sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Não é a Isca, Mas a Mordida

"Estava sendo servido o jantar, e o diabo já havia induzido Judas Iscariotes, filho de Simão, a trair Jesus." (João 13:2)

Surge a questão de saber se Judas Iscariotes era simplesmente uma isca. O que ele fez causou a morte de Jesus, o que resultou em salvação para toda a humanidade, não foi? Sim, mas vamos considerar isso: só porque o bem veio como consequência da traição de Jesus, mesmo assim isso não se justifica. 

Na cruz, duas forças, por assim dizer, estavam agindo. Tanto Deus, o Pai, como o diabo, estavam se movendo na direção do mesmo objetivo: a morte de Jesus Cristo. O diabo queria que Jesus fosse silenciado e parasse. Ele queria que Ele cessasse e desistisse. Por outro lado, o objetivo de Deus Pai era que Jesus expiasse nossos pecados. Assim, os objetivos eram completamente diferentes, mas, em certo sentido, eles se moviam para o mesmo fato. 

Mas eis o que precisamos considerar: Judas estava fazendo o trabalho do diabo. Também é importante notar que ele iniciou a traição de Cristo (ver Mateus 26:14). Judas iniciou-a. Judas a pôs em movimento. Ninguém o forçou a fazer isso. Judas foi responsável pelas decisões que tomou. 

O que aconteceu foi usado para a glória de Deus, mas certamente não era a intenção do diabo. Judas não foi vítima das circunstâncias, nem uma ferramenta passiva de providência. Ele fez essa escolha sozinho. Sim, o demônio veio e inseriu na mente de Judas o pensamento para trair Cristo. Lemos em João 13:2 que "o diabo já havia induzido Judas Iscariotes, filho de Simão, a trair Jesus". Judas poderia ter resistido a essa tentação, assim como todos nós podemos resistir à tentações. O fato é que o diabo encontrou uma ferramenta voluntária em Judas. Judas pegou a isca, correu com ela e traiu o Senhor. 

Lembre-se, não é a isca que constitui a tentação. É a mordida.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

O Alarme da Consciência

"Vocês se esqueceram da palavra de ânimo que ele lhes dirige como a filhos: 'Meu filho, não despreze a disciplina do Senhor, nem se magoe com a sua repreensão, pois o Senhor disciplina a quem ama, e castiga todo aquele a quem aceita como filho'." (Hebreus 12:5-6)

Você nunca deixará de pecar enquanto estiver respirando. Mesmo que você seja um cristão, você vai pecar. Mas há uma diferença entre ser um pecador e o pecado ser a sua vida. E se você for um verdadeiro cristão, o pecado não será o padrão da sua vida.

Como diz 1 João 3:9 "Todo aquele que é nascido de Deus não pratica o pecado, porque a semente de Deus permanece nele; ele não pode estar no pecado, porque é nascido de Deus."

Se você, como cristão, começa a se mover na direção errada e está ponderando fazer algo pecaminoso, você sente a persuasão do Espírito Santo lhe dizendo para não fazer. O fato de você estar ciente de que está errado e que não deve fazer algo é um bom sinal. E se você acabar fazendo o que sabe que é errado e sentir profunda culpa sobre isso, também é um bom sinal. Isso significa que o alarme em sua consciência está funcionando.

É como um alarme de fumaça que alerta você para do perigo ou a necessidade de chamar ajuda. É assim que a nossa consciência funciona. Ela nos diz que o que estamos fazendo é errado.

O tempo para se preocupar é quando você cogitar um pecado e não sentir qualquer condenação, quando passar pelo pecado e não sentir nenhuma culpa. Isso significa que seu alarme não está funcionando ou foi desativado ou então, nem sequer existe mais.

Talvez você tenha sentido a mão disciplinadora de Deus em sua vida. Talvez você esteja se sentindo culpado. Alegre-se! Isso significa que sua consciência está funcionando. Se Deus lhe repreende quando você se desvia, isso é uma indicação de que você é Seu filho.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Ouça Atentamente

"Por isso é preciso que prestemos maior atenção ao que temos ouvido, para que jamais nos desviemos." (Hebreus 2:1)

Aqueles que pensam que simplesmente ir à igreja e passar por um pequeno ritual os aproximará de Deus, estão redondamente enganados. Porque o lugar mais fácil para se obter um coração endurecido é na igreja. Como costumo dizer: o mesmo sol que amacia a cera endurece o barro.

À medida que a Palavra de Deus é proferida, algumas pessoas são afetadas por ela, algumas pessoas são transformadas por ela e outras são endurecidas por ela, porque não têm intenção de crer nela. A exposição contínua à Palavra de Deus realmente faz mais mal do que bem. E no mesmo lugar onde eles poderiam ser transformados, eles estarão pior do que nunca.

Estou dizendo que algumas pessoas não devem ir à igreja? Sim... Caso não tenham intenção de aplicar o que estão ouvindo. Podemos ver milagres e ouvir a verdade, mas se não tivermos o desejo de aplicá-la, nossos corações podem endurecer.

Alguém que está vivendo uma vida dupla, como Judas Iscariotes, cultivará um coração cada vez mais endurecido. Judas andou e conversou com Jesus durante três anos e meio. Ele foi escolhido pela mão do Senhor. Ele tinha ouvido Cristo dar Seus maiores sermões. Judas ouviu o Sermão da Montanha e o Discurso do Monte das Oliveiras com seus próprios ouvidos. Ele viu Lázaro levantado dos mortos. Ele viu cegos receberem a visão. Ele viu os surdos receberem sua audição. Judas viu milagre após milagre, mas seu coração ficou mais duro.

E embora Jesus soubesse o que aconteceria, Judas, por sua própria vontade, deliberadamente traiu o Senhor, lembrando-nos que a presciência de Deus não muda a responsabilidade do homem.

Portanto, a resposta é não parar de ir à igreja; é ir com um desejo de conhecer a Deus.

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Nos Seus Olhos

"Mas nós, devemos sempre dar graças a Deus por vocês, irmãos amados pelo Senhor, porque desde o princípio Deus os escolheu para serem salvos mediante a obra santificadora do Espírito e a fé na verdade." (2 Tessalonicenses 2:13)

Se você tivesse a capacidade de "prever" e decidisse apostar em um cavalo de corrida, você apostaria no ganhador ou no perdedor?

Algumas vezes olhamos para nossas vidas e pensamos: Porque Deus escolheu um perdedor? Mas eis do que precisamos saber: Deus não vê apenas a sua fraqueza atual. Ele vê aquilo que você pode se tornar futuramente.

Não sei em qual situação você está hoje. Talvez você se sinta derrubado espiritualmente. Talvez tenha falhado de alguma forma, em alguma condição. Talvez tenha sido uma falha moral que tenha acabado de ser revelada e você esteja lidando com as consequências. Ou talvez esta falha ainda não tenha sido revelada, mas você esteja envolvido em coisas com as quais sabe que não deveria estar envolvido.

Talvez você se pergunte, por vezes, “porque Deus me chamou para Lhe seguir?” Deus tem o poder da presciência. Ele sabe de tudo antes que aconteça. Se este é o caso, então porque Deus escolheria alguém como eu ou você?

Lembro-me quando minha neta Stella e eu estávamos nos divertindo um dia desses e ela estava analisando meu rosto com seus olhos. Ela chegou bem perto, pressionou o seu nariz no meu e disse: “Vovô, eu posso me ver nos seus olhos.”

Eu disse: “O que?”

E ela disse: “Eu me vejo nos seus olhos.”

Eu olhei dentro dos seus olhos azuis esverdeados e me dei conta de que ela podia ver o reflexo dela em meus olhos. Então disse: “Stella, você sempre está em meus olhos e em meu coração também.”

Se eu olhar bem de perto – e tem que ser bem perto mesmo – você se verá nos olhos de Deus. Você verá que Ele lhe ama e se preocupa com você. E que Ele lhe vê por aquilo que você pode vir a se tornar.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Continue Andando

"Lembre-se de onde caiu! Arrependa-se e pratique as obras que praticava no princípio [...]" (Apocalipse 2:5)

Quando ouvimos a palavra "desviado", pensamos em alguém que abandona completamente a fé e vira as costas para Deus. E certamente uma pessoa que faça isso pode ser classificada como desviada. Mas creio que possam existir pessoas que se desviam sem nem mesmo perceberem.

Ninguém planeja se desviar. Você não telefona para o seu amigo cristão e diz: "E aí, quer se desviar hoje? Eu te pego às 8h. Pode ser?" Não. Não é o que acontece. O desvio acontece sutilmente, e muitas vezes gradualmente. Na verdade, o desvio pode ser tão sutil que você nem se dê conta dele. A Bíblia alerta sobre isso e nos diz que um dos sinais do fim dos tempos é que as pessoas abandonarão a fé (ver 1 Timóteo 4:1).

Deus diz que se nos desviarmos, devemos voltar para Ele (ver Jeremias 3:22). E Jesus disse à igreja em Éfeso: "Lembre-se de onde caiu!" (Apocalipse 2:5).

Você está caído hoje? Está num processo de desvio? Ou você está avançando em Cristo, ou está retrocedendo. Ou está progredindo ou regredindo. E no momento em que você por sua caminhada em Cristo em ponto morto, você vai se encontrar indo na direção errada.

Li sobre um cartaz no fim de uma pista de aeroporto que dizia: "Continue andando. Se parar, você estará em perigo e colocará em perigo os que estão voando". A mesma advertência pode ser aplicada à vida cristã: continue andando. Se parar, você está em perigo e é um perigo para os outros.

Então não se contente com o seu sucesso. Não viva no passado.
Precisamos estar constantemente crescendo como seguidores de Jesus.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

A Promessa do Natal

"O qual foi prometido por ele de antemão por meio dos seus profetas nas Escrituras Sagradas, acerca de seu Filho, que, como homem, era descendente de Davi" (Romanos 1:2-3)

Sempre acreditei na promessa do Natal. Há algo muito especial, maravilhoso, até mesmo mágico (no melhor uso da palavra) nessa época do ano. E isso sempre me remete ao início da minha infância.

Com o Natal, temos um senso de beleza, maravilha e antecipação. Procuramos estar juntos daqueles que amamos, familiares e amigos, e comemos comidas maravilhosas. É uma época incrível do ano. É também um período que é marcado, em sua maior parte, pela bondade que as pessoas demonstram umas com as outras, mesmo que estranhas entre si.

Mas fica a questão: O Natal realmente entrega o que promete? Sim, às vezes - um pouco aqui e um pouco ali. Para a maioria, no entanto, não. Na verdade, essa época traz muitas dificuldades. Se você for homem, sua pressão sanguínea vai subir dramaticamente nesse período. Um estudo feito por um psicólogo britânico mostrou que compras de Natal são, na verdade, perigosas para a saúde dos homens, devido aos seus efeitos de elevação de pressão. O mesmo estudo mostrou que a pressão das mulheres, nessa época, permanece inalterada.

Então qual seria a parte ruim do Natal? É uma época grosseira, comercial, vazia, cansativa e muito cara que absorve meses de uma vez só. E o que é o Natal em seu melhor? É um esboço do que há por vir: a beleza, a música, os anjos em adoração... o amor, o calor humano, a promessa... a esperança.
Porque quando você vai a fundo, percebe que o Natal é uma promessa. Uma promessa das coisas que virão.
Link para o texto original

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

A Mensagem Essencial do Natal

"'A virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe chamarão Emanuel' que significa 'Deus conosco'" (Mateus 1:23)

Nessa época do ano dizemos muito: "Feliz Natal". Prefiro isso ao invés de: "Boas Festas", mas não brigo por isso. Pelo contrário, o que mais quero é ser amável. Afinal, o natal não é sempre uma época feliz para todo mundo. Para alguém que perdeu o trabalho, essa não é a época mais feliz do ano, pois o "Feliz Natal" desejado por todos, carrega consigo uma ênfase demasiadamente materialista.

Há também aqueles que perderam entes queridos. Sou uma dessas pessoas, e coisas que antes me deixavam feliz nessa época do ano, agora me deixam triste. Aquelas coisas que me traziam alegria, agora me trazem tristeza, pois evocam memórias de tempos que passamos juntos. Por conta disso, o natal se torna uma época difícil para alguns de nós.

Muitas pessoas precisam de encoragamento nessa época. Elas não precisam de um presente de natal. Precisam de uma presença no natal. Precisam ser lembrados do que se trata esse período. Não é sobre coisas. Não é sobre presentes. 

Essas coisas têm o seu espaço também, mas precisamos lembrar a mensagem essencial do natal, que é Emanuel - Deus está conosco. E para as pessoas que estão sofrendo, os solitários, os que estão em luto e sofrendo muito por isso, é hora de trazer o seu presente de encorajamento e dizer: "A mensagem do natal é: Deus vai estar com você. Deus vai ajudá-lo. Deus vai lhe dar força."

Então procure oportunidades para compartilhar o amor de Deus durante esse período, principalmente porque parece ser uma época em que estamos mais abertos a conversar com as pessoas.
Agora é uma ótima oportunidade para você levar encorajamento para alguém que está sofrendo.
Quem está precisando do seu encorajamento hoje? 
Link para o texto original

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Um Presente Não Merecido

"Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores." (Romanos 5:8)

Quem está na sua lista de presentes neste Natal? Geralmente, damos presentes para familiares e amigos. Queremos comprar presentes para pessoas que amamos e nos preocupamos. Tendemos a presentear aqueles que nos tratam bem, as pessoas que são gentis e atenciosas conosco. E muitas vezes daremos presentes em troca de presentes que recebemos. Alguns de nós irão ainda comprar presentes até para os nossos animais de estimação.

No entanto, geralmente não compramos presentes para os nossos inimigos, não é mesmo? Não damos presente para uma pessoa que nos difamou ao longo do ano. Não damos presente para o vizinho irado que nunca tem uma palavra amável a dizer. Não damos um presente a alguém que tentou nos tirar o trabalho. Nem enviamos presente para o ladrão que roubou o aparelho de som do carro no mês passado.

Mas pense nisso: Quando Deus enviou Jesus Cristo, Seu Filho, e nos deu este presente supremo, Ele o deu a nós enquanto ainda éramos Seus inimigos. A Bíblia nos diz, "Mas Deus demonstra o seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores" (Romanos 5:8). Não fizemos absolutamente nada para sermos dignos ou merecedores deste presente. Na verdade, o que realmente merecemos é o julgamento, porque todos temos pecado contra Deus. Todos nós deliberadamente cruzamos essa linha.

A incrível verdade do Natal é que, apesar de nossos pecados, Deus enviou o Seu Filho para nos salvar. Naquela pequena manjedoura em Belém, Ele nos deu um presente não merecido.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Remorso ou Arrependimento?

"A tristeza segundo Deus produz um arrependimento que leva à salvação e não remorso, mas a tristeza segundo o mundo produz morte." (2 Coríntios 7:9)

Há uma diferença entre arrependimento e remorso. Remorso é estar ressentido por ter sido apanhado. Por exemplo, se você fosse roubar um banco, fugisse por algum tempo, e depois fosse preso, você sentiria remorso. Por que? Porque você foi pego.

Ou, se você estivesse dirigindo por uma estrada e fosse pego por um radar, você sentiria remorso. Por que? Porque você foi pego, não porque ultrapassou o limite de velocidade. Isso não é arrependimento; isso é remorso. Arrependimento é estar ressentido o suficiente para parar e mudar de comportamento.

Judas Iscariotes sentiu remorso por ter traído Jesus. Ele sabia que Jesus era inocente. Ele sabia que o que ele fez estava errado. E se ele estivesse arrependido, ainda poderia ter se voltado para Jesus. Mas, em vez disso, ele se voltou para os líderes religiosos. 

E o que isso fez por ele? Eles disseram, de fato: "Sabe de uma coisa? O que é isso para nós? Esse é o seu problema. Você cumpriu o seu propósito. Saia daqui."
Isso é muito típico neste mundo. Ele promete liberdade, mas traz escravidão. Promete gozo, mas traz culpa. Em vez de felicidade, traz tristeza. Em vez de prazer, traz dor. Judas não tinha um amigo no mundo, exceto Jesus. E Judas O traiu. Então Judas se voltou para a religião e a religião não tinha nada a lhe oferecer. Ele precisava de Cristo.

Religião é como colocar um Band-Aid quando você precisa de cirurgia. Não precisamos de um pouco de religião, porque um pouco de religião - ou até mesmo um monte - não nos ajudará. Precisamos é de um monte de Jesus. 

Para onde a sua culpa o conduzirá? Se você se sentir culpado pelo seu pecado, eis aonde você precisa ir: a Cristo. É o único lugar a ir.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Amados Até o Fim

"Isso é bom e agradável perante Deus, nosso Salvador, que deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade." (1 Timóteo 2:3-4)

As pessoas às vezes perguntam: "Você acha que Deus ouviria a oração de uma pessoa perversa que o invocou nos últimos momentos de sua vida – mesmo se essa pessoa tivesse feito coisas horríveis? Absolutamente que sim.

Às vezes temos entes queridos que morreram e nunca tiveram uma vida de fé. E podemos concluir que eles não foram para o céu, mas não sabemos disso. Você estava com esses entes queridos nos últimos momentos de suas vidas? Você estava lá quando eles deram seu último suspiro? Como sabe se eles não invocaram Jesus?

Eis o que você sabe. Deus os amava e queria que fossem salvos. Como diz 1 Timóteo 2:4, Deus "deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade."

Quando Judas chegou ao Jardim do Getsêmani para trair Jesus, Jesus lhe disse: "Amigo, que é que o traz?" (Mateus 26:50). Jesus estava dando a Judas uma última chance de se arrepender. Eu creio que se Judas tivesse parado ali e dissesse: "Senhor, eu estraguei tudo, não sei o que estava pensando, perdoe-me", então Jesus teria lhe perdoado. Por que? Porque Deus diz: "não tenho prazer na morte dos ímpios, antes tenho prazer em que eles se desviem dos seus caminhos e vivam" (Ezequiel 33:11). Jesus amava Judas até o fim. Ele era Seu amigo, mas o Seu amigo o traiu e isso partiu o Seu coração.

Não quero dar uma falsa segurança e sugerir que todos estão no céu, porque não estão. Estou dizendo que se invocaram o Senhor nos últimos momentos de suas vidas, Ele os perdoou e os salvou.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Simplesmente Embrulhado

"Isto lhes servirá de sinal: encontrarão o bebê envolto em panos e deitado numa manjedoura." (Lucas 2:12)

Algumas pessoas fazem pacotes bonitos e ornamentados para os presentes de Natal. Eu não tenho essa capacidade. Meus pacotes embrulhados parecem horríveis. Para os homens, papel de embrulho é apenas um obstáculo para nos afastar do que realmente queremos. Não nos preocupamos com o papel do embrulho. Só queremos saber o que está dentro do pacote.

O dom de Deus não veio a nós numa embalagem elaborada; Ele veio envolto em panos. Jesus nasceu em Belém num ambiente muito humilde. Pense quão difícil foi a viagem de Nazaré a Belém para Maria e José. E quando chegaram, tiveram que permanecer em um estábulo pequeno ou uma caverna onde os animais repousavam. A manjedoura (ou cocho) era apenas uma calha de alimentação para os animais. E acho que o lugar estava muito frio naquela noite. Acho que cheirava como qualquer outro estábulo. Era um ambiente muito insalubre para trazer uma criança ao mundo.

Não digo isso para diminuir a beleza do Natal. Pelo contrário, digo isso para acrescentar beleza ao que Deus fez por nós. O Criador do universo, o Deus Todo-Poderoso a partir de quem tudo foi criado, veio e se humilhou para se tornar um bebê pequeno, nascido em um estábulo em Belém.

Ele não foi colocado na manjedoura em lençóis de cetim, mas em trapos. Ele não foi colocado em uma cama de ouro, digna de um rei, mas num comedouro de animais. Lá estava Ele - o maior presente de todos - num pacote simples. Jesus tomou o Seu lugar em uma manjedoura para que pudéssemos ter um lar no céu.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Você Está Preparado?

"Filhinhos, agora permaneçam nele para que, quando ele se manifestar, tenhamos confiança e não sejamos envergonhados diante dele na sua vinda." (1 João 2:28)

Quando o primeiro natal veio, Jesus nasceu. E a maioria das pessoas havia perdido o nascimento de Jesus. É claro, não havia placas e anúncios mostrando que o nascimento ocorreria. Nenhuma canção de natal havia sido escrita. Não havia luzes coloridas ou promoções nos mercados. As crianças não achavam difícil dormir naquela noite, porque era uma noite como qualquer outra.

Mas o primeiro natal não veio sem sinais, os quais foram apresentados alguns séculos antes. Os profetas hebreus predisseram que o Messias estava para vir, e foram muito específicos ao apontar que nasceria de uma virgem em uma pequena vila de Belém: "Mas tu, Belém-Efrata, embora sejas pequena entre os clãs de Judá, de ti virá para mim aquele que será o governante sobre Israel. Suas origens estão no passado distante, em tempos antigos." (Miquéias 5:2)

No primeiro natal, as coisas eram bonitas como de costume, mas antes as coisas andavam sombrias para o povo Judeu. Houve um silêncio dos céus. Quatrocentos anos se passaram sem um único profeta falar por Deus. Não houve milagres. O povo judeu estava sob a tirania de Roma. As coisas estavam sombrias. Era tempo para o Messias.

Apesar disso, Ele veio e muitos o perderam: os que guardavam a lei, o povo de Belém, os estudiosos, Herodes, todos de Roma. Somente um pequeno grupo estava pronto.

Jesus Cristo está vindo para o mundo novamente. A questão é: fazemos mais para nos prepararmos para um evento passado do que fazemos para o evento futuro? Podemos estar todos prontos para o Natal, mas estamos prontos para o retorno de Jesus Cristo?

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

A Finalidade do Presente

"No dia seguinte João viu Jesus aproximando-se e disse: 'Vejam! É o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!'" (João 1:29)

Quando você planeja dar um presente a alguém, geralmente começa a pensar: o que será que essa pessoa quer de verdade? Aí, claro, você começa a procurar e a guardar dinheiro. Não é uma coisa que se faça na última hora — se você faz, não é um bom presenteador. Se você não planejou com antecedência dar um presente para sua família, é um mau presenteador. Talvez você planeje achar um shopping aberto no último minuto. Talvez esteja trabalhando muito e não tenha tempo. Mas acho que, se você ama alguém de verdade, arranja tempo para escolher um presente com antecedência.

O presente que Deus nos deu não foi de última hora. Muito antes de haver o estábulo em Belém, muito antes de haver um jardim chamado Éden, muito antes de haver um planeta chamado Terra, uma decisão foi tomada nos Conselhos da eternidade. Deus decidiu enviar Seu Filho para nos salvar de nossos pecados. Deus sabia que Adão cairia. Deus sabia que ele iria transgredir os limites, comer do fruto proibido e pecar, e Deus sabia que, como resultado, nós seríamos todos pecadores.

É por isso que a Bíblia diz que Cristo foi morto desde a fundação do mundo (ver Apocalipse 13:8). O Deus onisciente e onipresente tomou a decisão, muito antes de nosso pecado acontecer, de que Jesus viria para esta terra, nasceria, viveria, morreria e ressuscitaria dos mortos para nos salvar de nossos pecados. Essa foi a finalidade do presente que Deus nos deu.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Coloque Seu Coração na Oração

"Orem continuamente" (1 Tessalonicenses 5:17

A oração que prevalece é aquela orada com intensidade - a oração que é muitas vezes oferecida contínua e apaixonadamente. 

Atos 12 começa com eventos trágicos na vida da igreja antiga: o Rei Herodes executou Tiago e jogou Pedro na prisão. E lemos: "Pedro, pois, era guardado na prisão; mas a igreja fazia contínua oração por ele a Deus." (versiculo 5)

Pense no que eles estavam enfrentando. Tiago, o amado apóstolo que estava sempre junto com João, partiu para o céu. Deve ter sido um choque. Eles estavam de luto pela perda desse grande homem de Deus. 

Então Herodes prendeu Pedro. Foi na noite anterior ao seu julgamento e possível execução, que então eles estavam orando. Mas sua oração não era apenas como um bocejo despreocupado: "Senhor, ajude Pedro... O que tem pra janta?" Ao invés disso, foi mais algo do tipo "Oh Senhor, ajude Pedro! Oh Senhor, entregue Pedro!" Na verdade, a palavra usada nesse versículo como "contínua" poderia ser traduzida por "séria" ou "esticada extremamente". É a ideia de uma alma que se estende em direção a um desejo sincero. Oravam com agonia, com intensidade. 

A mesma palavra grega é usada em Lucas 22:44 para descrever a oração de Jesus no jardim de Getsêmani, onde "Estando angustiado, ele orou ainda mais intensamente". 

Muitas vezes nossas orações são tão descontraídas, tão casuais. Muitas de nossas orações não têm poder pois não tem coração nelas. Na verdade, a oração que prevalece a Deus é a oração em que depositamos toda a nossa alma, estendendo-nos para Deus com um desejo intenso e angustiante. Precisamos sempre trazer os nossos pedidos a Deus.

Se colocamos uma parte pequena de nossos corações na oração, como podemos esperar que Deus coloque muito de Seu coração em resposta?

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Pedindo Pelas Palavras Certas

"Orem também por mim, para que, quando eu falar, seja-me dada a mensagem a fim de que, destemidamente, torne conhecido o mistério do evangelho." (Efésios 6:19)

Quando oramos por alguém para vir a Cristo, podemos ter a certeza de que estamos orando conforme a vontade de Deus. Como 2 Pedro 3:9 diz: "[Deus] não quer que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento." 

O apóstolo Paulo pediu especificamente pela maneira de pregar o evangelho. Ele escreveu para os cristãos em Éfeso: "Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem na oração por todos os santos. Orem também por mim, para que, quando eu falar, seja-me dada a mensagem a fim de que, destemidamente, torne conhecido o mistério do evangelho" (Efésios 6:18-19). 

As pessoas, às vezes, perguntam como podem orar por mim. A minha resposta é a mesma de Paulo. Levo o que faço muito a sério, mas mesmo escrevendo minhas mensagens palavra por palavra, há momentos em que vou falar e vem a mim algum pensamento que eu não tinha considerado antes. Não está nas minhas anotações, mas quero compartilhá-lo mesmo assim. E mais tarde as pessoas me dizem: "Foi quando você disse aquela certa coisa que eu decidi que queria me tornar um cristão." 

Pense no dia em que você se tornou um cristão. Se foi através da uma pregação, você provavelmente vai se lembrar de algo específico que foi dito. Você provavelmente não se lembrará de um ou de outro detalhe, ou que você realmente tenha gostado de certos versículos. Você simplesmente ouviu aquele certo detalhe, e alguma coisa aconteceu no seu coração. Então eu oro pelas palavras certas para quando eu for falar. E todos precisamos orar por essas palavras certas de Deus.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Oração Efetiva

"Certo dia Jesus estava orando em determinado lugar. Tendo terminado, um dos seus discípulos lhe disse: 'Senhor, ensina-nos a orar, como João ensinou aos discípulos dele'." (Lucas 11:1)

Jesus nos deu um modelo de oração que chamados de "Pai Nosso." Embora não exista nada de errado em orar repetindo essas palavras, a oração do Pai Nosso é mais um modelo, um formato de oração.

Jesus começou com “Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu.” (Lucas 11:2). Agora, se tivéssemos escrito essa oração, diríamos somente “Dá-nos cada dia o nosso pão cotidiano.” (Lucas 11:3). Mas Jesus disse para iniciarmos com “Pai”, o que revela nossa necessidade por intimidade, proximidade.

“Pai nosso, que estás nos céus” fala da majestade, grandiosidade e poder de Deus. Falar “Santificado seja o seu nome” quer dizer que você está glorificando a Deus, dizendo que O adora, que reconhece a sua grandiosidade.

“Venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu.” Significa que antes de fazermos qualquer oferta ou qualquer pedido, reconhecemos que queremos que seja feita a vontade de Deus mais do que a nossa própria.

O objetivo de uma oração é colocar a nossa vontade de acordo com a vontade de Deus. Oração não é tentar alinhar a vontade de Deus aos nossos desejos e vontades; oração é alinhar a nossa vontade à Dele. Então o que realmente precisamos nos perguntar é: “esta oração está de acordo com a vontade de Deus?” E como podemos saber isso? Através do estudo cuidadoso das Escrituras.

Se você tomar mais tempo para contemplar a grandiosidade de Deus, acredito que isso irá afetar as suas orações. Em algumas ocasiões, as suas orações podem ficar mais curtas. Em outras, mais longas. Mas certamente serão mais eficientes, porque você vai reconhecer que está falando com o Deus Todo-Poderoso.
Link para o texto original

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Começa Com o Povo de Deus

"Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra." (2 Crônicas 7:14)

Muitas vezes, nós cristãos nos focamos mais com o que se passa no Palácio do Planalto ou na Casa Branca do que com o que acontece na Casa de Deus.

Em 2 Crônicas 7:14, Deus olhou para uma nação que estava tendo problemas e apontou o Seu dedo para o Seu povo. Ele disse: "Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra."

Não é uma resposta política que o nosso país necessita; é uma resposta espiritual. E a única resposta real é um despertar espiritual. Um renascimento deve atingir o Brasil.

Deus diz: "Se o meu povo [...]". Se quisermos virar uma nação, o povo de Deus precisa viver como deveria. A igreja no primeiro século abalou o seu mundo. E o que sabemos sobre eles? Sabemos que eram uma igreja obediente no ensino da Bíblia, na pregação do evangelho, e na oração. Então a pergunta que surge é: estamos assim hoje?

Infelizmente, acho que a resposta é não. Numa época em que precisamos envolver a nossa sociedade com a única verdade - a qual traz a esperança de transformá-la, muitos entre nós se afastam da resposta.

Um pastor escreveu um livro questionando o ensino bíblico sobre o inferno. Outro pastor disse recentemente que pensa que não devemos mais usar as terminologias "salvo" ou "nascido de novo" em nossa pregação porque a nossa sociedade não entende muito bem isso. E um blogueiro cristão popular questionou toda a ideia do evangelismo.

Nunca houve um momento em que foi para nós mais importante alertar as pessoas sobre a realidade do inferno e dizer-lhes que precisam ser salvas e nascer de novo. E sim, precisamos fazê-lo através do evangelismo. 

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Lembre-se de Agradecer

"Um deles, quando viu que estava curado, voltou, louvando a Deus em alta voz. Prostrou-se aos pés de Jesus e lhe agradeceu. Este era samaritano." (Lucas 17:15-16)

A Bíblia conta a história de dez homens que tinham muito a agradecer. Eles foram milagrosamente curados por Jesus. Antes disso, haviam sido completamente excluídos, estavam marginalizados pela sociedade. Estes homens tinham lepra, uma doença até então incurável. Não havia nada pior do que ser um leproso naquele tempo.

Se um homem fosse encontrado com lepra, ele não poderia mais ter nenhum contato com as pessoas saudáveis. Tinha que deixar a sua casa, família e amigos para viver separado deles. Então aqui estavam esses homens vivendo uma vida deplorável, solitária e isolada. Então eles ouviram falar de Jesus. Ouviram como Ele tinha tocado a outros e os curado.

Então eles clamaram ao Senhor e pediram por Seu toque de cura. Agora, esses homens estavam diante de Jesus em diferentes estágios de decadência. Suas roupas tinham sido arrancadas em um luto perpétuo. Suas cabeças esqueléticas estavam descobertas. Era exigido deles, de acordo com a Lei de Moisés, que gritassem: "Imundo! Imundo!" onde quer que passassem.

Mas Jesus não respondeu a eles com efeitos especiais ou mesmo um toque dramático. Ele simplesmente disse: "Vão mostrar-se aos sacerdotes" (Lucas 17:14). Então é isso que eles fizeram. E adivinhem só? Eles foram curados.

No entanto, apenas um decidiu voltar e dar graças. A Bíblia nos diz que ele era um samaritano, o que pode não significar muito para nós. Mas, normalmente, judeus e samaritanos não tinham boas relações uns com os outros. Os judeus desprezavam os samaritanos. No entanto, não foi um dos filhos de Abraão que vieram para dar graças; foi um samaritano. E ele foi elogiado por isso.

Somos tão rápidos para pedir ajuda a Deus, mas lembremos de ser igualmente rápidos em dar-Lhe louvor quando Ele nos atende.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

O Jeito Certo de Orar

"Dois homens subiram ao templo para orar; um era fariseu e o outro, publicano. O fariseu, em pé, orava no íntimo [...]" (Lucas 18:10-11)

Deus responde a toda e qualquer oração. Mas, achamos que não é assim, porque que às vezes Deus diz "não" à nossa oração e, simplesmente, não gostamos dessa resposta. Deus responde a toda oração com "sim, "não" ou "aguarde".

Então, como podemos ter as nossas orações respondidas de maneira afirmativa com mais frequência? Há algo que possamos fazer para que Deus diga "sim" em vez de "não"?

Podemos começar certificando-nos de que estejamos realmente oferecendo nossas orações a Deus. Você pode pensar: "Essa é a coisa mais besta que já ouvi. Toda oração não é para Deus?" Na verdade, não. Você nunca orou e sua mente começou a se dispersar? Enquanto você ou alguém ora, pensa: "Será que desliguei o ferro antes de sair de casa? Não sei se desliguei. Ah, preciso ligar para o Fulano. Sabe, para o almoço acho que vou fazer feijão..."

Você pode orar de olhos fechados e mãos juntas, mas não orar coisa alguma. Aliás, você pode orar de olhos abertos também. Na Bíblia, lemos sobre pessoas orando de olhos abertos, de olhos fechados, e de olhos para o alto. Encontramos pessoas de joelhos, prostradas de rosto no chão, e erguendo as mãos. Qualquer postura de orar é aceitável, mas o principal é que nossa oração seja para Deus.

Jesus contou a história de um fariseu que "orava no íntimo" (Lucas 18:11), querendo dizer que as orações dele não passavam do teto, pois não pensava no Deus para Quem ele se dirigia.

É por isso que, quando os discípulos disseram a Jesus: "Senhor, ensina-nos a orar", Ele começou seu modelo de oração com as palavras: "Pai! Santificado seja o teu nome" (Lucas 11:2).

Para que sejam respondidas afirmativamente com mais frequência, nossas orações têm de ser oferecidas a Deus.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Armas Espirituais

"Pedro, então, ficou detido na prisão, mas a igreja orava intensamente a Deus por ele." (Atos 12:5)

Martin Lloyd Jones disse: "De todas as bênçãos que temos com a salvação, nenhuma é maior do que esta: temos acesso a Deus em oração".

Pense um pouco sobre o desafio tremendo que a igreja do primeiro século teve. Eles não tinham base política, não tinham direito de voto no senado romano, e nenhum imperador romano simpatizava com eles. Os primeiros Cristãos não entravam em discussão com os pagãos; eles davam o exemplo através de suas vidas. O Cristianismo nunca tentou 'conquistar' o paganismo ou o Judaísmo superficial à força. Ao invés disso, os Cristãos do primeiro século lutavam pelos descrentes, viviam e oravam muito por eles.

Tudo isso porque reconheciam que suas armas não eram físicas, mas espirituais. Não lemos em lugar algum que os Cristãos se armaram e se revoltaram contra Roma. Os romanos tinham o exército mais poderoso do planeta naquela época. Os primeiros Cristãos basicamente disseram: "Vamos combater o fogo com fogo. Vamos reconhecer que isto é uma batalha espiritual, então vamos usar armamento espiritual."

Em Atos 12, os vemos encarando uma incrível dificuldade. Herodes executou Tiago, que foi um dos discípulos de Jesus e irmão de João. Então ele decidiu jogar Pedro na prisão. E o que a igreja fez? Tentaram destituir Herodes no trono? Não. Lemos que "a igreja orava intensamente a Deus por ele." (versículo 5).

Qual é o armamento espiritual que Deus tem nos dado para lutarmos as batalhas de hoje? É, essencialmente, oração e a proclamação do Evangelho.

O problema é não usarmos esse armamento. Utilizamos meios políticos, entre outros, para tentar resolver nossos problemas, e acabamos como uma pessoa tentando lançar fogo sobre uma floresta com uma arminha de brinquedo. Vamos usar as armas espirituais que Deus nos deu.
Link para o texto original

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

A Perspectiva Eterna

"Assim, fixamos os olhos, não naquilo que se vê, mas no que não se vê, pois o que se vê é transitório, mas o que não se vê é eterno." (2 Coríntios 4:18)

Quando jovem, você acha que certas coisas são sempre boas, enquanto outras coisas são sempre más. Por exemplo, o sucesso é sempre bom, e as dificuldades são sempre ruins. Mas quando mais velho, você olha para trás e percebe que o sucesso realmente pode ser ruim para algumas pessoas. E dificuldades, na verdade, podem ser boas para outras. Você começa a ver as coisas de forma diferente. E, às vezes, as coisas que você achava que eram realmente boas acabaram sendo ruins. E as coisas que você achava que eram ruins acabaram sendo boas.

Como cristãos, temos que perceber que Deus está no controle de todas as circunstâncias que cercam nossas vidas. Deus toma todos os acontecimentos da vida, as coisas boas e as chamadas coisas ruins, e trabalha "[...] em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.” (Romanos 8:28).

Também temos de perceber que Deus nos ama e está sempre olhando para o nosso eterno benefício, mesmo que o período pelo qual estamos passando seja difícil. Lemos em 2 Coríntios 4:17-18: "pois os nossos sofrimentos leves e momentâneos estão produzindo para nós uma glória eterna que pesa mais do que todos eles. Assim, fixamos os olhos, não naquilo que se vê, mas no que não se vê, pois o que se vê é transitório, mas o que não se vê é eterno.”

Você é grato pelo que Deus lhe tem abençoado? Deu graças recentemente por sua saúde? Pela possibilidade de poder adorar livremente? Pelas roupas que veste e pelo teto sobre a sua cabeça? Precisamos dar graças a Deus porque há inúmeras coisas para agradecer.