segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

O Jeito Certo de Orar

"Dois homens subiram ao templo para orar; um era fariseu e o outro, publicano. O fariseu, em pé, orava no íntimo [...]" (Lucas 18:10-11)

Deus responde a toda e qualquer oração. Mas, achamos que não é assim, porque que às vezes Deus diz "não" à nossa oração e, simplesmente, não gostamos dessa resposta. Deus responde a toda oração com "sim, "não" ou "aguarde".

Então, como podemos ter as nossas orações respondidas de maneira afirmativa com mais frequência? Há algo que possamos fazer para que Deus diga "sim" em vez de "não"?

Podemos começar certificando-nos de que estejamos realmente oferecendo nossas orações a Deus. Você pode pensar: "Essa é a coisa mais besta que já ouvi. Toda oração não é para Deus?" Na verdade, não. Você nunca orou e sua mente começou a se dispersar? Enquanto você ou alguém ora, pensa: "Será que desliguei o ferro antes de sair de casa? Não sei se desliguei. Ah, preciso ligar para o Fulano. Sabe, para o almoço acho que vou fazer feijão..."

Você pode orar de olhos fechados e mãos juntas, mas não orar coisa alguma. Aliás, você pode orar de olhos abertos também. Na Bíblia, lemos sobre pessoas orando de olhos abertos, de olhos fechados, e de olhos para o alto. Encontramos pessoas de joelhos, prostradas de rosto no chão, e erguendo as mãos. Qualquer postura de orar é aceitável, mas o principal é que nossa oração seja para Deus.

Jesus contou a história de um fariseu que "orava no íntimo" (Lucas 18:11), querendo dizer que as orações dele não passavam do teto, pois não pensava no Deus para Quem ele se dirigia.

É por isso que, quando os discípulos disseram a Jesus: "Senhor, ensina-nos a orar", Ele começou seu modelo de oração com as palavras: "Pai! Santificado seja o teu nome" (Lucas 11:2).

Para que sejam respondidas afirmativamente com mais frequência, nossas orações têm de ser oferecidas a Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário