segunda-feira, 24 de abril de 2017

Dispostos a Assumir Riscos

"Disse Pedro: 'Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isto lhe dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, ande'. Segurando-o pela mão direita, ajudou-o a levantar-se, e imediatamente os pés e os tornozelos do homem ficaram firmes." (Atos 3:6-7)

Quando Pedro olhou para o homem aleijado sentado à porta do templo e disse "Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, ande" (Atos 3:6), Pedro estava dando um grande passo de fé. Não havia nenhum plano B. Se o homem não fosse curado, ele iria ficar muito irritado. E Pedro iria parecer ridículo.

Mas fé não é fé se não houver riscos. A fé é algo vivo e inquieto e não pode ser inoperante. A fé não tem porta dos fundos. Não há rede de segurança.

Esta pode ser uma das razões pelas quais Deus usa tão poderosamente os jovens. Eles estão dispostos a assumir riscos. À medida que envelhecemos, tornamo-nos mais cautelosos. Por que? Porque tivemos experiências na vida que nem sempre foram como nós esperávamos. Como resultado, tornamo-nos um pouco mais cuidadosos. Mas quando jovens, estamos dispostos a tentar. Assim, muitas das grandes coisas que Deus faz ocorrem através dos jovens.

Quando comecei a nossa igreja, eu tinha 19 anos. Não tinha ideia do que eu estava fazendo. Mas, de certa forma, minha ignorância foi abençoada. Eu apenas segui adiante, acreditando que Deus poderia fazer um trabalho. Mas à medida que envelhecemos, tornamo-nos mais cautelosos e temos certos receios. E se falharmos? Podemos nos sentir como aquele pessimista que disse: "Se no início você não conseguir, destrua todas as provas de que você tenha tentado." Você pode falhar. E é aí que entra a fé.

Mas deixe-me fazer-lhe uma pergunta: E se der certo? Você está disposto a assumir um risco para o reino de Deus? Você está disposto a iniciar uma conversa sobre Cristo? Está disposto a orar por alguém? Está disposto a acreditar que Deus poderia trabalhar através de você?

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Vidas Transformadas

"Vendo a coragem de Pedro e de João, e percebendo que eram homens comuns e sem instrução, ficaram admirados e reconheceram que eles haviam estado com Jesus." (Atos 4:13)

No livro de Atos, encontramos algumas histórias incríveis de seguidores autênticos e obedientes de Jesus Cristo, cristãos verdadeiros. Aquelas foram pessoas que sabiam o que era andar e conversar com Jesus - pessoas que, antes mesmo de falarem uma única palavra, tinham algo de certo em si. Pessoas que por causa de seu estilo de vida justo e misericordioso, haviam merecido o direito de pregar o evangelho, porque havia evidência em suas vidas. E isso foi dito a respeito daqueles que tinham estado com Jesus.

A propósito, isso não era um elogio. A declaração nem sequer foi feita pelos cristãos. Foi feita pelas autoridades que observaram esses seguidores de Cristo.

Isso nos lembra que Deus pode usar pessoas comuns. Digo isso até porque acho que às vezes colocamos os apóstolos em pedestais. Nós os vemos como personagens unidimensionais. No entanto, os acontecimentos de Atos ocorreram ao longo de um período de 30 anos, de modo que não ocorriam milagres em todos os dias. Nem todos os dias eles tinham visões. Nem todos os dias havia fenômenos sobrenaturais. Os crentes do primeiro século continuavam seus negócios do dia a dia.

Todos os dias, como cristãos, fazemos o nosso trabalho. As pessoas são capazes de dizer que temos estado com Jesus? Há evidências para confirmar isso? Ou, como foi dito, se você fosse preso por ser cristão, haveria provas suficientes para condená-lo? Não importa quantas Bíblias você possua nem quantos adesivos cristãos haja em seu carro. A evidência de que estou falando são os resultados em sua vida - uma mudança de caráter.

É o que vemos na vida dos cristãos do primeiro século. Caminharam com Deus, e isso ficou evidente no modo como eles viviam.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Deus Sempre Dá Novas Doses

"Não se embriaguem com vinho, que leva à libertinagem, mas deixem-se encher pelo Espírito" (Efésios 5:18)

Depois de lhes ter sido ordenado que não falassem mais no nome de Jesus, Pedro e João foram liberados. E o que fizeram eles? Oraram por mais ousadia para pregar o evangelho. Disseram: "Agora, Senhor, considera as ameaças deles e capacita os teus servos para anunciarem a tua palavra corajosamente. Estende a tua mão para curar e realizar sinais e maravilhas por meio do nome do teu santo servo Jesus" (Atos 4:29-30).

Aí a Bíblia nos diz que, depois que eles oraram, "[...] tremeu o lugar em que estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e anunciavam corajosamente a palavra de Deus" (versículo 31).

O Espírito Santo foi derramado no Dia de Pentecostes, mas os apóstolos receberam uma nova dose (e Deus dá novas doses, sim). Agora não precisamos de outro Pentecostes, mas precisamos nos apropriar continuamente do que nos foi disponibilizado no Pentecostes.

Por exemplo, quando você está num restaurante pode pedir um cafezinho e depois de um tempo o garçon vem e lhe oferece mais um. Então você recebe outro completo. Do mesmo modo, Deus quer encher você com o Seu Espírito Santo sempre de novo.

Não há nada de errado em pedir a Deus uma nova dose. Não há nada de errado em orar assim: "Senhor, encha-me com o Espírito". Na verdade, é totalmente certo em orar assim, pois nos é dito em Efésios 5:18 para sermos enchidos pelo Espírito: "Não se embriaguem com vinho, que leva à libertinagem, mas deixem-se encher pelo Espírito". Na língua original, isso pode ser traduzido como: "Encham-se constantemente com o Espírito Santo, de novo, de novo e de novo".

Deus nos dá poder com o Espírito Santo e nos preencherá de novo, de novo e de novo.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

A Alegria de Fazer Discípulos

"O generoso prosperará; quem dá alívio aos outros, alívio receberá." (Provérbios 11:25)

Os novos crentes são a força vital da igreja. Como já disse antes, mostre-me uma igreja que não tem um fluxo de novos crentes chegando e eu lhe mostrarei uma igreja que está se apagando. Por que é isso? Porque os crentes novos ajudarão os crentes mais velhos a permanecerem na fé.

A Grande Missão não é apenas sair e pregar o evangelho. É também sair e fazer discípulos de todas as nações, ensinando-os a observar todas as coisas que Cristo ordenou (ver Mateus 28:19-20).

Fazer discípulos significa sair e, ao máximo de sua capacidade, procurar levar as pessoas a Cristo e ajudá-las a crescer espiritualmente. Tome-os sob a sua asa. Ajude-os a crescer na sua fé. Eles vão fazer perguntas sobre coisas que você esqueceu. Eles vão fazer você estudar a sua Bíblia como nunca antes. É por isso que crentes mais velhos precisam de novos crentes. E, é claro, os crentes mais novos precisam de crentes mais velhos para moderá-los, mantê-los fortes e ajudá-los a obter uma boa base.

Descobri que quando dou, Deus me dá de volta. E quanto mais dou, mais Deus me dá. Jesus disse em Mateus 13:12: "A quem tem será dado, e este terá em grande quantidade. De quem não tem, até o que tem lhe será tirado."

Muitas vezes estamos tão obcecados com nós mesmos e como nos sentimos. Mas quando você pensa em outra pessoa, quando compartilha a Palavra de Deus com outras pessoas e as encoraja, você verá que Deus o fortalece nesse processo.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Deus é Quem Decide

"Pelo contrário, como homens aprovados por Deus, a ponto de nos ter sido confiado por ele o evangelho, não falamos para agradar a pessoas, mas a Deus, que prova os nossos corações."

O homem propõe, mas Deus impõe. Nós fazemos nossas escolhas, mas Deus decide o que Ele realmente quer fazer. E as escolhas de Deus nem sempre são as nossas escolhas.

Lemos em 1 Samuel 8 que a nação de Israel queria um rei. Eles não estavam satisfeitos em serem governados por Deus através de juízes ou profetas. Eles queriam ser como as outras nações. Eles queriam uma figura política para ir à frente deles e assumir a liderança em batalhas. Então Deus deu o que eles queriam. Saul era mais alto que todos. Era mais bonito. Ele era o tipo de pessoa que sairia em capas de revista. Ele parecia ser a escolha perfeita sob o ponto de vista das pessoas.

O problema era que, ao rejeitar o que Deus havia definido e escolher o seu próprio caminho, o povo de Israel estava contra si mesmo. E, finalmente, Saul arruinou as coisas. Então Deus mostrou ao povo a Sua escolha: um jovem chamado Davi que cuidava das ovelhas do pai. Humilde pastor de ovelhas, Davi não era o tipo de pessoa que o povo teria escolhido como rei, mas Deus viu nele uma pessoa que O buscava (veja 1 Samuel 13:14).

Quando as pessoas fazem escolhas por líderes espirituais, elas tendem a vislumbrar certos tipos de pessoa, exatamente como Israel fez nos dias de Saul. Mas vemos pela história de Davi e Saul que Deus é quem faz a escolha final. Não importa se eles tenham altos graus de teologia ou participem de muitos seminários. Essas coisas são boas, mas não significam automaticamente que essas pessoas foram chamadas por Deus.

Pessoas não podem enviar pessoas para ministrar; só Deus pode. Tudo o que podemos é meramente ficar cientes de que Deus de fato chamou alguém para o Seu trabalho.

Então se você acha que pode ser chamado para um ministério, independente do que imagine, comece por onde você está agora e fique atento e fiel às pequenas coisas. Faça essas coisas para a Glória de Deus. O apóstolo Paulo escreveu aos Cristãos de Tessalônica: "não falamos para agradar a pessoas, mas a Deus" (1 Tessalonicenses 2:4). Então não se preocupe se alguém percebe ou aplaude. Apenas sirva a Deus fielmente.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

O Poder da Palavra de Deus

"Atente bem para a sua própria vida e para a doutrina, perseverando nesses deveres, pois, fazendo isso, você salvará tanto a si mesmo quanto aos que o ouvem." (1 Timóteo 4:16)

Espanta-me que Deus tenha ordenado a proclamação verbal como principal forma de trazer pessoas para o reino de Deus. Eu realmente não sei por que, mas é exatamente isso que Ele tem feito.

Algumas pessoas estão substituindo a comunhão com outros cristãos pelo rádio ou por programas de TV cristãos. E, às vezes, há circunstâncias das quais as pessoas não conseguem sair. Mas nada substitui se reunir com o povo de Deus e estudar a Bíblia juntos. A programação cristã pode ser boa, mas não deve substituir a reunião com o povo de Deus. Algo sobrenatural e maravilhoso acontece quando a Palavra de Deus é proclamada - e quando você a ouve pessoalmente com outros cristãos, há um contato íntimo e revigorante.

A igreja primitiva acreditava na pregação, porque Deus estabeleceu a pregação. Lembre-se, Jesus Cristo era um pregador da Palavra. Lemos que quando começou Seu ministério: "Jesus começou a pregar: 'Arrependam-se, pois o Reino dos céus está próximo'." (Mateus 4:17)

A pregação é a principal maneira de Deus alcançar as pessoas perdidas. Como o apóstolo Paulo escreveu: "Visto que, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por meio da sabedoria humana, agradou a Deus salvar aqueles que crêem por meio da loucura da pregação." (1 Coríntios 1:21).

Observe que Paulo não disse "pregação louca", mas "loucura da pregação". Deus ordenou pregar e ensinar na igreja, e a igreja primitiva se focou nisso.

Pregar não é algo que eu queira fazer, mas é algo que eu senti que Deus me chamou para fazer. E depois de compartilhá-la em tantos cenários diferentes, continuo surpreso ao ver como a Palavra de Deus impacta e transforma vidas.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Redescubra a Igreja

“Que é o seu corpo, a plenitude daquele que enche todas as coisas, em toda e qualquer circunstância.” (Efésios 1:23)

Algumas pessoas dizem que precisamos ter uma nova visão da igreja para os dias de hoje. Mas eu discordo. Não acredito que precisamos de uma nova versão da igreja. Precisamos redescobrir a Igreja. Não precisamos redefinir o que Deus já definiu. Ao contrário, precisamos voltar àquilo que a Igreja foi no início, porque foi essa Igreja que mudou o mundo significativamente.

Jesus apresentou uma parábola sobre um homem que plantou trigo. À noite, seu inimigo semeou joio entre o trigo. O joio é uma planta pequena que quando nasce é muito parecida com o trigo, mas à medida que cresce começa a sufocar o trigo.

Um dos discípulos de Jesus tornou-se um hipócrita e traidor: Judas Iscariotes. E quando olhamos para a igreja dos primeiros anos percebemos que eles tinham hipócritas também. Eles tinham rivalidades, heresias. Tinham imoralidade. Quer dizer... hipócritas não são coisa nova.

Sempre haverá o imitador onde quer que exista o genuíno. Se você tem algo que é feito corretamente, alguém fará a sua própria versão daquilo. Se existem versões falsas, isso significa que certamente existe um original verdadeiro. Imitações nos lembram que o original existe.

Dito isto, deveríamos reconhecer que Jesus Cristo está comprometido com a igreja. É a única organização que Ele iniciou. Não há nada no mundo igual à Igreja. A Igreja sofre muitas críticas, mas não existem rivais. E eu fico maravilhado com o vínculo especial que pode haver entre os seguidores de Jesus Cristo, o qual pode atravessar todas as demais barreiras.

Tenho orgulho de fazer parte da Igreja, ser membro do Corpo de Cristo. E se você é Cristão, também deveria estar.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

A Prioridade da Igreja Primitiva

"Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações." (Atos 2:42)

Lucas poderia ter chamado à atenção sobre muitas coisas na igreja primitiva, no início, ao registrar a sua história no livro de Atos. Afinal, a igreja no começo era vibrante, alegre e em rápida expansão. Mas Lucas fez questão de nos lembrar que os cristãos do primeiro século estudavam as Escrituras em conjunto.

Talvez tenha sido uma tentação para aqueles cristãos olhar para trás com grande apreço ao Pentecostes e dizer: "Por que todo culto não pode ser como Pentecostes? Lembram do Espírito Santo vindo sobre nós e das chamas de fogo divididas? Lembram de todas as línguas que falamos?" Mas o Pentecostes foi como a explosão que deu partida ao motor. E em vez de relembrar, a igreja estava se revelando na Palavra de Deus.

Uma tendência na igreja de hoje, porém, é ignorar o estudo das Escrituras. Alguns pastores dirão coisas como: "As perguntas são as novas respostas. Não vamos ter um sermão. Vamos conversar. Vamos falar sobre o último filme ou partilhar nossas dúvidas e lutas. Além disso, é arrogante dizermos que sabemos o que a Bíblia ensina, porque Deus é muito grande para nós O entendermos, e a sua verdade é muito misteriosa para a distinguirmos com certeza."

Outra tendência é marginalizar a Palavra de Deus. Uma igreja pode ter seus vídeos, seu drama, seus clipes de filme, seus testemunhos e até mesmo sua dança, às vezes. Então, no final, eles tem um "sermãozinho", uma pequena conversa com o pastor. O problema com isso é que os "sermãozinhos" produzem "cristãozinhos".

A Bíblia é viva e poderosa. Hebreus 4:12 nos diz, "Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes [...]"

A igreja no início amava, revelava e estudava a Palavra de Deus. E assim devemos ser hoje.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Pelo Bem da Justiça

“Enquanto Pedro e João falavam ao povo, chegaram os sacerdotes, o capitão da guarda do templo e os saduceus. Eles estavam muito perturbados porque os apóstolos estavam ensinando o povo e proclamando em Jesus a ressurreição dos mortos.” (Atos 4:1-2)

Vou dizer uma coisa que vai parecer-lhe uma surpresa: se você é um Cristão e todos gostam de você, provavelmente não está fazendo algo direito. Se ninguém jamais se sente ofendido por aquilo que você diz ou faz, eu devo perguntar: com que intensidade você está seguindo a Jesus Cristo?

Jesus disse: “Ai de vocês, quando todos falarem bem de vocês, pois assim os antepassados deles trataram os falsos profetas.” (Lucas 6:26) Quando você está com Jesus e é, efetivamente, como Ele, você será tratado da mesma forma como Ele foi tratado.

E como Jesus foi tratado? Não muito bem, não é mesmo? Ele teve uma popularidade temporária, mas as multidões se voltaram contra Ele. E aqui está o que Jesus nos disse: “nenhum escravo é maior do que o seu senhor. Se me perseguiram, também perseguirão vocês. Se obedeceram à minha palavra, também obedecerão à de vocês. Tratarão assim vocês por causa do meu nome, pois não conhecem aquele que me enviou.” (João 15:20-21)

Nosso trabalho não é ficar de bem com todo mundo. Nosso trabalho é caminhar com Deus e tentar alcançar a todos. Algumas vezes isso fará com que as pessoas fiquem zangadas quando falarmos algo com o qual elas discordem. Podemos fazer isso com amor. Podemos fazer isso com compaixão. Mas devemos fazer isso de uma forma direta.

O que me preocupa é que muitas vezes somos perseguidos pelas razões erradas. Por vezes tenho visto Cristãos que são perseguidos porque são ofensivos de forma desnecessária. Então, seja uma pessoa agradável. Seja amigável. Seja uma pessoa amável. E seja perseguido pelo bem da justiça, porque você é um seguidor de Jesus Cristo e está refletindo a Sua luz.

terça-feira, 11 de abril de 2017

Está Consumado!

"Tendo-o provado, Jesus disse: 'Está consumado!' Com isso, curvou a cabeça e entregou o espírito." (João 19:30)

A cruz era a meta de Jesus desde o início. O seu nascimento aconteceu para que houvesse a sua morte. A encarnação aconteceu para a nossa expiação. Ele nasceu para morrer, para que pudéssemos viver. E quando cumpriu o propósito para o qual tinha vindo, Ele resumiu tudo com uma única palavra: "consumado".

No original, em grego, essa era uma palavra comum. Jesus provavelmente deve tê-la usado depois de terminar um projeto em que Ele e José trabalharam juntos na oficina de carpintaria. Jesus poderia ter se voltado para José e ter dito: "Consumado. Agora vamos almoçar." Está consumado. Missão cumprida. Está feito. Terminei.

Então o que foi terminado? Foram terminados e concluídos os terríveis sofrimentos de Cristo. Nunca mais Ele experimentaria dor na mão de homens ímpios. Nunca mais Ele teria de suportar os pecados do mundo. Nunca mais Ele, mesmo por um momento, seria separado de Deus. Isso tudo foi concluído.

Também acabou a fortaleza de Satanás na humanidade. Jesus veio para dar um golpe decisivo contra o diabo e seus demônios na cruz do Calvário. Hebreus 2:14 diz: "Portanto, visto que os filhos são pessoas de carne e sangue, ele também participou dessa condição humana, para que, por sua morte, derrotasse aquele que tem o poder da morte, isto é, o diabo." Isso significa que você não precisa mais estar sob o poder do pecado. Por causa do feito de Jesus na cruz, terminou a fortaleza de Satanás na humanidade.

E, por fim, a preparação da nossa salvação terminou. Está concluída. Está feita. Todos os nossos pecados foram transferidos para Jesus quando Ele foi dependurado na cruz. A Sua justiça foi transferida para a nossa conta.

Por isso Jesuss exclamou: "Está consumado!" Foi o plano deliberado e bem pensado de Deus. Está terminado: regozijai-vos!

segunda-feira, 10 de abril de 2017

O Testemunho da Adoração

“Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração, louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo. E o Senhor lhes acrescentava todos os dias os que iam sendo salvos.” (Atos 2:46-47)

Sua adoração pode ser um testemunho. Atos 2 nos diz que a igreja do primeiro século louvava a Deus e tinha a simpatia das pessoas, “E o Senhor lhes acrescentava todos os dias os que iam sendo salvos.” (verso 47). Isto sugere que há uma conexão entre adoração e testemunho? Creio que sim.

Acredito que quando um Cristão louva a Deus apesar das dificuldades, é um testemunho poderoso para o mundo. Cristãos perdem seus trabalhos. Cristãos ficam com câncer. Cristãos morrem em acidentes automobilísticos. Cristãos perdem aqueles a quem amam. Cristãos sofrem todo tipo de dificuldades como qualquer outra pessoa. Mas quando as pessoas veem Cristãos louvando a Deus apesar das adversidades, quando  nos veem honrando a Deus, isso é um testemunho poderoso.

Recebi Cristo inicialmente porque vi um grupo de Cristãos adorando o Senhor no colégio. Era apenas um garoto sem direção na vida, e enquanto caminhava pelo colégio havia um grupo de Cristãos sentados na calçada, cantando músicas. Eram canções realmente simples. Não havia nada “esteticamente” agradável nelas. Mas o que me interessou foi o motivo pelo qual eles estavam cantando aquelas canções, na hora do almoço, na calçada de meu colégio. Então sentei a uma certa distância daquelas pessoas, de forma que não pensassem que eu estava me juntando a elas, mas fiquei perto o suficiente para ouvir o que estavam dizendo. E enquanto assistia elas cantarem essas canções simples sobre Deus, fui movido por isso. Ouvir a Palavra de Deus sendo proclamada abriu meu coração.

Acredito que o mesmo acontecia na igreja do primeiro século. Eles adoravam a Deus, e era um testemunho poderoso, sabe? Adoração e testemunho podem estar juntos. Nossa adoração pode ser um testemunho. 

sexta-feira, 7 de abril de 2017

O Valor da Adoração

"Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração, louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo. E o Senhor lhes acrescentava todos os dias os que iam sendo salvos." (Atos 2:46-47)

Assim como acontece quando o povo de Deus se reúne para estudar a Sua Palavra, algo extraordinário também acontece quando o povo de Deus se reúne para cantar em Seu louvor. Jesus disse: "Pois onde se reunirem dois ou três em meu nome, ali eu estou no meio deles" (Mateus 18:20). Ora, esse verso não diz que Deus só aparece quando as pessoas fazem adoração, pois Deus é onipresente. Mas Ele manifesta a Sua presença de um modo especial quando a Sua gente exalta o Seu nome em louvor e culto.

A igreja primitiva era uma igreja que adorava. Atos 2:46-47 nos conta: "Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração, louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo". A frase alegria e sinceridade de coração significa literalmente "com alegria não fingida". Havia alegria na igreja primitiva. Havia vibração. Mas também havia reverência. Alguns versículos antes, lemos que o temor sobreveio a todos, e maravilhas e sinais eram feitos por meio dos apóstolos (versículo 43). Deve haver alegria e reverência. Esses são elementos que devem estar em nosso culto. A igreja cheia do Espírito Santo há de ser uma igreja que adore, e o cristão cheio do Espírito será um cristão que adora.

Alguém poderá dizer: "Bom, nem sempre estou a fim de adorar". Você acha que os crentes do primeiro século estavam sempre a fim de louvar a Deus? Eles eram assediados. Eram espancados. Eram escarnecidos. Esses cristãos encaravam perseguições em grande escala, mas eram gratos a Deus.

A Bíblia não diz: "Rendam graças ao Senhor quando se sentirem bem". Em vez disso, ela diz: "Rendam graças ao Senhor, pois ele é bom!" (1 Crônicas 16:34). Foi assim que Jó foi capaz e adorar a Deus depois que a calamidade bateu em sua porta (ver Jó 1:20).

Às vezes adorar pode ser um sacrifício, mas ainda assim devemos adorar.
Link para o texto original

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Pedras Vivas

"Vocês também estão sendo utilizados como pedras vivas na edificação de uma casa espiritual para serem sacerdócio santo, oferecendo sacrifícios espirituais aceitáveis a Deus, por meio de Jesus Cristo." (1 Pedro 2:5)

Há uma história famosa sobre um rei espartano que estava brincando com um visitante sobre as paredes de Esparta. O visitante olhou ao redor, entretanto, e não podia ver nenhuma parede. "Você vê, em Esparta, cada homem é um tijolo", disse o rei espartano ao seu convidado, apontando para o seu exército. "Estas são as muralhas de Esparta."

Quando se trata da igreja, todo crente é um tijolo. E nós somos descritos na Bíblia como pedras vivas: "Vocês também estão sendo utilizados como pedras vivas na edificação de uma casa espiritual [...]" (1 Pedro 2:5).

Não devemos ser espectadores na igreja; devemos ser participantes. É fácil jogar futebol na poltrona. Mas é completamente diferente estar no campo com a equipe. E é aí que Deus quer que cada um de nós esteja.

O presidente Theodore Roosevelt disse: "Não é o crítico que conta: não o homem que aponta quando outro homem forte tropeça ou que diz como outro homem poderia ter feito melhor. O crédito pertence ao homem que está na arena, cujo rosto é manchado pela poeira, pelo suor e pelo sangue, que se esforça corajosamente, que erra e se levanta novamente, porque não há esforço sem erro ou defeito..."

É fácil ficar de pé e criticar, mas o crédito vai para o homem ou mulher que sai e faz a obra do reino de Deus. Talvez eles cometam um erro aqui ou acolá. Talvez não entendam direito. Mas eu prefiro tentar e cometer um erro do que nunca ter tentado.

Cada parte do corpo de Cristo que faz seu trabalho especial ajuda o corpo inteiro. A chave é cada um de nós fazer a nossa parte.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Medo do Sucesso

"E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado. E eis que eu estou convosco todos os dias, até o fim do mundo." (Mateus 28:18-20)

Uma das razões pelas quais não evangelizamos é o medo do fracasso. Não queremos contar a alguém sobre Jesus por medo de nos cortarem, ou nos mandarem embora, ou rirem da nossa cara. Mas acho que há outra razão pela qual não evangelizamos: medo do sucesso. Por quê? Não sabemos o que faríamos depois. E agora?

Isso me lembra de quando fui pescar anos atrás com meu amigo Franklin Graham e peguei um monte de peixes. Essa foi a parte boa. Eu nunca tinha limpado peixe antes, então perguntei ao Franklin se ele limpava para mim.

"Não", disse ele. "Limpe você os seus peixes".

"Eu na verdade nunca limpei", eu disse.

"Então... hora de aprender".

Tive de cortar os peixes e limpá-los. A parte divertida foi pegá-los. Só que então eu tive que limpá-los.

Queremos sair e contar aos outros sobre Jesus. Mas, se acreditarem, estamos prontos para dar o passo seguinte? Significa tomar sob nossas asas aquela pessoa que aceitou Jesus, colocá-la de pé espiritualmente e dar-lhe o exemplo de como ser um cristão. E adivinha só? Aí fazemos tudo de novo. Isso é cumprir a Grande Comissão.

Jesus disse: "[...] fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado. E eis que eu estou convosco todos os dias [...]" (Mateus 28:19-20). Esse é o nosso trabalho. Cada um de nós é chamado a procurar conquistar pessoas para Cristo e discipulá-las. E depois é para fazer isso de novo, de novo e de novo.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Um Princípio Para o Evangelismo

"Mas Deus o ressuscitou dos mortos, rompendo os laços da morte, porque era impossível que a morte o retivesse." (Atos 2:24)

O sermão inaugural de Pedro para a igreja, no Pentecostes, é um modelo clássico de como podemos trazer o evangelho para nossa sociedade atual. Essa mensagem não possui uma “vida útil”. Ainda tem relação conosco e faz sentido para todos nós nos dias de hoje.

Uma das coisas que fez a mensagem tornar-se efetiva foi que Pedro conhecia a sua audiência. Ele sabia que na multidão para a qual ele se dirigia, em Jerusalém, havia provavelmente pessoas que foram responsáveis, literalmente, pela crucificação de Jesus Cristo. Havia se passado somente alguns meses desde a crucificação e Pedro, sendo uma testemunha, muito provavelmente até reconhecesse algumas daquelas pessoas.

A mensagem de Pedro está cheia de passagens do Antigo Testamento, porque o seu objetivo era convencer que Jesus Cristo era o Messias por quem Israel aguardava tanto tempo. Essas pessoas conheciam as Escrituras. Elas cresceram estudando a Torah (as Escrituras). Então ele fez referências ao Antigo Testamento diversas vezes, mostrando que Jesus é o Messias.

Paulo, por outro lado, não tem a mesma forma de abordagem na sua mensagem para os Atenienses (ver Atos 17). Nessa ocasião ele falava com pessoas do mundo (seculares), provavelmente de forma mais próxima do que falamos com a nossa sociedade atual. Paulo utilizou uma abordagem bem diferente e utilizou citações de alguns dos filósofos seculares para construir uma ponte com a sua audiência. 

Isso nos lembra que não existe uma única abordagem para o evangelismo. Algumas pessoas compartilham a Palavra de forma engessada, falando as mesmas coisas para todas as pessoas. Mas essa não é a forma de compartilhar a fé. É preciso adaptar de acordo com a pessoa com a qual conversamos.

Pedro adaptou para a sua audiência. Ele tomou tempo para compreende-la. De toda forma, ele não baixou os seus padrões para alcançar o seu propósito. Ele encontrou pontos em comum com os seus ouvintes com o objetivo de leva-los até Jesus Cristo.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

O Essencial Para o Evangelismo

"Antes, santifiquem Cristo como Senhor no coração. Estejam sempre preparados para responder a qualquer que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês." (1 Pedro 3:15)

Quando penso na pregação de Billy Graham ao longo dos anos, uma das coisas que se destaca é o fato de que ele sempre citou a Bíblia. Quantas vezes ouvimos Billy Graham dizer: "E a Bíblia diz... e a Bíblia diz..."? Ele reconhece a autoridade da Escritura.

Pedro também reconheceu a autoridade da Escritura quando falou à multidão em Pentecostes (ver Atos 2). Ele citou Joel 2:28-32, aparentemente de memória. Então ele citou o Salmo 16 e o Salmo 110. Obviamente, Pedro tinha memorizado grandes porções da Escritura.

Da mesma forma, precisamos usar a Escritura enquanto compartilhamos o evangelho. Como um artista sabe usar suas canetas e pincéis (e, hoje em dia, seu software de computador), como um chef sabe usar suas facas e como um soldado sabe usar suas armas, precisamos saber usar a Palavra de Deus.

Pedro escreveu: "Estejam sempre preparados para responder a qualquer que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês" (1 Pedro 3:15). A frase "esteja sempre preparado" vem da palavra grega apologia. Não significa pedir desculpas por nossa fé. Apologia carrega o significado de uma defesa legal, como em um tribunal de justiça. É como se defender perante um juiz ou júri. Isso é o que estamos fazendo quando apresentamos os fatos do evangelho. Estamos sustentando a nossa causa.

Em Isaías 55:11, Deus fala de Sua Palavra: "Ela não voltará para mim vazia, mas fará o que desejo e atingirá o propósito para o qual a enviei."

Quando se trata de compartilhar a nossa fé, nada é mais eficaz do que citar a Palavra de Deus.