sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

A Promessa do Natal

"O qual foi prometido por ele de antemão por meio dos seus profetas nas Escrituras Sagradas, acerca de seu Filho, que, como homem, era descendente de Davi" (Romanos 1:2-3)

Sempre acreditei na promessa do Natal. Há algo muito especial, maravilhoso, até mesmo mágico (no melhor uso da palavra) nessa época do ano. E isso sempre me remete ao início da minha infância.

Com o Natal, temos um senso de beleza, maravilha e antecipação. Procuramos estar juntos daqueles que amamos, familiares e amigos, e comemos comidas maravilhosas. É uma época incrível do ano. É também um período que é marcado, em sua maior parte, pela bondade que as pessoas demonstram umas com as outras, mesmo que estranhas entre si.

Mas fica a questão: O Natal realmente entrega o que promete? Sim, às vezes - um pouco aqui e um pouco ali. Para a maioria, no entanto, não. Na verdade, essa época traz muitas dificuldades. Se você for homem, sua pressão sanguínea vai subir dramaticamente nesse período. Um estudo feito por um psicólogo britânico mostrou que compras de Natal são, na verdade, perigosas para a saúde dos homens, devido aos seus efeitos de elevação de pressão. O mesmo estudo mostrou que a pressão das mulheres, nessa época, permanece inalterada.

Então qual seria a parte ruim do Natal? É uma época grosseira, comercial, vazia, cansativa e muito cara que absorve meses de uma vez só. E o que é o Natal em seu melhor? É um esboço do que há por vir: a beleza, a música, os anjos em adoração... o amor, o calor humano, a promessa... a esperança.
Porque quando você vai a fundo, percebe que o Natal é uma promessa. Uma promessa das coisas que virão.
Link para o texto original

Nenhum comentário:

Postar um comentário