sexta-feira, 7 de abril de 2017

O Valor da Adoração

"Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração, louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo. E o Senhor lhes acrescentava todos os dias os que iam sendo salvos." (Atos 2:46-47)

Assim como acontece quando o povo de Deus se reúne para estudar a Sua Palavra, algo extraordinário também acontece quando o povo de Deus se reúne para cantar em Seu louvor. Jesus disse: "Pois onde se reunirem dois ou três em meu nome, ali eu estou no meio deles" (Mateus 18:20). Ora, esse verso não diz que Deus só aparece quando as pessoas fazem adoração, pois Deus é onipresente. Mas Ele manifesta a Sua presença de um modo especial quando a Sua gente exalta o Seu nome em louvor e culto.

A igreja primitiva era uma igreja que adorava. Atos 2:46-47 nos conta: "Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração, louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo". A frase alegria e sinceridade de coração significa literalmente "com alegria não fingida". Havia alegria na igreja primitiva. Havia vibração. Mas também havia reverência. Alguns versículos antes, lemos que o temor sobreveio a todos, e maravilhas e sinais eram feitos por meio dos apóstolos (versículo 43). Deve haver alegria e reverência. Esses são elementos que devem estar em nosso culto. A igreja cheia do Espírito Santo há de ser uma igreja que adore, e o cristão cheio do Espírito será um cristão que adora.

Alguém poderá dizer: "Bom, nem sempre estou a fim de adorar". Você acha que os crentes do primeiro século estavam sempre a fim de louvar a Deus? Eles eram assediados. Eram espancados. Eram escarnecidos. Esses cristãos encaravam perseguições em grande escala, mas eram gratos a Deus.

A Bíblia não diz: "Rendam graças ao Senhor quando se sentirem bem". Em vez disso, ela diz: "Rendam graças ao Senhor, pois ele é bom!" (1 Crônicas 16:34). Foi assim que Jó foi capaz e adorar a Deus depois que a calamidade bateu em sua porta (ver Jó 1:20).

Às vezes adorar pode ser um sacrifício, mas ainda assim devemos adorar.
Link para o texto original

Nenhum comentário:

Postar um comentário