segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Inegável

"E disseram: 'Senhor, lembramos que, enquanto ainda estava vivo, aquele impostor disse: ‘Depois de três dias ressuscitarei’. Ordena, pois, que o sepulcro dele seja guardado até o terceiro dia' [...]" (Mateus 27:63-64)

Quando Jesus foi crucificado, foi um grande choque para Seus discípulos. Eles esperavam que Ele estabelecesse o Seu reino na terra. Em vez disso, Ele foi espancado e pendurado numa cruz romana. Eles escutaram com os próprios ouvidos as Suas palavras: "Está consumado". Então assistiram-no morrer diante de seus próprios olhos.

Pensaram que nunca mais O veriam novamente.

Mas quando Maria Madalena foi ao túmulo de manhã cedo, o túmulo estava vazio. Ela chamou por Pedro e João, que foram investigar, mas eles ainda não sabiam o que tinha ocorrido. Então o próprio Cristo apareceu a Maria, aos discípulos na sala do andar superior e aos discípulos com Tomé presente. Ele apareceu a Simão Pedro pessoalmente, aos dois discípulos na estrada para Emaús, e a 500 pessoas de uma só vez. Ele apareceu de novo para Pedro, Tiago e João no Mar da Galileia. Não havia como negar que Jesus estava vivo.

Ironicamente, parecia que os descrentes tinham mais fé em que Jesus fosse ressuscitar do que os crentes. Em Mateus 27:63-64, encontramos os descrentes dizendo a Pilatos: "Senhor, lembramos que, enquanto ainda estava vivo, aquele impostor disse: ‘Depois de três dias ressuscitarei’. Ordena, pois, que o sepulcro dele seja guardado até o terceiro dia".

Não é interessante que os descrentes às vezes tenham uma ideia melhor do que nós acerca daquilo em que devemos crer? Você já foi enquadrado por um não-cristão? Algum não-cristão alguma vez já lhe chamou a atenção para o fato de que você não estava agindo como um seguidor de Jesus?

Os descrentes criam que Jesus pudesse ressuscitar. Puseram um vigia em Seu túmulo. Mas Seus próprios seguidores não acreditaram. Entretanto, Ele estava vivo. Eles não puderam negar o que sabiam ser verdade. E isso transformou as suas vidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário