sexta-feira, 24 de junho de 2016

Uma Consciência Cauterizada

"Então Herodes e os seus soldados ridicularizaram-no e zombaram dele. Vestindo-o com um manto esplêndido, mandaram-no de volta a Pilatos." (Lucas 23:11) 

Falemos sobre oportunidade. Herodes manteve aprisionado o maior de todos os profetas do Antigo Testamento: João Batista. Ele poderia tê-lo disponível 24 horas por dia, mas mandou matá-lo e até mesmo decapitá-lo. Pior ainda, mais tarde ele esteve diante do Deus encarnado, o Criador do universo em forma humana, o próprio Jesus Cristo. Mas Herodes se interessava somente pelos milagres de Jesus. Herodes poderia ter aberto o seu coração, confessado os seus pecados, encontrado perdão e sensibilizado a sua consciência cauterizada, mas não o fez. E Jesus não fez milagres para ele.

Lemos em Lucas 23:11 que Herodes, mostrando seu verdadeiro caráter, juntamente com seus soldados "ridicularizaram-no [Jesus] e zombaram dele. Vestindo-o com um manto esplêndido, mandaram-no de volta a Pilatos." Herodes rejeitou a Cristo por medo de uma mulher, por medo de sua reputação, e por causa do seu trono. E Cristo rejeitou a Herodes, porque Herodes foi além do ponto onde não havia mais volta. Jesus, sendo Deus, podia ver o coração de Herodes. Ele podia ver o quanto ele era fútil. A ironia é que Herodes parecia temer a todos e a tudo. No entanto, devido à sua falta de temor a Deus, Herodes condenou a sua alma para sempre. Foi a morte de sua consciência.

Como isso acontece? Como uma consciência morre? Isso se faz aos poucos. Você sabe que algo está errado. Sua consciência lhe incomoda, e você tenta se livrar disso. Você pensa: "Como faço para desligar isso? Como posso silenciar isso? Onde está o botão de mudo? Não quero ouvir mais nada."

Em seguida, com o passar do tempo, fica mais e mais difícil ouvir a sua consciência. Como se diz: "Quando um homem não ouve a sua consciência, geralmente é porque Ele não quer o conselho de um estranho."
Link para o texto original

Nenhum comentário:

Postar um comentário