quarta-feira, 8 de junho de 2016

Um Evangelho Falsificado

"Admiro-me de que vocês estejam abandonando tão rapidamente aquele que os chamou pela graça de Cristo, para seguirem outro evangelho." (Gálatas 1:6)

Vi um pregador muito famoso sendo entrevistado na TV há algum tempo. Quando o assunto do pecado veio, o pregador disse: "Nunca falo sobre o pecado. Nunca uso a palavra 'pecado', porque as pessoas já sabem que são pecadoras. E não estou aqui para colocar as pessoas para baixo. Só quero levantá-las." No entanto, não acho que a maioria das pessoas saiba que são pecadoras. E o nosso trabalho não é apenas animar e colocar as pessoas pra cima; é apontá-las para Cristo. Portanto, temos de usar sim, a palavra "pecado".

Há um falso evangelho. O apóstolo Paulo escreveu às igrejas da Galácia: "Admiro-me de que vocês estejam abandonando tão rapidamente aquele que os chamou pela graça de Cristo, para seguirem outro evangelho" (Gálatas 1:6). Só porque alguém usa o termo "evangelho" não significa que está se referindo ao verdadeiro evangelho. Mesmo que alguém afirme que está pregando o evangelho, isso não significa necessariamente o real e verdadeiro evangelho. Para o evangelho ser genuíno, certas coisas devem acontecer. E uma dessas coisas é o reconhecimento de que todos pecaram. Como 1 João 1:8 diz: "Se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós."

A única forma de remover nosso pecado é a cruz. Se a cruz não for anunciada, não há evangelho. Qualquer apresentação adequada do evangelho inclui a vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo. Paulo escreveu aos crentes de Corinto: "Pois decidi nada saber entre vocês, a não ser Jesus Cristo, e este, crucificado." (1 Coríntios 2:2).

Sempre que houver um verdadeiro, haverá também um falso. E o diabo tem a sua versão falsa de quase tudo, até mesmo do evangelho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário