segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Quando a Tolerância Não é Boa

"Irmãos, vocês foram chamados para a liberdade. Mas não usem a liberdade para dar ocasião à vontade da carne; pelo contrário, sirvam uns aos outros mediante o amor." (Gálatas 5:13)

Tolerância. Não é essa a palavra da ordem do dia? Você pode ser qualquer coisa menos intolerante. Isso pode ser uma surpresa para os não-crentes, mas todos os cristãos fortes que conheço são muito tolerantes.

Como crentes, temos uma visão de mundo que vem do nosso estudo das Escrituras e da nossa fé em Jesus Cristo. Acreditamos que essas coisas são verdadeiras, então, quando falamos com alguém que não crê, tentamos convencê-lo. Nós nos envolvemos no evangelismo. Queremos que a pessoa acredite em Jesus como nós. Mas também sabemos que algumas pessoas, depois de ouvir o que temos a dizer, não concordarão. E o que fazemos? Será que gritamos nas suas caras? Claro que não. Embora não concordemos com elas, ainda somos tolerantes.

Mas a tolerância nem sempre é uma coisa boa. A igreja de Tiatira em Apocalipse 2 estava tolerando o pecado. Jesus focou especificamente nesse problema quando se dirigiu a esta igreja, dizendo, "No entanto, contra você tenho isto: você tolera Jezabel, aquela mulher que se diz profetisa. Com os seus ensinos, ela induz os meus servos à imoralidade sexual e a comerem alimentos sacrificados aos ídolos" (Apocalipse 2:20).

Não sei se era literalmente Jezabel a quem Jesus estava se referindo ou se ele estava usando o nome como uma metáfora de maldade. Sabemos que a rainha Jezabel do Antigo Testamento era uma mulher extremamente perversa e culpada por matar os profetas do Senhor. Ela ensinava que a imoralidade não era um problema sério.

A igreja de Tiatira estava tolerando o pecado, e Jesus, essencialmente, disse-lhe, "Eu sou intolerante a este pecado. Você está permitindo a imoralidade sexual em seu meio."

Não podemos ser seguidores de Cristo e tentar viver em dois mundos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário