sangue. Dr. Lucas estava descrevendo o que hoje é conhecido por hematidrose, uma rara doença que surge quando a pessoa está sob extremo estresse e sua transpiração pode - literalmente - se misturar com sangue.

Tudo o que Jesus estava pedindo a Pedro, Tiago e João era um pouco de companhia. Em outras palavras "Vigiem e orem. Apenas fiquem aqui comigo, amigos". Mas Jesus virou para eles por mais duas vezes e eles estavam dormindo.

A falta de oração pode ser um pecado - um pecado de omissão. Como Tiago 4:17 nos diz: "Pensem nisto, pois: Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz, comete pecado." E 1 Tessalonicenses 5:17 diz: "Orem continuamente."

A sua vida de oração tem sido escassa ultimamente? A falta de oração pode ser o resultado direto da sua elevada autoconfiança. Cuidado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário