sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Desculpas e Não Razões

"Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas encorajemo-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês vêem que se aproxima o Dia." (Hebreus 10:25)

Uma razão é algo que oferecemos quando não somos capazes de fazer alguma coisa, enquanto que uma desculpa é algo que oferecemos quando não queremos fazer alguma coisa e quando queremos nos livrar dela. As pessoas oferecem um monte de desculpas para não ir à igreja.

Vamos olhar para o comprometimento que os fãs de futebol têm, como eles torcem pelo seu time, independente das circunstâncias ou das condições climáticas. Vestem-se com as cores do time e até mesmo pintam seus rostos. E quando sai um gol, gritam de emoção. 

E se as pessoas fossem assim na igreja, nunca faltando a um culto, nunca perdendo uma oportunidade de adorar? E se as pessoas oferecessem as mesmas desculpas para não ir aos jogos, como fazem para não ir à igreja? Pense o quanto iria soar ridículo: "Olha, não vou mais para os jogos, porque as pessoas que se sentam ao meu redor não parecem tão amigáveis. É muito lotado. Simplesmente há muitas pessoas." Ou: "Os bancos são muito desconfortáveis." Ou: "É muito difícil encontrar um lugar para estacionar." Ou: "O técnico nunca veio falar comigo pessoalmente." 

E que tal estas desculpas? "Bem, li um livro sobre futebol, e acho que sei mais do que o técnico." Ou: "Meus pais me levaram para um monte de jogos quando eu era pequeno, então simplesmente não quero mais ir."

Duvido que você algum dia ouça essas desculpas para faltar a um jogo de futebol, mas isso é o que as pessoas dizem para não irem à igreja. Elas podem ter um monte de desculpas para oferecer - e nenhuma razão.

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Diga a Ele

"Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem na oração por todos os santos." (Efésios 6:18)

Em seu excelente livro chamado "Como Orar", R. A. Torrey disse: "A oração é o caminho apontado por Deus para obter coisas e a maior razão para a grande ausência na vida das pessoas, é a negligência à oração."

Obter coisas não é a principal razão da oração, mas é uma delas. Tiago 4:2 nos lembra: "Não têm, porque não pedem."

Quando estamos passando por algum tipo de necessidade, o primeiro passo é a oração. Você vive algum conflito? Tem alguma necessidade agora? Talvez seja uma necessidade física. Você precisa do toque de cura de Deus. Ou talvez seja uma necessidade espiritual. Você precisa do Seu poder, Sua ajuda, Sua sabedoria. Ou talvez seja uma necessidade financeira. Você precisa da Sua provisão. Você tem orado por isso?

Nos é dito em Filipenses 4:6: "Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus." Esse é o objetivo da oração: de alinhar a nossa vontade com a vontade de Deus e de nos colocarmos em contato com Ele.

Precisamos orar sobre todas as coisas o tempo todo. Efésios 6:18 diz: "Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem na oração por todos os santos." Observe o uso das palavras 'todas', 'toda', 'todos'.

O apóstolo Paulo estava dizendo que precisamos orar todo o tempo, nunca desistindo, nunca desanimando. Então ore pelo o que quer que você esteja passando.
Link para o texto original

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Coloque o Seu Coração Nisso

"Pedro, então, ficou detido na prisão, mas a igreja orava intensamente a Deus por ele." (Atos 12:5)

Atos 12 nos lembra de uma história de crise na igreja primitiva. Tiago havia sido morto pelo rei Herodes. Pedro foi preso e claramente seria o próximo. Então o que a igreja fez? Orou. Mas eles não oraram de qualquer forma. Eles oraram com paixão. Lemos que "a igreja orava intensamente a Deus por ele [Pedro]." Eu adoro ler isso.

A expressão "orava intensamente" também pode ser entendida como "oração fervorosa" ou "oração estendida." É a busca ferrenha por algo. Alguma vez você já deixou cair algo que estava próximo do seu alcance, e então fez de tudo para alcançar esse objeto? Era assim que a igreja orava. Não era uma oração qualquer, como uma oração tipo “bocejo”: “Senhor ajude Pedro”. Esta oração era uma oração tipo "tempestade nos portões dos céus." Eles não estavam retrocedendo. E sabe o que aconteceu? A oração foi atendida.

Quando uma mulher do povo gentio suplicou a Jesus para curar sua filha que estava possessa por um demônio, Jesus lhe disse: "Não é certo tirar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos." (Mateus 15:26)

Ela poderia ter desistido, mas ao invés disso ela respondeu: "Sim, Senhor, mas até os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos" (verso 27). Jesus não a estava afastando; ele a estava aproximando. Ele sabia que a sua fé era grande. E devido à sua persistência, a sua filha foi curada no mesmo dia.

Algumas vezes, quando a resposta para nossas orações não vêm logo, presumimos que Deus está dizendo não. Talvez, mas pode ser que Ele queira que a nossa oração continue, com mais persistência.

Esse é o tipo de oração que prevalece com Deus, a oração na qual colocamos toda a nossa alma, buscando a Deus com um desejo agonizante. Muitas de nossas orações não têm poder porque colocamos pouco os nossos corações nelas.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Ecoando na Eternidade

"Respondeu Jesus: 'Digo-lhes a verdade: Ninguém que tenha deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos, ou campos, por causa de mim e do evangelho, deixará de receber cem vezes mais já no tempo presente casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, e com eles perseguição; e, na era futura, a vida eterna.'" (Marcos 10:29-30)

No filme Gladiador, Maximus Decimus Meridius, levando suas tropas para a batalha, declarou: "O que fazemos em vida ecoa na eternidade."

Essa é uma afirmação verdadeira. O que fazemos em vida ecoa na eternidade. Agimos como se tudo o que pode ser feito devesse ser feito durante nossa vida na terra, e temos de fazer tudo o que pudermos com o nosso tempo, habilidades e recursos. Há um grande elemento de verdade nisso, porque nós certamente não queremos desperdiçar as nossas vidas. E quando a vida é interrompida ou dificultada por uma deficiência ou uma doença, quando uma criança ou um jovem morre, pensamos: Que tragédia! Que perda!

Depois, há pessoas que viveram vidas perversas, que não fizeram nada com o que Deus lhes deu e se opuseram a Deus de toda a forma - mesmo fazendo dano com suas próprias vidas. E pensamos: Uau! Eles continuam a viver, enquanto essa outra pessoa que prometia tanto e com potencial tão grande se foi! Por que pensamos assim? Porque pensamos que tudo o que vai acontecer, irá acontecer somente nesta vida e... acabou.

Mas isso não é o que a Bíblia ensina. A Bíblia ensina que a vida continua, e que Deus não irá perder ou desperdiçar nenhuma vida, nenhum dom. Ela nos lembra que a morte, para o cristão, não é o fim de uma vida, mas uma continuação dela em um outro lugar, e que Deus tem outros lugares e tempos em que essa vida talvez possa atingir seu pleno potencial.

Quaisquer que sejam os sacrifícios que você tenha feito lhe serão recompensados. Deus não será o seu devedor. Estou plenamente confiante de que, naquele último dia, você vai reconhecer que tudo isso valeu a pena.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Nunca Ocupado Demais

"Jesus, parando, chamou-os e perguntou-lhes: 'O que vocês querem que eu lhes faça?'" (Mateus 20:32)

Imagino que Davi estava sentado certa noite numa grande pastagem, contemplando toda a glória da criação de Deus, quando escreveu: "Senhor, que é o homem para que te importes com ele, ou o filho do homem para que por ele te interesses?" (Salmo 144:3).

Eis uma boa pergunta: por que Deus se importaria conosco? Não sei; mas sei que Ele se importa. Se algo nos diz respeito, diz respeito também a Ele. Se é um fardo para nós, então, certamente, é um fardo para Ele também, fardo com o qual Ele quer lidar e resolver.

Vemos isso ilustrado na vida de Jesus. Ele estava a caminho de Jerusalém para morrer na cruz. Seu coração pesava. Ele tinha acabado de soltar a "bomba" de que ia ser crucificado. Sabia que o seu fim estava próximo. Ainda assim, deu-se ao trabalho de conceder do Seu tempo a dois cegos em necessidade.

A Bíblia nos conta que eles estavam sentados à beira da estrada de Jericó quando ouviram dizer que Jesus vinha. Então começaram a berrar: "Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de nós!" (Mateus 20:30). As pessoas tentaram aquietá-los, mas isso os deixou ainda mais determinados a chamar a atenção d'Ele.

Então Jesus parou e lhes perguntou: "O que vocês querem que eu lhes faça?" (versículo 32).

Eles Lhe disseram: "Senhor, queremos que se abram os nossos olhos" (versículo 33). A Bíblia nos conta que Jesus teve compaixão deles e tocou seus olhos e que imediatamente eles puderam enxergar.

Isso é um lembrete de que Deus nunca está ocupado demais para nós. Podemos achar que Deus tenha muita atividade no universo e Ele tem. Mas somos Seus filhos, e Ele sempre tem tempo para ouvir nossas orações.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Um Pai Generoso

"Se vocês permanecerem em mim, e as minhas palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem, e lhes será concedido." (João 15:7)

Um adolescente que tinha acabado de receber sua carteira de motorista estava pedindo para usar o carro da família. Seu pai, que era conhecido por ser mesquinho, disse-lhe: "Vou fazer um trato com você, filho. Se você receber notas altas na escola neste semestre, mantiver seu quarto limpo e arrumado, cortar a grama, tirar o lixo duas vezes na semana e cortar esse seu cabelo, vou deixá-lo dirigir o carro da família."

Poucos meses depois, o rapaz voltou para o seu pai e disse-lhe que havia tirado notas altas naquele semestre, tirado o lixo duas vezes na semana e tinha feito todas as suas tarefas. Seu pai tomou nota de tudo e em seguida, disse: "Mas Filho, notei que você não cortou o seu cabelo."

O rapaz respondeu: "Mas pai, Jesus tinha cabelo comprido."

"Isso é verdade", o pai disse ao filho. "E Jesus também andou a pé por todos os lugares onde ia. Então, vá cortar o seu cabelo."

Felizmente, como crentes, não temos um pai mesquinho. Temos um Pai no céu que gosta de nos abençoar e de nos dar presentes caros. Ele é mais do que generoso. Jesus disse: "Não tenham medo, pequeno rebanho, pois foi do agrado do Pai dar-lhes o Reino." (Lucas 12:32). Então vamos até Ele dia após dia buscando Sua bênção e a Sua provisão.

O objetivo da oração é fazer com que a nossa vontade se alinhe à vontade de Deus. E uma vez que isso aconteça, veremos nossas orações respondidas mais frequentemente de forma afirmativa. Jesus resumiu desta forma: "Se vocês permanecerem em mim, e as minhas palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem, e lhes será concedido" (João 15:7). Se permanecermos n'Ele, se investimos tempo em Sua Palavra, Ele vai nos mudar. E isso também mudará as coisas pelas quais oramos.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Em Contato com Deus

"Assim sendo, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade." (Hebreus 4:16)

Adoro orar com crianças. Elas fazem suas coisinhas de criança que são tão fofas. Às vezes, suas orações são profundas e muito sinceras, enquanto em outras elas trapaceiam ou não oram de jeito nenhum.

Nós adultos temos a tendência de enfatizar o palavreado que usamos nas orações, ou na sua duração, mas Deus não se preocupa muito com essas coisas. Ele não está interessado na eloquência de nossas orações. E, com certeza, não fica impressionado com longas orações. Na verdade, as melhores orações da bíblia são curtas. Creio que nossas orações privadas/particulares devem ser longas, enquanto que nossas orações públicas devem ser curtas. Mas o fato principal é que devemos orar com frequência.

E qual o objetivo de orar? É contar a Deus algo que Ele não saiba? Ou é convencer Deus a fazer algo que ele não necessariamente queira fazer? A resposta é: não. Deus sabe todas as coisas e Ele fará o que precisa ser feito.

Então, para quê orar? O valor da oração é o de nos manter em contato com Deus. A oração deve ser consistente como a relação entre um pai e um filho. Podemos pensar que Deus vai nos dar tudo o que precisamos, para todas as situações, tudo ao mesmo tempo. Mas se isto acontecesse, muito provavelmente nos empolgaríamos tanto com os presentes que correríamos o risco de nos esquecermos do doador.

Deus nos dá o que precisamos e quando precisamos. Isso nos deixa dependentes Dele, não muito diferentemente de um filho que recebe mesada de um pai.

Da mesma maneira, precisamos voltar para Deus todos os dias, nos permitindo "encontrar graça que nos ajude no momento da necessidade."

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Isso Não é Tudo Que Existe

"Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida que Deus prometeu aos que o amam." (Tiago 1:12)

Há pouco tempo tive uma conversa com duas pessoas depois da igreja. Uma era cadeirante com uma deficiência severa, e a outra a estava acompanhando. Conversei com a acompanhante por um tempo e então me virei para a cadeirante e disse: "Bem, e você, como está?"

"Eu estou bem", ela me disse.

Mas sua amiga havia dito que, na verdade, ela tinha acabado de passar por duas cirurgias no cérebro para remover um câncer, e tudo tido ocorrido bem.

Olhei para esta jovem mulher com sua deficiência, alguém que tinha acabado de passar por um momento tão difícil, e pensei: E onde ela está agora? Ela está na igreja. 

Pensei em todas as desculpas que as pessoas inventam para não ter comunhão. Elas estão resfriadas, ou levam muito tempo para achar uma vaga no estacionamento, e assim por diante. No entanto, lá estava essa jovem que, apesar de sua deficiência e das recentes cirurgias graves, estava na igreja, louvando a Deus e dizendo que estava bem. Fui tocado pelo exemplo dela. 

Então eu disse a ela: "Sabe, a Bíblia promete uma bênção especial e uma coroa para aqueles que sofreram nesta vida. Admiro a sua fé. Você é uma inspiração para mim." 

Tiago 1:12 diz: "Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida que Deus prometeu aos que o amam." Tudo isso acontecerá conosco em nossa vida futura. Você teve que perder alguma coisa para seguir Jesus? Quaisquer que tenham sido suas perdas para seguir a Cristo, muito mais estará guardado para você.

Não se enganem sobre isso: nossa vida na terra não é tudo o que existe. Haverá recompensas para nossa fidelidade a Deus.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Distraído Pelas Coisas Materiais

"Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração." (Mateus 6:21)

Mateus 19 registra uma conversa entre Jesus e um jovem rico, que pode ser o único homem nos Evangelhos que veio até Jesus e, na verdade, foi embora em piores condições do que veio.

Este era um homem que tinha sido criado em um lar muito religioso. A Bíblia diz que teve grande riqueza. Mas faltava algo. Ele queria a vida eterna. Então, veio até Jesus com uma pergunta: "Mestre, que farei de bom para ter a vida eterna?" (Mateus 19:16).

Jesus disse-lhe para guardar os mandamentos. E quando ele queria saber quais, Jesus começou a recitá-los. Por que? Porque se este jovem rico tivesse sido honesto e refletido, ele teria reconhecido que não era tão bom quanto pensava ser. Jesus citou a lei, porque a lei é um espelho moral. A lei não foi dada para nos tornar justos, mas para mostrar que não somos justos.

Mas o jovem rico não conseguiu entender isso, então Jesus lhe disse: "Se você quer ser perfeito, vá, venda os seus bens e dê o dinheiro aos pobres, e você terá um tesouro no céu. Depois, venha e siga-Me” (versículo 21).

Assim, a história do jovem rico terminou em tristeza. Mateus nos diz: "Ouvindo isso, o jovem afastou-se triste, porque tinha muitas riquezas" (versículo 22).

Jesus estava colocando o dedo no pecado primordial na vida deste homem, que foi o amor pelas coisas terrenas. Jesus estava pedindo a esse homem para destronar a sua riqueza e entronizar o Salvador. Mas ele não estava disposto a fazê-lo.

Como esse homem, podemos hoje facilmente nos distrair com as coisas materiais. E, muitas vezes, pensamos apenas no aqui e agora e raramente no amanhã.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Seguir Com Grande Alegria

"Quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou Filipe repentinamente. O eunuco não o viu mais e, cheio de alegria, seguiu o seu caminho." (Atos 8:39)

A Bíblia conta a história de um homem da Etiópia que estava a caminho de Jerusalém, buscando a Deus. Este homem servia sua rainha numa alta posição hierárquica. Sem dúvida, ele viajava com uma caravana, pois era um homem importante. Ele havia ouvido falar sobre o Deus de Abraão, Isaque e Jacó e sobre a fé do povo Judeu. Então foi a Jerusalém em busca de Deus, mas não o encontrou.

No entanto, ele obteve algo de grande valor: um pergaminho do livro de Isaías, o qual lia enquanto viajava de volta para casa. E aconteceu que, enquanto ele lia Isaías 53, Filipe apareceu ao lado de sua carruagem. Deus havia dito para Filipe ir ao deserto, mas ele não sabia por que. Ele estava somente caminhando no meio do nada, aguardando. Então veio esta caravana, e Filipe olhou e ouviu este homem importante lendo Isaías 53. Então Filipe se aproximou e perguntou: "O senhor entende o que está lendo?" (Atos 8:30)

O homem respondeu: "Como posso entender se alguém não me explicar?" (verso 31). Então ele convidou Filipe para se juntar a ele. Filipe entrou na carruagem e explicou Isaías 53, e lhe disse que aquele verso tratava do Messias. Jesus é aquele que completou as Escrituras, quem morreu na cruz e ressuscitou dos mortos. Querendo crer, o homem disse: "Olhe, aqui há água. O que me impede de ser batizado?" (verso 36). Então Filipe disse a ele que nada impedia se ele acreditasse com todo o seu coração. A história termina com o homem importante seguindo o seu caminho com grande alegria.

E assim é para todo o que acredita em Cristo: sempre segue o seu caminho com grande alegria.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Mantendo as Aparências

"Então, um dos Doze, chamado Judas Iscariotes, dirigiu-se aos chefes dos sacerdotes e lhes perguntou: 'O que me darão se eu o entregar a vocês?' E eles lhe fixaram o preço: trinta moedas de prata" (Mateus 26:14-15)

Há um velho ditado Inglês que diz: "Ainda que velho, o homem por si só tem um preço. Por 30 moedas Judas vendeu-se, não a Cristo."

Pensamos que Judas vendeu Jesus mas, na verdade, o que ele vendeu foi a sua própria alma. Quanto vale uma alma? Judas imaginou que 30 moedas de prata eram suficientes.

E não só isso, ele traiu Jesus com um beijo - um beijo do inferno. Judas poderia ter apontado para Jesus e dito: "Ok, pessoal, aquele é Jesus. Levem-no. E agora entreguem o meu dinheiro." Mas não. Ao invés disso, Judas foi até Jesus e no que parecia ser um ato de afeto e devoção, beijou Jesus na bochecha. Judas queria parecer ser espiritual.

Há pessoas assim ainda hoje. Elas são espiritualmente doentes por dentro e, por fora, querem parecer piedosas. Judas é a prova de que a associação com a piedade não é garantia nenhuma de que você vai ser piedoso. Você acha que andar ao redor de pessoas piedosas vai fazer você piedoso? De modo algum. Elas podem ser uma boa influência para você (e eu recomendo muito que você ande com pessoas piedosas e que também você se torne uma pessoa piedosa que influencia os outros). Entretanto, essas coisas por si só não irão mudar o seu caráter.

Seria como ir a um restaurante com os amigos e, enquanto eles fazem os pedidos no menu, você diz: "Oh, eu não vou pedir nada. Só irei olhar para as figuras desse menu. Isso vai satisfazer as minhas necessidades e encher o meu estômago."

Você não pode crescer espiritualmente simplesmente andando com pessoas piedosas. Para crescer sábio e desenvolver-se espiritualmente, você deve pessoalmente tomar o que Jesus oferece.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

As Tres Rspostas a Oração

"Vocês me procurarão e me acharão quando me procurarem de todo o coração." (Jeremias, 29:13)

Às vezes pensamos que uma oração não foi respondida quando, na verdade, ela foi. Ela só não foi respondida afirmativamente.

Quando pedimos a Deus por alguma coisa e Ele diz "não", isso significa que não. Portanto, se quisermos que nossas orações sejam respondidas de forma afirmativa, temos de nos alinhar com a vontade de Deus.

Deus responde a oração de três maneiras: sim, não, e espere. Às vezes, Ele quer que você cresça por intermédio de seu desafio. O apóstolo Paulo, com uma oração, pediu a Deus para remover uma enfermidade. Não sabemos o que era, mas a maioria dos comentaristas acredita que era uma deficiência ou uma lesão que sofreu como resultado de seu ministério. Certamente houve muitas ocasiões em que isso poderia ter acontecido, porque Paulo foi espancado, chicoteado, sofreu naufrágio, e até mesmo, em certa ocasião, foi posto na prisão e deixado lá para morrer. 

Seja qual fosse a enfermidade que o estivesse incomodando, Paulo pediu a Deus para tirá-la. Mas Deus disse: "Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza" (2 Coríntios 12:9). Às vezes, Deus não tira a nossa adversidade, mas quer que cresçamos com ela.

Também houve o caso de Moisés, que queria ver os israelitas libertos da escravidão no Egito. Ele não esperou por Deus. Em vez disso, com as próprias mãos matou um guarda egípcio. Quando o faraó descobriu, ele efetivamente mudou a vida de Moisés, que teve que ir para o exílio por 40 anos. Moisés teve a ideia certa no momento errado.

Às vezes Deus vai dizer "Sim", em outras vai dizer "Não" e às vezes Ele vai dizer "Espere." Mas podemos ter certeza de que quando fervorosamente clamamos a Deus pela fé, Ele nos ouve.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Ressentimentos X Orações Sem Resposta

"'E quando estiverem orando, se tiverem alguma coisa contra alguém, perdoem-no, para que também o Pai celestial lhes perdoe os seus pecados.' Mas se vocês não perdoarem, também o seu Pai que está no céu não perdoará os seus pecados."  (Marcos 11:25-26)

A oração é um privilégio maravilhoso. Podemos orar a qualquer momento ou em qualquer lugar. Daniel orou em uma caverna cheia de leões famintos. O apóstolo Paulo orou quando estava preso no cárcere. Pedro orou sobre a superfície da água. E Jonas orou debaixo da água. Assim, onde quer que esteja, você pode orar.

Mas talvez você esteja orando sobre algo por um longo tempo sem que nada aconteça. Talvez seja um pedido legítimo, você tem pedido a Deus por Sua sabedoria ou provisão, no entanto, parece que a sua oração fica sem resposta.

Aqui está a minha pergunta para você: Você está abrigando a falta de perdão no seu coração agora? Deixe-me dizer isso de outra maneira: Você nutre um ressentimento contra alguém? Toda vez que vê essa pessoa, começa a ferver de raiva e a sentir a sua pressão subir? Você pode dizer: "Bem, você precisa entender. Aquela pessoa me injustiçou."

Todos nós temos sido injustiçados na vida. Todos fomos feridos e maltratados na vida. Não importa o quanto tentemos, não podemos controlar o universo. O que podemos fazer é escolher como vamos reagir quando uma injustiça vem ao nosso encontro na vida.

Jesus disse: "'E quando estiverem orando, se tiverem alguma coisa contra alguém, perdoem-no, para que também o Pai celestial lhes perdoe os seus pecados'. Mas se vocês não perdoarem, também o seu Pai que está no céu não perdoará os seus pecados" (Marcos 11:25-26).

Pessoas perdoadas devem perdoar pessoas. Por isso, é hora de enterrar o machado de guerra (mas não nas costas da outra pessoa) e perdoar. Lembre-se, quando você perdoa alguém, você liberta um prisioneiro: você mesmo.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Ídolos em Nossos Corações

"Filho do homem, estes homens ergueram ídolos em seus corações e puseram tropeços ímpios diante de si. Devo deixar que me consultem?" (Ezequiel 14:3)

Acho interessante que os primeiros dois dos Dez Mandamentos lidam com a questão de outros deuses. O primeiro mandamento diz: "Não terás outros deuses além de mim" (Êxodo 20:3), enquanto o segundo diz: "Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem de qualquer coisa no céu, na terra, ou nas águas debaixo da terra" (versículo 4).

Ídolos nos nossos corações podem fazer com que Deus recuse escutar nossas orações. O ídolo é algo (ou alguém) que toma o lugar de Deus em nossas vidas. Claramente pode ser algo pecaminoso, mas também pode ser algo aparentemente bom. Por exemplo, podemos fazer de nossa carreira um ídolo. Não tem nada de errado com uma carreira, mas se ela for mais importante que Deus, então se tornou um ídolo. Podemos fazer ídolo nossas relações, ou um marido, uma esposa, namorado ou namorada. Se eles são mais importantes que Deus, tornaram-se ídolos. Podemos fazer do dinheiro um ídolo. Podemos tornar nossos bens um ídolo. Podemos fazer até da nossa religião um ídolo. Podemos transformar praticamente tudo em ídolos. E se temos ídolos em nossos corações, Deus não irá nos ouvir.

Deus diz a Ezequiel "Filho do homem, estes homens ergueram ídolos em seus corações e puseram tropeços ímpios diante de si. Devo deixar que me consultem?" (Ezequiel 14:3)

Não podemos ter outro deus antes do Deus vivo e verdadeiro. Ídolos podem impedir nossas orações.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Ore Com Fé

"Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam." (Hebreus 11:6)

Às vezes nossas orações não são respondidas positivamente porque simplesmente não cremos. Jesus não pôde fazer milagres em sua cidade natal por causa da incredulidade (veja Mateus 13:58). As Escrituras nos dizem que: "Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam." (Hebreus 11:6).

A incredulidade pode limitar nossas orações. Quando pensamos, "bem, realmente não creio que isso possa acontecer", estamos essencialmente cancelando nossa própria oração. Não acreditar que a Palavra que Deus diz é verdade, é efetivamente chamar Deus de mentiroso. Tiago nos diz: "Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida. Peça-a, porém, com fé, sem duvidar, pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento. Não pense tal homem que receberá coisa alguma do Senhor" (Tiago 1:5-7).

Devemos orar com fé. E se não tivermos fé, devemos seguir o exemplo do homem que disse a Jesus: "Creio, ajuda-me a vencer a minha incredulidade!" (Marcos 9:24). Essa oração funciona. Não precisamos ter uma super-fé, mas precisamos ter um pouco de fé e precisamos aplicar essa fé na oração.

A fé vê o que pode vir a ser. Fé não é somente concordância intelectual; é ação. É um consentimento da vontade para a concordância do entendimento. A fé vê o que pode vir a ser e um crente vê as coisas invisíveis.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Mantenha Um Coração Limpo

"Se eu acalentasse o pecado no coração, o Senhor não me ouviria" (Salmos 66:18)

Não é só um motivo egoísta que pode dificultar as nossas orações, mas o pecado não confessado também pode frustrá-las. Isaías 59:1-2 diz: "Vejam! O braço do Senhor não está tão curto que não possa salvar e o seu ouvido tão surdo que não possa ouvir. Mas as suas maldades separaram vocês do seu Deus; os seus pecados esconderam de vocês o rosto dele e por isso ele não os ouvirá."

O pecado não confessado em nossas vidas vai fazer com que as nossas orações não sejam respondidas. O salmista escreveu: "Se eu acalentasse o pecado no coração, o Senhor não me ouviria" (Salmo 66:18). Podemos orar com paixão. Podemos orar com fé. Podemos orar com todo o entusiasmo que tivermos, mas se há algo em nossas vidas que não é correto diante de Deus, nossas orações não serão ouvidas.

Quando nos aproximamos de Deus com o pecado em nossas vidas, Deus efetivamente diz: "Se você quer ter comunhão Comigo, precisa se arrepender desse pecado. Você não pode viver essa vida e então viver a minha vida." O pecado não confessado vai atrapalhar nossas orações.

Quando foi a última vez que você pediu a Deus para limpá-lo e perdoá-lo do seu pecado? Em seu livro "Como Orar", R.A. Torrey disse: "Qualquer um que acha suas orações ineficazes não deve concluir que está pedindo para Deus algo que não está de acordo com a Sua vontade, mas deve se chegar a sós com Deus com a oração do salmista: Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece as minhas inquietações. Vê se em minha conduta algo que te ofende, e dirige-me pelo caminho eterno (Salmo 139:23-24)."

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Um Ato Final de Misericórdia

"E um deles feriu o servo do sumo sacerdote, decepando-lhe a orelha direita. Jesus, porém, respondeu: 'Basta!' E tocando na orelha do homem, ele o curou." (Lucas 22:50-51)

Antes de Sua morte e ressurreição, o último milagre de Jesus não foi algo extraordinário ou de grande repercussão, como ressuscitar um morto ou andar sobre as águas. Foi algo que facilmente poderia ser esquecido.

Conforme os fatos se desenrolaram no jardim do Getsêmani, Judas traiu Jesus com um beijo para que os soldados fossem prende-lo. Pedro, ao perceber as circuntâncias, desesperou-se. Sem dúvida ele pensou: “o que está acontecendo aqui? Eles não podem levar Jesus!" Então Pedro sacou sua espada e começou a lutar. Pedro, no entanto, era pescador, não um lutador. Então os problemas inevitavelmente vieram. Malco, um servo do sumo sacerdote que provavelmente liderava o bando contra Jesus teve sua orelha decepada. 

Mas Jesus se dirigiu a Pedro e disse: "[...] Guarde a espada! Acaso não haverei de beber o cálice que o Pai me deu?" (João 18:11). No evangelho de Mateus também vemos que Jesus disse a Pedro: "Guarde a espada! Pois todos os que empunham a espada, pela espada morrerão. Você acha que eu não posso pedir a meu Pai e ele não colocaria imediatamente à minha disposição mais de doze legiões de anjos? Como então se cumpririam as Escrituras que dizem que as coisas deveriam acontecer desta forma?" (Mateus 26:52-54)

Então Jesus tocou a orelha do homem, a qual havia sido gravemente ferida e a curou. Porque Jesus fez isso? Malco até merecia, afinal de contas. No entanto, Jesus se importa com as pessoas, até mesmo Seus inimigos. E não foi muito depois disso que Jesus orou na cruz "[...] Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo." (Lucas 23:34)

Malco merecia tudo o que aconteceu com ele, mas Jesus, em um último ato de misericórdia, curou-o
Link para o texto original

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Oração Persistente

"Então chegaram a Jericó. Quando Jesus e seus discípulos, juntamente com uma grande multidão, estavam saindo da cidade, o filho de Timeu, Bartimeu, que era cego, estava sentado à beira do caminho pedindo esmolas. Quando ouviu que era Jesus de Nazaré, começou a gritar: 'Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim!'" (Marcos 10:46-47)

Eu imagino se Bartimeu, um cego, teria sido curado por Jesus se tivesse apenas permanecido sentado em silêncio quando Jesus passou. Será que Jesus teria parado, virado para ele e lhe tocado? Talvez. Mas havia muitos cegos por lá no tempo do ministério terreno de Jesus. Havia muitos surdos. Havia muitos leprosos. Havia muita gente com todo tipo de problemas físicos.

Mas Jesus não curou toda essa gente, curou? Na verdade, normalmente encontramos nas Escrituras que Jesus respondia às pessoas que chamavam por Ele. No caso de Bartimeu, ele gritou e sua voz foi ouvida. Provavelmente ajudou muito o fato dele ter gritado. Não precisamos necessariamente berrar em nossas orações, mas precisamos ser persistentes.

Qual sua necessidade hoje? Precisa de um toque em seu corpo, como Bartimeu precisava? Então chame por Jesus. Você tem um filho que precisa de cura? Seu casamento necessita de ajuda? Chame por Jesus. E não desista se a resposta não vier logo.

Jesus disse: "Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta. Pois todo o que pede, recebe; o que busca, encontra; e àquele que bate, a porta será aberta" (Mateus 7:7-8).

Quando Jesus parou para restaurar a vista de Bartimeu, Ele estava a caminho da cruz. Estava a caminho de morrer pelos pecados do mundo — e pelos meus e os seus.

Você precisa do perdão d'Ele hoje? Então chame por Jesus. Romanos 10:13 diz: "todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo."

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Um Negócio Sério no Céu

"Eu lhes digo que, da mesma forma, haverá mais alegria no céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não precisam arrepender-se" (Lucas 15:7)

Às vezes as pessoas se perguntam se os que estão nos céus sabem o que está ocorrendo na Terra. Alguns dizem que não, mas eu acho que sim. Acredito que o céu está ciente do que acontece na Terra.

No entanto, não acho que nossos entes queridos estejam sentados no céu, observando tudo o que fazemos. Acho que há uma consciência do que está acontecendo, e há muitos versículos que eu poderia citar para sustentar esse ponto. E uma coisa eu sei claramente: quando alguém passa a ter fé em Jesus e se arrepende de seus pecados, há alegria no céu. Sempre que houver uma conversão na terra, haverá uma festa no céu.

Deus fica animado quando pessoas perdidas se arrependem e nós também devemos ficar. Como disse C. S. Lewis: a alegria é um negócio sério no céu.
Se há festa no céu sobre a conversão de uma pessoa, não devemos também nos animar ao ver alguém chegar a Cristo?

Jesus se importa e nós também devemos nos importar. Lucas 15 nos diz que quando o pastor encontra a ovelha que perdeu "[...] coloca-a alegremente sobre os ombros e vai para casa. Ao chegar, reúne seus amigos e vizinhos e diz: ‘Alegrem-se comigo, pois encontrei minha ovelha perdida’" (versos 5-6).

Acredito que isso foi o que manteve Jesus seguindo adiante, até mesmo na cruz. Hebreus 12:2 nos diz que Jesus, "pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus". O que foi aquela alegria? Fomos nós. Nós éramos a alegria. Nós fomos o prêmio. Nós fomos o tesouro. Nós éramos a meta que Ele buscava e pela qual Ele se entregou.

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Um Evangelho Diluído

"Suporte comigo os sofrimentos, como bom soldado de Cristo Jesus." (2 Timóteo 2:3)

Sem dúvida nenhuma, a melhor vida para se viver é a vida cristã, porque Deus pega uma vida que estava vazia, sem rumo, guiada por julgamentos errôneos e a transforma. Ele perdoa todos os nossos pecados, remove nossa culpa e, literalmente, passa a morar em nós através do Espírito Santo. Mais importante, ele muda o nosso endereço eterno de um lugar chamado inferno para um lugar chamado céu. Isso tudo acontece como resultado do poder do evangelho que cremos e proclamamos.

No entanto, alguns acreditaram no que eu descreveria como uma "versão diluída" do evangelho, um evangelho que promete perdão, mas raramente menciona a necessidade de se arrepender dos seus pecados, que promete a paz, mas nunca avisa sobre a perseguição, um evangelho que não tem nenhum problema em dizer que Deus quer que você seja saudável e rico, que diz que você vai sempre encontrar o favor de Deus, que uma vaga de estacionamento sempre estará disponível para você. Mas esse não é o evangelho do Novo Testamento.

A vida cristã não é um parque de diversões, mas um campo de batalhas. Não existe apenas um Deus que lhe ama e tem um plano para sua vida, mas há também um inimigo que odeia você e se opõe ao plano de Deus.

Não estou dizendo com isso que, uma vez que se torne um cristão, você vai ficar doente, pobre e péssimo. A essência da vida cristã é conhecer e andar com Deus. Trata-se de ficar com Ele quando o céu é azul e também quando está cheio de nuvens. Trata-se de permanecer firme. Jesus deixou claro que as tempestades vão entrar na vida de cada um de nós em algum momento. E à medida que procuramos conhecer e seguir a Cristo, vamos encontrar a felicidade como um benefício decorrente.

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

O Melhor Tipo de Encorajamento

"Depois se assentaram no chão com ele, durante sete dias e sete noites. Ninguém lhe disse uma palavra, pois viam como era grande o seu sofrimento" (Jó 2:13)

Quando Jesus entrou no jardim de Getsêmani, Ele disse aos discípulos: "Sentem-se aqui enquanto vou ali orar" (Mateus 26:36). Então ele escolheu Pedro, Tiago e João para irem com ele.

Note que Jesus não disse "Expliquem isso para mim", porque ele não precisava de nenhuma explicação. Ele era Deus, no fim das contas. Tampouco disse "preguem para mim" porque Ele certamente não precisava de um sermão. Ele só queria que seus amigos ficassem com Ele.

Jesus estava solitário. Enquanto Deus, mas ainda homem, Ele estava experimentando uma solidão cósmica, épica, e estava pedindo um pouco de companhia.

Isso é um lembrete de que quando alguém está sofrendo, uma das melhores coisas que se pode fazer é simplesmente estar presente. Gálatas 6:2 nos diz: "Levem os fardos pesados uns dos outros e, assim, cumpram a lei de Cristo."

Quando o mundo de Jó se desmoronou e ele perdeu tudo o que lhe era precioso em questão de horas, a sua esposa só piorou as coisas, dizendo: "Você ainda mantém a sua integridade? Amaldiçoe a Deus, e morra!" (Jó 2:9). Imagine isso num cartão de natal.

Mas Jó tinha três amigos que apareceram, e quando viram Jó coberto de furúnculos e desanimado, eles somente sentaram e choraram com ele. E essa foi a melhor coisa que poderiam ter feito com ele.

Isso é normalmente o que as pessoas precisam quando sofrem - alguém pra chorar com elas. Nem sempre temos as respostas. Na verdade, raramente sabemos...

Quando alguém está machucado ou sofrendo, podemos causar mais dor quando tentamos dar respostas às pessoas. É como dizem: "Pregue o evangelho e, quando necessário, use palavras." Às vezes, o melhor a fazer é só estar presente.
Link para o texto original

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Passando Pelos Getsêmanis

"Foi desprezado e rejeitado pelos homens, um homem de tristeza e familiarizado com o sofrimento. Como alguém de quem os homens escondem o rosto, foi desprezado, e nós não o tínhamos em estima." (Isaías 53:3)

Antes do Calvário, houve o Getsêmani. A tristeza que Jesus experimentou no Jardim do Getsêmani, na última noite antes da Sua crucificação, pareceu ser o ponto culminante de toda a tristeza que ele já tinha conhecido, o que aceleraria para o clímax do dia seguinte. O Getsêmani, próximo à crucificação, foi o momento mais difícil de sua vida. Ele foi submetido a um estresse de dimensões astronômicas.

Devemos nos lembrar disso em nossos momentos de solidão, quando nos sentimos como se tivéssemos sido abandonados por amigos ou talvez traídos até mesmo por nossa própria família. Quando você se sentir como se ninguém se preocupasse com você, tente imaginar o que aconteceu com Jesus. Ele experimentou tudo isso, não só a traição de seus próprios discípulos, não só as pessoas se voltando em massa contra Ele, mas também o próprio Pai virando o rosto para Ele durante aquele espaço de tempo em que Ele assumiu sobre si todos os pecados do mundo - passado, presente e futuro. Jesus esteve lá. Ele sabe como é.

Hebreus 4:15 nos lembra que "não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado". Não pense que você está falando com um Deus que não se importa ou esteja desconectado. Pelo contrário, Jesus passou por isso. Ele sentiu. Ele sabe de tudo. É por isso que o versículo 16 diz: "Assim sendo, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade."

Teremos Getsêmanis em nossas vidas, por assim dizer. Momentos em que a vida não faz nenhum sentido. É aí que precisamos nos lembrar que Jesus também passou por isso.