terça-feira, 18 de outubro de 2016

Pecados Grandes X Pecados Pequenos

"Ao ouvirem dizer que Jesus havia deixado os saduceus sem resposta, os fariseus se reuniram. Um deles, perito na lei, o pôs à prova com esta pergunta: 'Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?'" (Mateus 22:34-36)

Aqui estavam os fariseus, tentando pegar Jesus com outra armadilha: "Mestre, qual é o maior mandamento na lei?" (Mateus 22:36).

Eles tinham debates intermináveis ​​sobre quais mandamentos da lei eram maiores ou menores. Eles sabiam que ninguém podia manter todos os mandamentos. Portanto, identificavam alguns mandamentos como muito importantes ​​e outros como secundários. Temos um equivalente moderno na ideia de descrever o pecado como perdoável ou pecado para a morte, com a presunção de que o pecado perdoável é ruim, mas não é tão ruim como o pecado para a morte.

O problema com este pensamento é que ele não é bíblico. Deus não faz essas distinções. Um pecado é suficiente para mantê-lo fora do céu. A Bíblia diz: "Pois quem obedece a toda a Lei, mas tropeça em apenas um ponto, torna-se culpado de quebrá-la inteiramente" (Tiago 2:10). Dito isso, alguns pecados implicam em maiores consequências do que outros.

Jesus disse a Pôncio Pilatos, "aquele que me entregou a ti é culpado de um pecado maior" (João 19:11). O que Pilatos estava prestes a fazer era muito ruim. Ele estava, indiretamente, por açoitar, espancar violentamente e em seguida pregar Jesus numa cruz. Em outras palavras, iria torturá-Lo e assassiná-Lo a sangue frio. Como alguém poderia cometer um pecado pior que esse?

Não sabemos a resposta exata, mas vejo duas opções. Primeiro, há Caifás, o sumo-sacerdote. Caifás estudou a Palavra de Deus. Ele sabia que era verdade, mas mesmo assim conspirou para Jesus ser crucificado. Em seguida, houve Judas Iscariotes. Judas passou três anos com Jesus, andando e falando com Ele. Todavia, ele traiu o Senhor por 30 moedas de prata.

Pilatos era o que poderíamos descrever como um ateu comum, um pagão clássico. Por outro lado, Caifás e Judas sabiam melhor o que estavam fazendo. E eles ainda assim escolheram o pecado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário