quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Filho do Encorajamento

"Quando chegou a Jerusalém, tentou reunir-se aos discípulos, mas todos estavam com medo dele, não acreditando que fosse realmente um discípulo." (Atos 9:26)

Quando Saulo deixou Damasco, ele voltou para Jerusalém, onde presidiu o martírio de Estêvão. Ele teve boas-vindas como de um herói, por parte de seus companheiros cristãos? Eles ouviram que ele tinha se tornado um cristão e disseram: "O notável assassino cristão, Saulo, é um de nós agora. Vamos recebê-lo?" 

Não. Eles nem sequer acreditaram que ele tinha sido convertido.

Pergunto-me sobre o quanto isso é verdade nos dias de hoje. As pessoas vêm para Cristo e frequentam a igreja pela primeira vez, porém ninguém as recebe. Talvez elas sejam tratadas com indiferença por alguns. Talvez recebam um olhar de menosprezo. Talvez estejam usando a camisa errada com uma estampa errada naquele dia.

Ora, será que não poderíamos ser um pouquinho mais pacientes com as pessoas? Não poderíamos aceitar que quando alguém se torna um novo cristão, pode não ser exatamente como imaginávamos?
- O que estamos esperando?
- Será que também não podemos ter pessoas como Saulo, entrando em nossas igrejas?

Na vida de Saulo, foi Barnabé  que entrou (a propósito, o nome Barnabé significa "filho do encorajamento"). "Então Barnabé o levou aos apóstolos e lhes contou como, no caminho, Saulo vira o Senhor, que lhe falara, e como em Damasco ele havia pregado corajosamente em nome de Jesus" (Atos 9:27).

Aparentemente, Barnabé tinha credibilidade entre os apóstolos, pois eles pareciam aceitar o que ele tinha a dizer. Ele alinhou tudo e apoiou a história de Saulo, pois era verdade.

Precisamos de mais pessoas como Barnabé hoje em dia - pessoas que sabem como levantar alguém, pessoas que sabem como confortar e motivar outros. Isso é o que Barnabé fez por Saulo. E é isso que precisamos fazer também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário