quarta-feira, 24 de maio de 2017

A Glória de Deus em Exibição

"[...] fazer convergir em Cristo todas as coisas, celestiais ou terrenas, na dispensação da plenitude dos tempos. Nele fomos também escolhidos, tendo sido predestinados conforme o plano daquele que faz todas as coisas segundo o propósito da sua vontade" (Efésios 1:10-11).

Diante do túmulo de Lázaro, Jesus estava prestes a pôr a glória de Deus em exibição apesar da tragédia.

João 11 nos conta que Jesus, quando viu Maria e os demais chorando, "agitou-se no espírito e perturbou-se". Então perguntou: "Onde o colocaram?" (versículos 33 e 34).

Sabe, eu sinceramente sinto um pouco de pena de Lázaro. Se você pudesse falar com alguém no Céu e dizer: "Estávamos meio que pensando que seria bom você voltar para a terra outra vez, mas queremos lhe dar uma escolha", você acha que a pessoa ia voltar? Seria como tirar da Disneylândia uma criança que só tivesse ficado lá 10 minutos.

— Já é hora de ir embora.

— Não quero ir.

— Sim, já é hora de sair do Céu e voltar para a terra.

— Não, não precisa. Eu ficarei por aqui.

Mas Lázaro não teve escolha, pois Jesus chamou por ele do outro lado. E quando Jesus chama as pessoas atendem. É bom que Jesus não tenha dito apenas: "Venha para fora", pois todo mundo em cada túmulo da terra teria levantado ao mesmo tempo. Mas Jesus o especificou e bradou: "Lázaro, venha para fora!" (versículo 43). E eis que do túmulo saiu Lázaro, ainda envolto em faixas de linho.

Essa história do Evangelho de João nos lembra que Deus pode ser glorificado mediante o sofrimento humano e trazer o bem apesar do mal. O ruim para Lázaro, claro, é que ele teve de morrer não só uma vez, mas duas. Entretanto, Deus foi glorificado em tudo isso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário